Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Mortalidade de mulheres em idade reprodutiva no municipoio de Campinas : analise de 1985 a 1994

By Mary Angela Parpinelli

Abstract

Estudou-se a mortalidade de mulheres em idade reprodutiva (10-49 anos) residentes no município de Campinas no período de 1985 a 1994. As informações de mortalidade foram obtidas das DO (declarações de óbito), fotocopiadas da FSEADE (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados) e complementadas, por pesquisa em prontuários clínicos hospitalares. As causas de óbito foram identificadas pelo autor a partir das DOs e codificadas segundo a CID-10 (Classificação Internacional de Doenças, 10a Revisão). Os dados de população foram estimados a partir dos dois últimos censos demográficos pelo LAPEI DMPS/FCMlUNICAMP (Laboratório de Análise e Pesquisas Epidemiológicas/ Departamento de Medicina Preventiva' e Social/Universidade Estadual de Campinas). Analisou-se a mortalidade segundo causas, grupo etário, evolução temporal e evitabilidade. Para análise de tendência utilizou-se a regressão linear simples, adotando-se como limite de significância p < O, 05. Os CM (coeficientes de mortalidade) foram crescentes segundo màior idade, variando de 31,9 a 364,21100.000 mulheres, respectivamente nas faixas etárias de 10-14 e 45-49 anos. As principais causas de morte e os coeficientes brutos de mortalidade no período foram: doenças cardiovasculares (28,6), causas externas (22,3), neoplasias (22,1) e doenças infecto-parasitárias (9,21100.000 mulheres). As causas externas representaram a primeira causa de morte até a faixa etária de 25 29 anos e a terceira após esta idade. As doenças cardiovasculares e neoplasias assumiram as primeiras causas a partir da idade de 30-34 anos. No período houve crescimento da mortalidade por doenças infecto-parasitárias com tendência significativa. Os CMEs por causas evitáveis aumentaram em 20% quando comparados os períodos de 1985-89 com 1990-94, principalmente às custas do expressivo incremento dos óbitos por AlDS. A mortalidade materna foi a nona causa de morte para os dez anos. Para o período de 1992 a 1994, a razão de mortalidade materna (RMM) "corrigida" foi de 42,21100.000 nascidos vivos, superior à RMM "oficial" 1,67 vezes. As principais causas de morte materna foram: complicações do aborto, hemorragias, hipertensão arterial e infecção puerperal. Os resultados deste estudo apontam para a necessidade de medidas político-sociais integradas a ações de saúde na tentativa de controle das mortes por causas possivelmente evitáveis, com ênfase à mortalidade por AIDS, acidentes, violência e maternaThe mortality of women in reproductive ages (10 through 49 years) living in Campinas in the period of 1985 to 1994 was studied. Mortality informations were obtained at FSEADE from copies of death certificates and were complemented with investigation of their clinical records. The basic causes of death were identified by the author and classified according to the ICD-10. Population data were estimated from the last two demographic census by LAPE/DMPS/FCM/UNICAMP. The mortality was analysed according to causes, age group, period and avoidability. Simple linear regression for trend was used for the statistical analysis of the data, acceptance significance with p < 0,05. The mortality rates increased according to age, ranging from 31.9 through 364.2/100.000 women, respectively for age groups of 10-14 and 45-49 years. The main causes of death and their mortality rates during this period were: cardiovascular diseases (28.6), external causes (22.3), neoplasm (22.1) and infectious diseases (9.2/100.000 women). The externa I causes represented the principal cause of death up to 25-29 age group and the third after this age. Cardiovascular diseases and neoplasia became the first causes from the 30-34 age group upwards. There was a statistically significant trend of increased mortality rates for infectious diseases, along of the time. The average of women's deaths due to avoidable causes increased 20% compared with the periods 1985-89 and 1990-94, mainly as result of a 4,7 folds increase deaths derived from AIOS. Maternal mortality was the ninth cause of death during this ten-year period. Since 1992 to 1994, the corrected maternal mortality ratio (MMR) was 42.2/100.000 livebirths, 1.67 times higher than the oficial MMR. The main causes of maternal mortality were: abortion complications, hemorrhage, hypertensive disorders and puerperal infection. The results of this study showed the need of political and social measures integrated to health interventions as an attempt to control the mortality due to possibly avoidable causes, with emphasis in AIOS, accidents, violence and maternal mortalit

Topics: Mortalidade - Tecnica, Mães - Mortalidade, Mortes - Causas, Fecundidade
Publisher: Universidade Estadual de Campinas . Faculdade de Ciências Médicas
Year: 1997
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.BDTD_UNICAMP:oai:unicamp.br:vtls000120060
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.