593 research outputs found

    O2/CO2-sensitive cyclic AMP-signalling pathway in peripheral chemoreceptors

    Get PDF
    RESUMO: O corpo carot√≠deo (CB) √© um pequeno √≥rg√£o sens√≠vel a varia√ß√Ķes na PaO2, PaCO2 e pH. As c√©lulas tipo I (c√©lulas gl√≥micas) do corpo carot√≠deo, as unidades sensoriais deste √≥rg√£o, libertam neurotransmissores em resposta √†s varia√ß√Ķes dos gases arteriais. Estes neurotransmissores atuam quer em recetores pr√©-sin√°pticos, localizados nas c√©lulas tipo I, quer em recetores p√≥ssin√°pticos, localizados nas termina√ß√Ķes do nervo do seio carot√≠deo, ou em ambos. A activa√ß√£o dos recetores pr√©-sin√°pticos modula a atividade do corpo carot√≠deo, enquanto que, a activa√ß√£o dos recetores p√≥s-sin√°pticos, de carater excitat√≥rio, desencadeia um aumento da frequ√™ncia de descarga das fibras do CSN, com subsequente despolariza√ß√£o dos neur√≥nios do g√Ęnglio petroso, e posterior despolariza√ß√£o de um grupo espec√≠fico de neur√≥nios do centro respirat√≥rio central, desencadeando, como resposta final, hiperventila√ß√£o. Estes recetores pr√©- e p√≥s-sin√°pticos podem ser classificados em ionotr√≥picos ou metabotr√≥picos, estando os √ļltimos acoplados a adenilatos ciclases transmembranares (tmAC). O mecanismo exato pelo qual as varia√ß√Ķes dos gases arteriais s√£o detetadas pelo CB n√£o se encontra ainda completamente elucidado, mas tem sido sugerido que altera√ß√Ķes nos n√≠veis de cAMP estejam associadas ao mecanismo de dete√ß√£o de varia√ß√Ķes de O2 e CO2. Os n√≠veis de cAMP podem ser regulados atrav√©s da sua via de s√≠ntese, mediada por dois tipos de adenilatos ciclases: tmAC sens√≠vel aos eurotransmissores e adenilato ciclase sol√ļvel (sAC)sens√≠vel a varia√ß√Ķes de HCO3/CO2, e pela sua via de degrada√ß√£o mediada por fosfodiesterases. A via de degrada√ß√£o do cAMP pode ser manipulada farmacologicamente, funcionando enquanto alvo terap√™utico para o tratamento de patologias do foro respirat√≥rio (e.g. asma, hipertens√£o pulmonar, doen√ßa pulmonar obstructiva cr√≥nica e apneia do sono), que induzem um aumento da actividade do CB.O trabalho descrito nesta disserta√ß√£o partiu da hip√≥tese de que a actividade do CB √© manipulada por f√°rmacos, que interferem com a via de sinaliza√ß√£o do cAMP, tendo sido nosso objectivo geral, investigar o papel do cAMP na quimiotransdu√ß√£o do CB de rato, e determinar se a actividade dos enzimas respons√°veis pela via de sinaliza√ß√£o do cAMP √© ou n√£o regulada por varia√ß√Ķes de O2/CO2. Assim, a relev√Ęncia deste trabalho √© a de estudar e identificar poss√≠veis alvos moleculares (sAC, isoformas de tmAC e PDE) com potencial para serem usados no tratamento de patologias relacionadas com o controlo respirat√≥rio. A primeira parte do presente trabalho, centrou-se na caracteriza√ß√£o farmacol√≥gica da PDE4 no CB e em tecidos n√£o quimiorecetores (e.g. g√Ęnglio cervical superior e art√©rias car√≥tidas), e na observa√ß√£o do efeito de hip√≥xia aguda na acumula√ß√£o dos n√≠veis de cAMP, induzidos pelos inibidores de PDE, nestes tecidos. A quantifica√ß√£o de cAMP foi efectuada por t√©cnica imunoenzim√°tica (EIA), tendo sido elaboradas curvas de dose-resposta para os efeitos de