48 research outputs found

    A Teologia em Aristóteles

    Get PDF

    A teologia em Aristóteles

    Get PDF
    In this paper, I propose that the attribution of a theology to Aristotle derives from three main strands, namely (i) the characterization of one of the theoretical philosophies in Metaphysics E1 as a theological philosophy, (ii) the study carried out by Aristotle in book Λ of that work, and (iii) the very title “τὰ μετὰ τὰ φυσικά”. I also emphasize that there are two senses of theology in Aristotle, a positive and a negative one, and I make some observations about the concept of divinity. Finally, I consider that, although part of Metaphysics Λ contains a discussion about god, this does not amount to a theology in the Aristotelian sense.Neste artigo, proponho que a atribuição de uma teologia a Aristóteles deriva de três vertentes principais, a saber, (i) a caracterização de uma das filosofias teóricas em Metafísica E1 como uma filosofia teológica, (ii) o estudo realizado por Aristóteles no livro Λ da obra, e (iii) o próprio título “τὰ μετὰ τὰ φυσικά”. Destaco, além disso, que há dois sentidos do conceito de teologia em Aristóteles, um positivo e um negativo, e faço algumas observações sobre o conceito de divindade. Por fim, considero que, embora parte do livro Λ da Metafísica contenha uma discussão sobre deus, isso não caracteriza uma teologia no sentido aristotélico

    Nota sobre a conjectura de Schwegler em Metafísica E1, 1026a14

    Get PDF
    In this paper I offer some reasons against Albert Schwegler’s conjecture for the text of Metaphysics E1, 1026a14. Schwegler suggested that in 1026a14 the term ἀχώριστα should be replaced with χωριστά or τὰ χωριστά. This conjecture has become predominant and is still accepted by many interpreters. I discuss the reasons given by Schwegler for the correction of the text and try to show that they should be rejected.Neste artigo, ofereço algumas razões contra a conjectura de Albert Schwegler para o texto de Metafísica E1, 1026a14. Schwegler sugeriu que, em 1026a14, o termo ἀχώριστα fosse substituído por χωριστά ou τὰ χωριστά. Essa conjectura passou a ser predominante e é ainda aceita por muitos intérpretes. Eu considero as razões apresentadas por Schwegler para a correção do texto e procuro mostrar que elas não se sustentam

    Sobre o problema da unidade da ciência buscada na Metafísica de Aristóteles

    Get PDF
    Esta pesquisa aborda a tensão entre duas concepções de ciência buscada tradicionalmente associadas à Metafísica de Aristóteles. Enquanto uma concepção é caracterizada como uma ciência que trata universalmente a respeito do ser enquanto ser e é identificada com uma ontologia, a outra concepção é caracterizada como uma ciência de um tipo particular de seres, a saber, os seres imóveis e separados, sendo identificada, por sua vez, com uma teologia. Eu considero brevemente como essas duas concepções foram interpretadas historicamente e proponho que deixemos em suspenso as noções de ontologia e teologia para que analisemos o texto aristotélico através de sua própria terminologia. Analiso, então, como as noções de sabedoria, ciência buscada, ciência do ser enquanto ser e filosofia primeira são caracterizadas na Metafísica e destaco que é possível perceber uma identificação entre elas. Observo, também, que a discussão sobre a possibilidade de os dois projetos de ciência buscada serem realizáveis em um único projeto deve passar pela discussão sobre a unificação do domínio das substâncias, que abrange tanto as substâncias sensíveis quanto as imóveis. Por fim, apresento a hipótese de que Aristóteles possa ter concebido o domínio das substâncias como unificado através de uma relação em série ordenada (τῷ ἐφεξῆς).This research addresses the tension between two conceptions of “the science we are looking for” traditionally associated with Aristotle’s Metaphysics. While one conception is characterized as a science that treats universally with being qua being and it is identified with an ontology, the other conception is characterized as a science of a particular kind of beings, namely, immovable and separate beings, and it is identified, in turn, with a theology. I briefly consider how these two conceptions have been historically interpreted and I propose that we suspend the notions of ontology and theology in order to analyze the Aristotelian text through its own terminology. I then analyze how the notions of wisdom, “the science we are looking for”, science of being qua being and first philosophy are characterized in Metaphysics and I emphasize that it is possible to perceive and identification between them. I also note that the discussion about the possibility of the two projects of “the science we are looking for” being realizable in a single project must go through the discussion about the unification of the domain of substances, which covers both sensible and immovable substances. Finally, I present the hypothesis that Aristotle may have conceived the domain of substances as unified through an ordered series (τῷ ἐφεξῆς)

    Duas práticas de performance de Variationen für Klavier, Op. 27 de Anton Webern : um estudo comparativo de edições e gravações

    Get PDF
    Este artigo investiga duas práticas de performance da obra Variationen für Klavier, Op. 27 de Anton Webern através da comparação de duas edições da obra e da comparação de três gravações realizadas por Peter Stadlen (1948), Yvonne Loriod (1961) e Charles Rosen (1969). Foram comparadas a primeira edição da obra (a edição Urtext de 1937) e a edição Prática elaborada por Peter Stadlen (1979), resultado de sua interação com o compositor durante o período que antecedeu a estreia do Op. 27. Os aspectos estéticos e interpretativos da obra foram considerados a partir dos textos de Stadlen e da literatura recente. Utilizando o software Sonic Visualiser foram mapeadas as flutuações de tempo nas três gravações do Op. 27. Os resultados evidenciaram dois estilos distintos de performance: o estilo pós-guerra (Cook, 2016) de Loriod e Rosen, marcado pela influência da vanguarda de Darmstadt, e o estilo pré-guerra de Stadlen.This paper investigates two performance practices of Anton Webern’s Variationen für Klavier, Op. 27 through a comparison between two editions and three recordings of the work. The first edition (the Urtext edition of 1937) and Stadlen’s practical edition of 1979 were compared in regards to the expressive markings added by the composer and the performer, and interpretive aspects of recent literature as well as Stadlen’s texts were considered. Using the software Sonic Visualiser tempo fluctuations were analysed in the recordings by Peter Stadlen (1948), Yvonne Loriod (1961) and Charles Rosen (1969). The results brought to evidence two contrasting performance styles: the post-war style (Cook, 2016) of Loriod and Rosen, marked by the influence of the Darmstadt avant-garde, and the prewar style of Peter Stadlen

    HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA: PREVALÊNCIA E MECANISMOS FISIOPATOGÊNICOS

    Get PDF
    A prevalência de hipertensão arterial, agravo de saúde com distribuição internacional, também é alta em Porto Alegre. Seus fatores de risco – obesidade, predisposição familiar, consumo abusivo de bebidas alcoólicas – foram encontrados em estudos epidemiológicos conduzidos pela unidade de Hipertensão Arterial, ao lado do risco independente propiciado por baixo nível socioeconômico, um aspecto que merece investigações específicas. A interação entre história familiar de hipertensão arterial e consumo aumentado de cloreto de sódio é um mecanismo fisiopatogênico da doença identificado em modelo experimental e em indivíduos jovens vivendo na comunidade. O consumo abusivo de bebidas alcoólicas pode aumentar a pressão arterial nas fases de depuração do etanol, como se demonstrou, sob condições experimentais, em jovens voluntários normotensos e em indivíduos vivendo em comunidades. Exposições ambientais ao excesso de sal, calorias e álcool explicam grande parte dos casos de hipertensão arterial.Unitermos: Hipertensão arterial, prevalência, mecanismos fisiopatogênicos, álcool, sal, predisposição familia
    corecore