Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

CARACTERIZAÇÃO DO BAMBU LAMINADO COLADO COMO ALTERNATIVA TECNOLÓGICA INDUSTRIAL

By R. A. ROSA

Abstract

ROSA, Rafael Amorim. Caracterização do bambu laminado colado como alternativa tecnológica industrial.2013.Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade Federal do Espírito Santo, Jerônimo Monteiro - ES, Orientador: Prof. Dr. Juarez Benigno Paes. Coorientadores: Profa. Dra. Graziela Baptista Vidaurre e Prof. Dr. Pedro Gutemberg de Alcântara Segundinho. Este trabalho teve como objetivosverificar as propriedades tecnológicas dos bambus Dendrocalamus gigateus e Bambusa vulgaris; avaliar as propriedades físicas e mecânicas dos bambus laminados colados (BLC) de acordo com as espécies, os adesivos e os tratamentos preservativos utilizadose; correlacionar tanto o módulo de ruptura MORquanto o módulo de elasticidade MOE dos BLCs obtidos por meio dos métodos não destrutivos com o método destrutivo. Para isto, foram produzidas taliscas com dimensões de 0,5 x 3,0 x 70,0 cm (espessura x largura x comprimento) com os bambus das espécies D. gigateus e B.vulgaris com idade superior a três. Uma parte destas taliscas foi imersa em água e a outra em Timbor, com duração de 15 dias para ambos os tratamentos. Os adesivos utilizados foram à base de emulsão de isocianato polimérico (EPI); melamina ureia formaldeído - MUF; acetato de polivinílico cross PVAc eresorcinol formaldeído - RF. Os métodos não destrutivos utilizados para estimar o módulo de elasticidade dos BLCs foram oStress Wave - SW, vibração longitudinal - vib. long. e vibração transversal - vib. trans. Observou-se que, os BLCs confeccionados com B. vulgaris demonstraram maior instabilidade dimensional que aqueles produzidos com o D. giganteus. Entretanto, os adesivos MUF e RF conferiram maior estabilidade dimensional aos BLCs produzidos com ambas as espécies. Tanto os BLCs de D. giganteus quanto o de B. vulgaris em relação aos dois tratamentos preservativos utilizados, tiveram a menor média de falhas no bambu quando aderidos com EPI e PVA. Para os BLCs produzidos com o bambu gigante, o Stress Wave demonstrou não ser indicado para estimar o módulo de elasticidade para os aderidos com EPI, MUF, PVA e RF. Os métodos de vib. long. e vib. trans. demonstraram boa possibilidade da estimação do MOE para os BLCs de D. giganteus para qualquer adesivo. Para os métodos não destrutivos realizados com os BLCs do bambu vulgar, a técnica do Stress Wave demonstrou ser indicado para os BLCs aderidos com MUF e com PVA. No método de vib. long. os BLCs B. vulgaris aderidos com MUF, PVA e RF tiveram alto erro de estimação. Já o método de vib. trans., proporcionou alto coeficiente de correlação de Pearson (R²), demonstrando ser o mais recomendado. O método de vib. trans. mostrou ser o melhor na estimação do módulo de elasticidade tanto para os BLCs confeccionados com D. giganteus quanto para os de B. vulgaris, proporcionando os menores erros e os maiores R². Em função dos resultados físicos e mecânicos obtidos, pode-se afirmar que os BLCs confeccionados tanto com a espécie de D. giganteus quanto de B. vulgaris podem ser indicados para a produção de móveis. Palavras chave:Bambu laminado colado, Dendrocalamus giganteus,Bambusa vulgaris, adesivos, métodos não destrutivos, tratamentos preservativos

Topics: 1, Bambu, 2, Adesivos, 3, Indústria Madeireira, I, Paes, Juar
Publisher: Mestrado em Ciências Florestais
Year: 2013
OAI identifier: oai:dspace2.ufes.br:10/5012

Suggested articles


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.