inibidores, n√£o espec√≠ficos (IBMX) e espec√≠ficos para a PDE2 e PDE4 (EHNA, Rolipram e Ro 20-1724), nos n√≠veis de cAMP acumulados, em situa√ß√Ķes de norm√≥xia (20%O2/5%CO2) e hip√≥xia (5%O2/5%CO2). A caracteriza√ß√£o das PDE no g√Ęnglio cervical superior foi aprofundada, utilizando-se a t√©cnica de transfer√™ncia de energia de resson√Ęncia por fluoresc√™ncia (FRET) em culturas prim√°rias de neur√≥nios, na presen√ßa de inibidores n√£o espec√≠ficos (IBMX) e espec√≠ficos para a PDE3 e PDE4 (milrinone e rolipram, respetivamente). Foram igualmente estudadas, atrav√©s de RT-qPCR, as altera√ß√Ķes na express√£o de PDE3A-B e PDE4A-D, no g√Ęnglio cervical superior, em resposta a diferentes percentagens de oxig√©nio. Na segunda parte do trabalho investigou-se a via de s√≠ntese do cAMP no CB em resposta a varia√ß√Ķes na concentra√ß√£o de HCO3/CO2. Em concreto, o protocolo experimental centrou-se na caracteriza√ß√£o da sAC, dado que a sua actividade √© regulada por varia√ß√Ķes de HCO3/CO2. A caracteriza√ß√£o da express√£o e regula√ß√£o da sAC, em resposta a varia√ß√Ķes de HCO3/CO2 ,foi efectuada no CB e em tecidos n√£o quimioreceptores perif√©ricos (e.g. g√Ęnglio cervical superior, petroso e nodoso) por qRT-PCR. A actividade deste enzima foi caracterizada indirectamente atrav√©s da quantifica√ß√£o dos n√≠veis de cAMP (quantifica√ß√£o por EIA), induzidos por diferentes concentra√ß√Ķes de HCO3/CO2, na presen√ßa de MDL-12,33-A, um inibidore da tmAC. A express√£o das isoformas da tmAC no CB e g√Ęnglio petroso foi determinada por RT-qPCR. Adicionalmente, estud√°mos a contribui√ß√£o relativa da tmAC e sAC no mecanismo de sensibilidade ao CO2 no CB. Para o efeito foram estudadas as altera√ß√Ķes: 1) nos n√≠veis de cAMP (quantificado por EIA) na presen√ßa de diferentes concentra√ß√Ķes de HCO3/CO2 e ao longo do tempo (5-30 min); 2) na ativa√ß√£o da prote√≠na cinase A (PKA, FRET baseado em sensores) em c√©lulas tipo I do CB; e 3) na frequ√™ncia de descarga do CSN (registos) na presen√ßa e aus√™ncia de ativadores e inibidores da sAC,tmAC e PKA. Por √ļltimo, foi caracterizada a express√£o e actividade da sAC nos quimioreceptors centrais (locus ceruleus, rafe e medula ventro-lateral) atrav√©s de t√©cnicas de RT-qPCR e EIA. A express√£o das isoformas da tmAC foi aprofundada no locus coeruleus atrav√©s de RT-qPCR. Por fim, compar√°mos a contribui√ß√£o da tmAC e sAC nos n√≠veis de cAMP no locus coeruleus em condi√ß√Ķes de normocapnia e hipercapnia.O nosso trabalho teve os seguintes resultados principais: 1) PDE4 est√° funcional no corpo carot√≠deo, art√©rias car√≥tidas e g√Ęnglio cervical superior de rato, embora a PDE2 s√≥ se encontre funcional neste √ļltimo; 2) Os efeitos dos inibidores de PDE nos n√≠veis de acumula√ß√£o de cAMP foram exacerbados em situa√ß√Ķes de hip√≥xia aguda no CB e art√©rias car√≥tidas, mas foram atenuados no g√Ęnglio cervical superior; 3) No g√Ęnglio cervical superior, diferentes tipos de c√©lulas apresentaram uma caracteriza√ß√£o espec√≠fica de PDEs, sugerindo uma subpopula√ß√£o de c√©lulas neste g√Ęnglio com fun√ß√Ķes fisiol√≥gicas distintas; 4) Embora todas as isoformas de PDE4 e PDE3 estivessem presentes no g√Ęnglio, a PDE3a, PDE4b e a PDE4d