Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Impacto da ovariectomia sobre alterações metabólicas e inflamatórias em modelos de obesidade induzida por dieta em ratas

By Anna Carolina Saúde Dantas

Abstract

O aumento mundial da incidência de obesidade tem determinado um crescente interesse sobre as diversas alterações metabólicas associadas que aumentam os riscos do desenvolvimento de diabetes tipo 2 e de doenças cardiovasculares. O consumo de dietas com altas densidades energéticas, associado ou não a ausência do estrógeno, pode determinar um quadro de alterações metabólicas e inflamatórias, com modificação do perfil de distribuição do tecido adiposo, associado à resistência a insulina. O objetivo deste estudo foi verificar o impacto da ovariectomia sobre as alterações metabólicas e inflamatórias nos tecidos adiposo e hepático em modelos de obesidade baseado no fornecimento de dietas hipercalóricas para ratas. Ratas Wistar com dez semanas de idade foram submetidas aos procedimentos de ovariectomia ou “sham” e distribuídas entre três dietas: controle, hiperlipídica e hipersacarídica. Ao final de vinte e seis semanas de tratamento dietético, o grupo ovariectomizado tratado com dieta hiperlipídica apresentou o maior peso corporal dentre os grupos experimentais, bem como, maior depósito do tecido adiposo visceral e elevação dos níveis de pressão arterial sistólica. O perfil bioquímico plasmático não diferiu entre os grupos, no entanto o teste de tolerância a glicose revelou uma alteração especialmente nos grupos sham e ovariectomizado tratados com dieta hipersacarídica, demonstrando o maior impacto desta dieta sobre a resposta a sobrecarga de glicose. Mas foi o grupo ovariectomizado tratado com dieta hiperlipídica que apresentou os maiores níveis de insulina e do índice HOMA-IR (Homeostatic model assessment). Os grupos submetidos a dietas hipercalóricas também manifestaram infiltração gordurosa no fígado, os grupos sham e ovariectomizado tratados com dieta hipersacarídica com padrão microvesicular e os grupos sham e ovariectomizado tratados com dieta hiperlipídica desenvolveram esteatose hepática com padrão macrovesicular e infiltração inflamatória compatível com o quadro de esteato-hepatite. No tecido adiposo abdominal parametrial do grupo ovariectomizado tratado com dieta hiperlipídica também se observou uma maior infiltração de macrófagos/monócitos, com formação das estruturas do tipo “crown-like”. As dietas hipercalóricas hiperliídicas e hipersacarídicas determinaram respostas diferentes quanto ao ganho de peso dos animais, padrão de deposição de gordura corporal, mas ambas, resultaram em algum grau de resistência a insulina. A ovariectomia apenas apresentou impacto sobre as alterações metabólicas quando associada às dietas hipercalóricas. A presença de gordura ectópica armazenada nos hepatócitos e a maior infiltração de células inflamatórias no tecido adiposo e no parênquima hepático podem explicar em parte, o quadro de resistência a insulina desenvolvido, principalmente nos grupos que não apresentaram aumentos significativos do peso corporal e da gordura abdominal

Topics: Metabolismo - Resistência à Insulina, Menopausa, Obesidade – patologia - Inflamação, Obesidade Abdominal – Inflamação
Year: 2013
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/10442
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.