Article thumbnail

Row spacing and pruning regimes on organically grown cherry tomato Espaçamento e sistema de condução de tomate cereja em cultivo orgânico

By Vlamir F de Azevedo, Antônio Carlos de S Abboud and Margarida Goréte F do Carmo

Abstract

The effects of branch number and plant densities on organically grown cherry tomato yield and fruit quality were studied. Labor costs for pruning were also assessed. The essay was conducted at the experimental fields of the Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Brazil, from September 2004 to January 2005. A factorial design was used combining three row spacings (0.4, 0.6 and 0.8 m), two cherry tomato cultivars (hybrid 'Super-Sweet' and a local self pollinated 'Perinha') and three pruning regimes (free growth, one branch per plant and two branches per plant). The row spacing treatment of 0.6 x 1.5 m resulted in lower number of fruits when compared to the 0.4 x 1.5 m treatment, however, producing fruits with higher individual average mass, which resulted in similar final yield. These yields were higher than the 0.8 m treatment. Yield increases due to the higher number of plants per area were mostly due to the increase of fruit number, which compensated for the decrease of fruit size and mass. The 'free growth' treatment yielded similarly to the two branches per plant treatment. The labor costs were lower under 'free growth' due to the absence of pruning. Both cultivars responded similarly to plant population and pruning regimes.<br>Com o objetivo de se avaliar o efeito do manejo e da densidade de plantio na produtividade de frutos e no custo com mão de obra em sistema orgânico de produção de tomate cereja, foi realizado um experimento no Departamento de Fitotecnia da UFRRJ, Seropédica-RJ, de setembro de 2004 a janeiro de 2005. Foram avaliados os efeitos da combinação de três sistemas de condução (sem tutoramento e sem limitação do número de hastes por planta; tutoramento com condução de uma haste por planta e, tutoramento com condução de duas hastes por planta), três espaçamentos entre plantas (0,4; 0,6 e 0,8 m) e duas cultivares de tomate cereja (Perinha Água Branca e Super Sweet). O tratamento com espaçamento de 0,6 x 1,5 m apresentou menor número total de frutos comparado ao tratamento de 0,4 x 1,5 m, porém frutos com maior massa média, resultando ao final em produtividade equivalente à do tratamento com menor espaçamento. A produtividade destes dois espaçamentos foi significativamente maior do que a do tratamento 0,8 x 1,5 m. O aumento de produtividade com o aumento da população de plantas deveu-se, principalmente, ao aumento do número total de frutos, tendo compensado a redução do tamanho e massa média dos mesmos, sem afetar a sua qualidade no que diz respeito à sua classificação quanto ao calibre. O sistema rasteiro apresentou produtividade de frutos comerciais igual à do tratamento onde as plantas foram conduzidas sob tutoramento mantendo-se duas hastes por planta e menor custo de produção devido à não realização das desbrotas e tutoramento. As duas cultivares, em geral, responderam de forma similar às variações de espaçamento e forma de condução

Topics: Lycopersicon esculentum, número de hastes, custo de produção, Lycopersicon esculentum, number of branches, labor costs, Plant culture, SB1-1110
Publisher: Associação Brasileira de Olericultura
Year: 2010
DOI identifier: 10.1590/S0102-05362010000400002
OAI identifier: oai:doaj.org/article:1a63da11386d4247971339536bbbabc7
Journal:
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • https://doaj.org/toc/0102-0536 (external link)
  • http://www.scielo.br/scielo.ph... (external link)
  • https://doaj.org/article/1a63d... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.