Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Vida após o trauma: do evento à funcionalidade dos sobreviventes de traumatismo craniencefálico.

By Helena Fraga-Maia

Abstract

p. 1-243Esta tese apresenta o resultado da investigação sobre a funcionalidade de pacientes com traumatismo craniencefálico (TCE) que foram admitidos na unidade de referência estadual para este tipo de trauma na Região Metropolitana de Salvador, Bahia, Brasil no período de 1º de agosto de 2007 a 31 de julho de 2008. Inicialmente investigou-se o perfil epidemiológico dos pacientes e verificou-se que a distribuição por sexo foi uniforme de acordo com as faixas etárias, com exceção da faixa etária de 25 a 34 anos, cuja concentração de casos foi maior para homens e mulheres diferiram significativamente em relação à idade, local de ocorrência, atenção pré-hospitalar, etiologia do trauma, acidentes de transporte e quedas. A maior proporção dos traumas ocorreu em via pública, por atropelamento, espancamento e acidentes motociclísticos. Em seguida, analisou-se a distribuição espacial dos locais de ocorrência dos eventos e residência dos pacientes e constatou-se que muitos eventos ocorrem em locais distantes do hospital de referência dificultando o acesso e o socorro em tempo reduzido. Em função da magnitude do agravo observada para homens, um estudo de coorte foi conduzido para observar os fatores prognósticos da capacidade funcional e os relacionados com o retorno às atividades produtivas. Observou-se que idade, gravidade do trauma, fadiga, distúrbios da atenção e concentração, alteração no equilíbrio, presença de plegias ou fraturas estiveram significativamente associados com a incapacidade funcional global, assim como ter sido submetido a tratamentos multiprofissionais de reabilitação. Com relação às atividades produtivas prévias, observou-se que 91 (37,7%) indivíduos reassumiram antigas funções e que a média do tempo decorrido para o retorno às atividades produtivas foi de 225 dias, com 25% dos pacientes retornando em até 103 dias e 75% deles em até 390 dias. Os mais jovens que sofreram traumas mais graves, e concomitantes distúrbios motores, que evoluíram com sintomas somáticos ou cognitivo-comportamentais, além de incapacidade funcional global, apresentaram dificuldade para retomar suas atividades prévias ou não retornaram. Todavia, história pregressa de trabalho remunerado mostrou-se significativamente associado com mais rápido retorno à produtividade

Topics: Traumatismos craniencefálicos, Georreferenciamento, Incapacidade, Reabilitação, Retorno ao trabalho, Retorno à produtividade, Traumatic brain injury, Georeferencing, Disability, Rehabilitation, Return To work, Return To productivity, Saude publica
Publisher: Programa de pós-graduação em Saúde Coletiva
Year: 2010
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/10334
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.