Incompatibilidade somática em Rhizoctonia solani AG-1 IA da soja

Abstract

O fungo Rhizoctonia solani AG-1 IA é um dos patógenos mais importantes que afeta a cultura da soja no Brasil, causando a mela ou queima foliar. A doença está associada com a fase teleomórfica de R. solani, o basidiomiceto Thanatephorus cucumeris. Neste estudo, baseando em conhecimento prévio sobre a biologia de R. solani AG-1 IA, duas hipóteses foram testadas. Na primeira hipótese postulou-se a ocorrência de incompatibilidade somática em populações de R. solani AG-1 IA. A segunda hipótese testada foi de que esta população de R. solani AG-1 IA da soja apresenta indicações de estrutura sexual clonal. Duas amostras de isolados de R. solani AG-1 IA da soja obtidas no Maranhão e no Mato Grosso foram utilizadas. Na primeira amostra, foram selecionados isolados apresentando diferentes perfis de RAPD (Random Amplified Polymorphic DNA), procurando maximizar a diversidade dos isolados, e evitando a introdução de possíveis clones no teste. Os isolados foram pareados em todas as combinações possíveis em meio de BDA mais carvão ativado e examinados quanto às interações somáticas resultantes. Seis grupos de incompatibilidade somática (GCS) foram detectados entre 24 isolados do AG-1 IA. Entretanto, análises microscópicas dos pareamentos entre isolados indicaram maior freqüência de incompatibilidade somática, impossibilitando o grupamento em GCS. No geral, a metodologia de avaliação das interações somáticas macroscópicas em meio BDA + carvão ativado, não se mostrou totalmente apropriada para discriminação das categorias de reações de compatibilidade entre isolados de R. solani AG-1 IA. Com a segunda amostra procurou-se determinar a ocorrência de clones na população do patógeno, ou seja, isolados que compartilham o mesmo padrão fenotípico de RAPD e somaticamente compatíveis. No caso de R. solani AG 1 IA da soja, a gama de interações somáticas entre pareamentos de isolados e, principalmente, os desvios na associação estrita entre os GCS detectados neste trabalho, conjuntamente com os perfis de RAPD observados anteriormente por Fenille (11) e Meyer (20), são consistentes com recombinação. Entretanto, o patógeno ainda apresenta um componente clonal expressivo na população. de um total de 43 isolados, os exemplos de prováveis clones na população do patógeno totalizaram 16 isolados.Rhizoctonia solani anastomosis group 1 IA (AG-1 IA) is considered one of the most important pathogens affecting soybean in Brazil, causing the aerial or foliar blight. This disease is associated with the teleomorphase of R. solani AG-1 IA, the basidiomycete fungus Thanatephorus cucumeris. In this study, based on previous knowledge of the biology of R. solani AG-1 IA, two hypotheses were tested. In the first we postulated the occurrence of somatic incompatibility in populations of R. solani AG-1 IA. The second was that the population of R. solani AG1 IA from soybean has a clonal structure. Two population samples of R. solani AG-1 IA from soybean, obtained in Maranhão and Mato Grosso were analyzed. In the first sample, isolates with distinct RAPD (Random Amplified Polymorphic DNA) profile were selected to maximize the genetic diversity of isolates and to avoid the introduction of clones in the assay. The isolates were paired in all possible combinations in PDA plus charcoal medium and examined according to the resulting somatic interactions. Six somatic compatibility groups (SCG) were detected among 24 isolates of AG-1 IA. However, microscopic analyzes of the pairings indicated higher frequency of somatic incompatibility, resulting in the impossibility of grouping any two isolates of R. solani AG-1 IA into SCG. In general, the methodology for evaluating the macroscopic somatic interactions in PDA plus charcoal medium seemed not totally appropriate for discriminating between categories of somatic compatibility amongst isolates of R. solani AG-1 IA. With the second sample of isolates we aimed to determine the occurrence of clones in the population of the pathogen, i.e., isolates that share the same phenotypic RAPD profile and are somatically compatible. Considering the range of somatic interactions between pairings of R. solani AG-1 IA isolates and the deviations of the strict association between the GCS detected and the RAPD profile formerly observed by Fenille (11) and Meyer (20) are consistent with recombination. However, there is evidence for an expressive clonal component in the population. From a total of 43 isolates of R. solani AG-1 IA, 16 were probable clones.Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP

    Similar works

    Full text

    thumbnail-image

    Available Versions