Location of Repository

O Serviço Público de Saúde do Município de Bambuí, Minas Gerais: A Visão do Usuário Idoso

By Ana Carolina Diniz Oliveira

Abstract

A velocidade do processo de envelhecimento e de transição demográfica e epidemiológica brasileira introduz questões cruciais tanto para os gestores, trabalhadores e pesquisadores contemporâneos dos sistemas de saúde quanto para a sociedade como um todo. Dado o contexto nacional de acentuada desigualdade social, de pobreza e de fragilidade das instituições, esta conjuntura exige do sistema de saúde ações equitativas que favoreçam o acesso dos idosos ao cuidado e aos serviços de saúde primários. Estas ações devem visar à redução dos riscos de adoecimento e aumentar as possibilidades dos idosos participarem mais e melhor do cuidado de sua saúde e do controle de suas doenças, reduzindo-se, assim, o risco de complicações e de incapacidades. Este estudo foi realizado no município de Bambuí, situado no Centro-Oeste do Estado de Minas Gerais. Para a escolha dos entrevistados considerou- se o gênero, a idade, o nível funcional e o território. Foi utilizado o critério de saturação para regular o tamanho da amostra. O modelo dos signos, significados e ações foi utilizado na coleta e análise dos dados. Foram entrevistados cinqüenta e sete idosos, sendo vinte e sete homens e trinta mulheres, selecionados nos seis territórios das Equipes de Saúde da Família (ESF). Os idosos reconhecem facilidades e dificuldades nos serviços de saúde e valorizam a criação do Sistema Único de Saúde (SUS). No entanto, fica claro que no âmbito do SUS, que apesar da criação da Estratégia de Saúde da Família, pela análise dos relatos dos usuários idosos, não se observou ainda mudança do modelo de atenção à saúde nem a inclusão da capacidade funcional como balizadora das ações dos serviços. Da mesma forma, não se percebeu um forte vínculo dos idosos com as ESFs, assim como, não se observou planejamento pelas mesmas de ações de saúde específicas para este público. Estes achados denotam o despreparo e a fragilidade do sistema de saúde para atuar junto do idoso e de suas famílias na área estudada. É importante dar voz aos idosos que utilizam os serviços e mostrar aos trabalhadores e gestores como o outro lado do sistema – a pessoa que é cuidada – tantas vezes ignorado e desconhecido, percebe e avalia o que lhe é oferecido ou negado. Isto representa uma etapa a mais no ortalecimento do SUS, por meio da busca pelo direito integral à saúde e à dignidade durante todos os ciclos de vida dos cidadãos brasileiros.The speed of aging and the demographic and epidemiological transition in Brazil introduces key issues for both managers, workers and researchers of contemporary health systems, and for society as a whole. Given the national context of marked social inequality, poverty and weak institutions, this situation requires the health system actions that promote equitable access for elderly care and primary health services. These actions should aim to reduce the risks of illness and increase the chances of older people participate more and better care of your health and control of their disease, reducing thus the risk of complications and disability. This study was conducted in the municipality of Bambuí, situated in the Midwestern state of Minas Gerais. For the choice of respondents considered the gender, age, functional level and territory. The criterion of saturation to adjust the size of the sample. The pattern of signs, meanings and actions was used to collect and analyze data. We interviewed fifty-seven elderly, twenty-seven men and thirty women were selected in six territories of the Family Health Teams (FHT). They also recognize the strengths and difficulties in the health services and value creation of the Unified Health System (SUS). However, it is clear that within the SUS, which despite the creation of the Family Health Strategy, the analysis of reports from elderly users, there was no further change in the model of health care or the inclusion of functional capacity as the balizadora shares of services. Likewise, did not realize a strong bond with the ESFs of the elderly, as well as there was no planning for the same health actions specific to this audience. These findings denote the unpreparedness and the fragility of the health system to work with the elderly and their families in the area. It is important to give voice to older people who use services and show how workers and managers across the system – the person who is cared for – so often overlooked and unknown, perceives and evaluates what is offered or denied. This represents one more step in strengthening the SUS, through the pursuit of full rights to health and dignity for all cycles of life of citizens

Topics: Saúde do Idoso, Serviços de Saúde para Idosos/utilização, Antropologia Médica/tendências
Year: 2012
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_FIOCRUZ:oai:localhost:icict/4277
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.