Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Corpo "sarado", corpo "saúdavel"? Construção da masculinidade de homens adeptos da prática da musculação na cidade de Salvador.

By José Carlos Oliveira Chaves

Abstract

p. 1-185A saúde na contemporaneidade vem sendo considerada um valor distintivo a ser conquistado, na qual o discurso sobre “saudável” incorpora significados como juventude, força e beleza. A crescente valorização da aparência física tem levado um número cada vez maior de pessoas a frequentar academias de musculação, bem como a consumir produtos farmacêuticos e nutricionais, em vista do aprimoramento das dimensões corpóreas. Este trabalho tem por objetivo descrever os cuidados com o corpo e analisar as concepções de saúde de homens das classes populares freqüentadores de academia na cidade de Salvador. Foi realizado um estudo etnográfico, com vistas a compreender como a construção do corpo musculoso se associa a masculinidade e a saúde nos praticantes de musculação de academias de bairros populares. Utilizou-se predominantemente a metodologia etnográfica proposta por Loic Wacquant (2002) da “Participação Observante”, no intuito de colher impressões, descrições e cenas que minuciosamente orientam o entendimento das práticas de musculação. Além disso, foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com freqüentadores de academias. A musculação se constitui como um esporte em que dar o máximo de si está diretamente ligado ao limite máximo de transformação do próprio corpo. O corpo funciona como um elemento que encarna uma idéia de controle físico e mental, fatores relacionados diretamente como elementos essenciais a saúde. Se por um lado os adeptos ostentam a necessidade de se ter uma vida regrada evitando os excessos da vida mundana, por outro lado utilizam para a manutenção e fabricação do corpo a prática excessiva dos exercícios físicos e o uso elevado de substâncias anabólicas. Esses homens que vêem na disciplina do esporte uma forma de negação de outras masculinidades construídas pelo tráfico de drogas e violência constroem novas hierarquias de masculinidades, na qual a figura do “homem de bem” se instaura como seu elemento estruturante. Observa-se que a idéia de saúde, no contexto estudado, também está diretamente ligada ao que se permeia no imaginário masculino: “saúde, sinônimo de força e externalização do bem-estar físico”, uma vez que esses homens vêem a representação física dos seus corpos como um marcador de saúde, mesmo que na construção do corpo “sarado” eles driblem a lógica do corpo tido como “saudável”. Assim, pode-se concluir que as formas de lidar com o corpo e com a identidade de gênero pode apreender uma riqueza de pormenores que em menor ou maior grau atinge os padrões de saúde e doença

Topics: Corpo, Musculação, Masculinidade, Saúde, Body, Bodybuilding, Manhood, Health, Saude publica
Publisher: Programa de pós-graduação em saúde coletiva
Year: 2010
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/10368
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.