foram as isoformas mais expressas. Por outro lado, incuba√ß√Ķes de g√Ęnglio cervical superior, em diferentes percentagens de oxig√©nio, n√£o alteraram (n√£o regularam) significativamente a express√£o das diferentes isoformas de PDE neste √≥rg√£o; 5) a sAC encontra-se expressa e funcional no CB e nos quimiorecetores centrais estudados (locus coeruleus, rafe e medula ventrolateral). A sAC apresenta maior express√£o no CB comparativamente aos restantes org√£os estudados, exceptuando os test√≠culos, org√£o controlo. Varia√ß√Ķes de HCO3/CO2 de 0/0 para 24/5 aumentaram os n√≠veis de cAMP no CB e quimiorecetores centrais, tendo sido o aumento mais significativo observado no CB. Concentra√ß√Ķes acima dos 24mM HCO3/5%CO2 n√£o induziram altera√ß√Ķes nos n√≠veis de cAMP, sugerindo que a actividade da sAC se encontra saturada em condi√ß√Ķes fisiol√≥gicas (normocapnia) e que este enzima n√£o desempenha qualquer papel na dete√ß√£o de situa√ß√Ķes de hipercapnia; 6) No CB, a express√£o das isoformas tmAC1, tmAC4, tmAC6 e tmAC9 √© mais elevada comparativamente √† express√£o da sAC; 7) Utilizamos diferentes inibidores da tmAC (MDL 12-330A, 500őľM, 2‚Äô5‚Äô-ddADO, 30-300őľM, SQ 22536, 200őľM) e da sAC (KH7, 10-100őľM) para estudar a contribui√ß√£o relativa destes enzimas na acumula√ß√£o do cAMP no CB. Tanto a tmAC como a sAC contribuem para a acumula√ß√£o dos n√≠veis de cAMP em condi√ß√Ķes de hipercapnia. Contudo, existe um maior efeito destes inibidores nas condi√ß√Ķes de 12 mM HCO3/2.5%CO2 do que em condi√ß√Ķes de normocapnia e hipercapnia, sugerindo um papel relevante destes enzimas na atividade do CB em situa√ß√Ķes de hipocapnia; 8) N√£o se observaram varia√ß√Ķes nos n√≠veis de cAMP em resposta a diferentes concentra√ß√Ķes de HCO3/CO2 ao longo do tempo (5-30 min). O efeito inibit√≥rio induzido por ddADO e KH7 foi sobrepon√≠vel ap√≥s 5 ou 30 minutos de incuba√ß√£o em todas as concentra√ß√Ķes de HCO3/CO2 estudadas; 9) Por √ļltimo, verificou-se um aumento na frequ√™ncia da descarga do nervo do seio carot√≠deo entre as condi√ß√Ķes de normocapnia e hipercapnia ac√≠dica. Ao contr√°rio do KH7 (10őľM), o 2‚Äô5‚Äô-ddADO reduziu significativamente a frequ√™ncia de descarga do nervo, quer em condi√ß√Ķes de normocapnia quer de hipercapnia ac√≠dica. Contudo, n√£o se verificou aumento na frequ√™ncia de descarga do nervo entre normocapnia e hipercapnia isoh√≠drica, sugerindo que a sensibilidade √† hipercapnia no CB √© mediada por varia√ß√Ķes de pH. Em conclus√£o, os resultados decorrentes deste trabalho permitiram demonstrar que, embora os enzimas que medeiam a via de sinaliza√ß√£o do cAMP possam ser bons alvos terap√™uticos em condi√ß√Ķes particulares, a sua actividade n√£o √© espec√≠fica para o CB. Os resultados sugerem ainda que o cAMP n√£o √© um mediador espec√≠fico da transdu√ß√£o √† hipercapnia neste org√£o. Contudo, os nossos resultados demonstraram que os n√≠veis de cAMP s√£o mais elevados em condi√ß√Ķes fisiol√≥gicas, o que sugere que o cAMP possa ter uma fun√ß√£o homeost√°tica neste org√£o. Por √ļltimo, o presente trabalho demonstrou que os aumentos de cAMP descritos por outros em condi√ß√Ķes de hipercapnia, n√£o s√£o observ√°veis quando o pH se encontra