Location of Repository

Avaliação da heterogeneidade estrutural na indústria brasileira

By Carolina Silvestri Cândido

Abstract

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Sócio-Econômico, Programa de Pós-Graduação em Economia, Florianópolis, 2014.O presente trabalho tem como objetivo analisar as características da heterogeneidade estrutural da indústria brasileira de 1996 a 2011. Para tanto, resgatam-se, em perspectiva histórica, os pontos principais do pensamento estruturalista cepalino com vistas em apresentar a superação do subdesenvolvimento por via do progresso técnico; as contribuições recentes da teoria evolucionista relacionando a microeconomia da produtividade com a macroeconômica da heterogeneidade estrutural; a trajetória histórica da industrialização brasileira apresentando como, ao longo dos anos, se consolida no Brasil um complexo industrial heterogêneo; a realidade produtiva brasileira em dados evidenciando-se as principais características da indústria brasileira de 1996 a 2011; e, por fim, lança-se mão de modelos econométricos com o intuito de apresentar as características e condicionantes da heterogeneidade estrutural da indústria brasileira de 1996 a 2011.Como resultado além de se comprovar a existência de heterogeneidade estrutural na indústria brasileira, observou-se o segmento industrial de commodities industriais como o único segmento industrial com produtividade superior à produtividade média da indústria brasileira, este segmento é de produtos comoditizados, de baixo valor agregado, com muitos grupos industriais da indústria extrativa. Ao se analisar a produtividade através de modelos econométricos distintos é importantes levar em consideração seu caráter contínuo no tempo, as diferentes dinâmicas setoriais e a relação dispare entre as variáveis de acordo com seu grau de produtividade. Assim sendo, observou-se haver relação mais estreita entre as classes industriais mais produtivas as variáveis proxy do progresso técnico e a variável proxy do porte industrial evidenciando relação direta entre progresso técnico e porte industrial e produtividade. Conclui-se que a especialização da indústria brasileira em segmentos industriais de baixa intensidade tecnológica, baixo valor agregado, intensivos em recursos naturais ou da indústria tradicional gera e reproduz a heterogeneidade estrutural devido a sua pouca receptividade ao progresso técnico.<br>Abstract : The present work aims to analyze the characteristics of the Brazilian industry structural heterogeneity between 1996 and 2011. Therefore, the main points of the Cepal structuralist though can be recovered by an historical perspective, in order to present the overcoming underdevelopment through technical progress; the recent contributions of the evolutionary theory relating the microeconomics of the productivity with the macroeconomics of the structural heterogeneity; the historical trajectory of Brazilian industrialization showing how, over the years, established itself in Brazil a heterogeneous industrial complex; the data of Brazilian productive reality, evidencing the main characteristics of the Brazilian industry from 1996 to 2011; and finally it presents the characteristics and constraints of the structural heterogeneity of the Brazilian industry from 1996 and 2011 with econometric models. As a result, in addition to proving the existence of the structural heterogeneity in the Brazilian industry, it was observed that the industrial sector of industrial commodities is the only industrial sector with a higher productivity than the average of the productivity of the Brazilian industry, this sector refers to commoditized products with low added value, with many industrial groups from the extractive industry. When productivity is analyzed through different econometric models, it is important to consider its continuity in time, the different sectorial dynamics and the disparate relationship between the variables according to its productivity level. Thus, it was observed a narrow relation between the more productive industrial classes, the proxy variables of the technical progress and the proxy variable of the industrial scale, showing a direct relation between the technical progress and industrial scale and productivity. It is concluded that the specialization of Brazilian industry in industrial sector with low technological intensity, low value-added, intense in natural resources or traditional industry generates and reproduces the structural heterogeneity due to its lack of responsiveness to technical progress

Topics: Economia, Produtividade industrial
Year: 2014
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFSC:oai:repositorio.ufsc.br:123456789/129340
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.