Location of Repository

Frequência e perfil de susceptibilidade a antibióticos de bactérias isoladas em uroculturas

By Humberto Rodrigues Pereira Filho

Abstract

Introdução: A infecção do trato urinário (ITU) é uma infecção frequente na prática médica. Ela acomete todas as idades, sendo mais prevalente em três grupos etários: crianças até os seis anos, mulheres jovens com vida sexual ativa e idosos com mais de 60 anos. Entre as bactérias mais isoladas nas (ITUs), as de maior prevalência são: E. coli e Klebsiella spp, seguidas de Enterobacter spp, Staphylococcus spp e Proteus spp. Elas vêm sofrendo mudanças progressivas no perfil de resistência aos antibióticos mais usados na prática clínica. Portanto, torna-se necessário o conhecimento da etiologia e o perfil de resistência dos micro-organismos causadores de ITU, objetivando uma melhor escolha da terapia empírica, minimizando o aumento da resistência e disseminação de patógenos multirresistentes. Objetivos: Avaliar a frequência de bactérias nas (ITUs) e perfil de susceptibilidade e resistência aos antimicrobianos. Metodologia: Estudo retrospectivo, de corte transversal, na qual foram analisadas uroculturas em um hospital público no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2011. Foram incluídos pacientes de ambos os sexos, sem limite de idade. Resultados: De 2007 a 2011, foram realizadas 592 uroculturas, sendo que 537 foram positivas para ITU. 54,93% das ITUs ocorreram em mulheres e 45% em homens. O perfil etário variou de 2 a 94 anos, sendo 47,7% com mais de 60 anos, 17,3% entre 50-59 anos e 16,4% entre 40-49 anos. Bactérias gram negativas corresponderam a 90,5% e as gram-positivas 9,5% do total. E. coli (37,6%) foi a bactéria mais isolada, seguida da K. pneumoniae (22,5%). Os antibióticos mais sensíveis para as gram-negativas foram o imipenem, meropenem e amicacina e para os gram-positivos, vancomicina e teicoplanina. Conclusão: O tratamento da ITU é difícil, visto que ele é iniciado de forma empírica e que a urocultura é ainda considerada um exame caro, de resultado demorado e não acessível a todos os pacientes. Portanto, deve se frisar pelo uso racional de antimicrobianos, levar em consideração o tempo e a dose correta e conhecer os perfis de resistência e susceptibilidade locais para se evitar falhas no tratamento e seleção de bactérias resistentes

Topics: Infecção do trato urinário, Resistência bacteriana, Enterobactérias, Antimicrobianos
Year: 2013
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/14198
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.