Ocorrência de micotoxinas em explorações bovinas de leite nos açoes e a sua possível associação a fatores produtivos

Abstract

Os Açores são caracterizados por ter um setor leiteiro, em modelo semi-intensivo, com vacas leiteiras em pastoreio todo o ano. A pastagem espontânea é complementada com uma mistura alimentar completa (TMR, do Inglês total mixed ration) com alimentos grosseiros e concentrados, minerais e vitaminas em quantidades definidas que são misturados para formar um alimento balanceado. Devido às poucas estruturas para armazenamento e às grandes oscilações climáticas que caracterizam os Açores, esta mistura alimentar completa é suscetível à proliferação de uma variedade de fungos e micotoxinas provenientes de diferentes matérias-primas. Assim, a ingestão crónica destes xenobióticos poderá conduzir ao aumento da suscetibilidade a doenças, perdas de desempenho reprodutivo e, no caso dos bovinos de leite, diminuição da produtividade e da qualidade do leite produzido. Sendo impossível a eliminação total das micotoxinas, torna-se essencial garantir a implementação de estratégias que reduzam a sua concentração em produtos que se destinam à alimentação humana e animal, bem como, monitorizar e controlar os teores presentes nos alimentos. Este trabalho pretendeu avaliar a ocorrência de micotoxinas no alimento (TMR) em quatro explorações de bovinos leiteiros na ilha açoriana de São Miguel e relacionar com a ocorrência destas micotoxinas no leite produzido, associando diversos indicadores produtivos e sanitários. Para tal, recorreu-se aos dados mensais do contraste leiteiro, à determinação de ocorrência de micotoxinas no alimento ingerido e à análise de Zearalenona (ZEA), em amostras de leite (individuais), provenientes das quatro explorações incluídas no estudo. Considerando as amostras de alimento analisadas, verificou-se a coexistência de micotoxinas em todas as explorações. Em duas explorações determinou-se ZEA, Fumonisinas (FUM) e Nivalenol (NIV). Foram encontradas micotoxinas do tipo Eniatina em três das explorações em estudo. Oitenta e três (98,8 %) das amostras de leite analisadas apresentaram teores detetáveis de ZEA (1,56±1,36 μg/L), superiores ao reportado em estudos similares anteriores. Apesar da concentração de ZEA não estar significativamente associada a qualquer indicador de produção analisado (dias em leite, idade ao parto, produção leiteira, teor proteico, teor butiroso, concentração de células somáticas e ureia), verificou-se que o regime de produção e tipo de maneio do alimento constituem fatores de grande importância na exposição dos animais a teores elevados de micotoxinas. Na avaliação de risco, verificou-se que o quociente de perigo (HQ) foi aceitável (<1) em todos os cenários considerados, com exceção do consumo, por parte de uma criança de 4 anos, do leite com o teor mais elevado de ZEA (4,46 μg/L). É recomendada a realização de estudos adicionais, para garantir a monitorização contínua e diminuição do risco associado à exposição dos animais e humanos às micotoxinas, em particular à ZEA.The Azores is characterized by having a dairy industry, on a semi-intensive model, with dairy cows grazing all year round. The spontaneous grazing is supplemented with a total mixed ration (TMR) with roughage and concentrates, minerals and vitamins in defined quantities that are mixed to form a balanced feed. Due to the few storage facilities and the large climatic fluctuations that characterize the Azores, this complete feed mixture is susceptible to the proliferation of a variety of fungi and mycotoxins from different raw materials. Thus, chronic ingestion of these xenobiotics may lead to increased susceptibility to disease, loss of reproductive performance and, in the case of dairy cattle, decreased productivity and quality of milk produced. Since it is impossible to totally eliminate the presence of mycotoxins, it is essential to ensure the implementation of strategies to reduce their concentration in products intended for food and feed, as well as to monitor and control the levels present in food. This study aimed to evaluate the occurrence of mycotoxins in food (TMR) in four dairy cattle farms on the Azores island of São Miguel and relate it to the occurrence of these mycotoxins in the milk produced, by associating several production and health indicators translated by the monthly milk contrast. To this end, the monthly milk contrast data, the determination of the occurrence of mycotoxins in the ingested food and the analysis of zearalenone (ZEA) in milk samples (individual) from the four farms included in the study were used. Considering the food samples analyzed, mycotoxins were found to coexist on all farms. In two farms ZEA, Fumonisins (FUM) and Nivalenol (NIV) were determined. Enniatin-type mycotoxins were found in three of the farms under study. Eighty-three (98.8 %) of the milk samples under study had detectable ZEA levels (1.56±1.36μg/L), Higher than reported in previous similar studies. Although ZEA concentration was not significantly associated with any production indicator analyzed (days in milk, age at calving, milk yield, protein content, butyrate content, somatic cell concentration and urea), it was concluded that the production regime and type of feed management is a major factor in the exposure of animals to high mycotoxin contents. Further studies are recommended to ensure continued monitoring and reduction of the risk associated with exposure of animals and humans to mycotoxins, in particular ZEA

    Similar works

    Full text

    thumbnail-image

    Available Versions