Location of Repository

Prevalência de esteatose hepática em pacientes com hipertensão arterial resistente

By Bianca de Almeida Nunes

Abstract

PREVALÊNCIA DE ESTEATOSE HEPÁTICA EM PACIENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL RESISTENTE. Introdução: A hipertensão arterial resistente (HAR) é uma entidade clínica de difícil controle, associada a um alto risco cardiovascular. É comum a associação da HAR com a síndrome metabólica (SM), que está intimamente relacionada com a esteatose hepática (EH). A hipertensão arterial também é considerada como um estado de resistência à insulina e está relacionada ao desenvolvimento de EH de forma independente. Estudos demonstraram que, além da relação causal, um aumento na resistência à insulina pode ser consequência da EH. Esta condição levaria a um estado de hiperinsulinemia, culminando com uma elevação da pressão arterial (PA) e, possivelmente, a maior dificuldade no controle da PA em pacientes com HAR. Objetivo: Avaliar a prevalência de sinais de esteatose hepática em pacientes ambulatoriais com HAR. Metodologia: Estudo transversal em um serviço de referência em doença cardiovascular hipertensiva grave. A HAR foi definida conforme critérios da Sociedade Brasileira de Cardiologia. SM foi definida conforme critérios do NCEP/ATP-III. Os sinais de esteatose hepática foram avaliados a partir da ultrassonografia de abdome total. Foram divididos dois grupos para análise: com e sem esteatose hepática. Resultados: A população geral estudada é composta por mulheres, idosos, não brancos e com baixa escolaridade. A prevalência de EH foi de 35,7%. A prevalência de alcoolismo foi de 9,1% na população geral e não houve diferença entre os grupos. Diabetes Mellitus (DM) (55%) e SM (82,4%) foram mais frequentes no grupo com EH, com p=0,01 e 0,03 respectivamente. Circunferência abdominal, hemoglobina glicada e triglicerídeos tiveram valores méd ios mais elevados no grupo com EH. Não houve diferença entre os grupos no controle da PA e na adesão medicamentosa, que foi baixa nos dois grupos. Os componente s da SM foram avaliados de forma isolada, não havendo diferença estatisticamente significante entre os grupos. Conclusões: As altas prevalências encontradas de EH e comorbidades associadas neste grupo podem contribuir para a dificuldade do controle pressórico e para aumento do risco cardiovascular nesses pacientes

Topics: Hipertensão, Esteatose hepática, Prevalência
Year: 2015
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/17642
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.