Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Prevalência de esteatose hepática em pacientes com hipertensão arterial resistente

By Bianca de Almeida Nunes

Abstract

PREVALÊNCIA DE ESTEATOSE HEPÁTICA EM PACIENTES COM HIPERTENSÃO ARTERIAL RESISTENTE. Introdução: A hipertensão arterial resistente (HAR) é uma entidade clínica de difícil controle, associada a um alto risco cardiovascular. É comum a associação da HAR com a síndrome metabólica (SM), que está intimamente relacionada com a esteatose hepática (EH). A hipertensão arterial também é considerada como um estado de resistência à insulina e está relacionada ao desenvolvimento de EH de forma independente. Estudos demonstraram que, além da relação causal, um aumento na resistência à insulina pode ser consequência da EH. Esta condição levaria a um estado de hiperinsulinemia, culminando com uma elevação da pressão arterial (PA) e, possivelmente, a maior dificuldade no controle da PA em pacientes com HAR. Objetivo: Avaliar a prevalência de sinais de esteatose hepática em pacientes ambulatoriais com HAR. Metodologia: Estudo transversal em um serviço de referência em doença cardiovascular hipertensiva grave. A HAR foi definida conforme critérios da Sociedade Brasileira de Cardiologia. SM foi definida conforme critérios do NCEP/ATP-III. Os sinais de esteatose hepática foram avaliados a partir da ultrassonografia de abdome total. Foram divididos dois grupos para análise: com e sem esteatose hepática. Resultados: A população geral estudada é composta por mulheres, idosos, não brancos e com baixa escolaridade. A prevalência de EH foi de 35,7%. A prevalência de alcoolismo foi de 9,1% na população geral e não houve diferença entre os grupos. Diabetes Mellitus (DM) (55%) e SM (82,4%) foram mais frequentes no grupo com EH, com p=0,01 e 0,03 respectivamente. Circunferência abdominal, hemoglobina glicada e triglicerídeos tiveram valores méd ios mais elevados no grupo com EH. Não houve diferença entre os grupos no controle da PA e na adesão medicamentosa, que foi baixa nos dois grupos. Os componente s da SM foram avaliados de forma isolada, não havendo diferença estatisticamente significante entre os grupos. Conclusões: As altas prevalências encontradas de EH e comorbidades associadas neste grupo podem contribuir para a dificuldade do controle pressórico e para aumento do risco cardiovascular nesses pacientes

Topics: Hipertensão, Esteatose hepática, Prevalência
Year: 2015
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/17642
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.