controlado. ------------------ ABSTRACT: The work presented in this dissertation was aimed to establish how specific is cAMP-signaling pathways in the CB mainly in different CO2 conditions and how O2 concentrations alter/drives the manipulation of cAMP signaling in the CB. The experimental studies included in this thesis sought to investigate the role of cAMP in the rat CB chemotransduction mechanisms and to determine whether the enzymes that participate in cAMP signal transduction in the CB are regulated by O2/CO2. We characterized the enzymes involved in the cAMP-signaling pathway in the CB (sAC, tmAC, PDE) under different O2/CO2 conditions. Our results demonstrated that many of these enzymes are involved in CO2/O2 sensing and while they may be useful in treating conditions with alterations in CO2/O2 sensing,they will not be specific to chemoreception within the CB: 1) PDE4 is ubiquitously expressed in CB and non-chemoreceptor related tissues and their affinity to inhibitors change with O2 tensions in both CB and carotid arteries, and 2) sAC and tmAC are expressed in peripheral and central chemo- and non-chemoreceptor tissues and their effect on cAMP levels do not change between normocapnic and isohydric hypercapnic conditions. Our results provide evidence against a specific role of cAMP as a mediator for O2 and CO2 chemotransduction in the rat CB and emphasized the role of pH in CO2 sensitivity of the CB. Furthermore, our results demonstrate that cAMP levels are maintained higher under physiological conditions, supporting recent finding from our lab, which all together suggests that cAMP has a homeostatic function in this organ

    ‚ÄėThoruth England yede the speche, (‚Ķ) he was strong and ek meke‚Äô: shaping heroism, kingship and identity in Havelok the Dane

    Get PDF
    ‚ÄúRomance is a notoriously slippery category,‚ÄĚ warns Barbara Fuchs in the introduction to her work Romance (1). In fact, romance has been a source of debate for scholars and while today medieval romance is viewed as ‚Äúthe principal secular literature of entertainment in the Middle Ages‚ÄĚ (Pearsall, ‚ÄúAudience‚ÄĚ 37), the most popular ‚Äúin its capacity to attract a large and heterogeneous medieval audience‚ÄĚ (McDonald 2) as well as ‚Äúthe dominant non-devotional genre‚ÄĚ (Chism 57) of the period, Middle English (ME) romances in particular have been called the ‚Äúugly ducklings of medieval English studies‚ÄĚ (Knight 99). Starting off by examining issues of classification, authorship, performance, audience, language, verse and form, as well as themes and motifs, this thesis seeks to focus on ME romance, namely the so-called popular ones, that have for long been regarded as less worthy of consideration. Our goal is to analyse what characteristics differentiate this set of texts from those belonging to other medieval literary traditions. Furthermore, because our interest also lies in exploring notions of heroism in the medieval period, special attention is paid to the figure of the hero and its many guises. Granting that ME romances are narratives that involve ‚Äúsomebody doing something,‚ÄĚ and that ‚Äúthe somebody, if an individual, is the hero‚ÄĚ (Frye, Anatomy 33), we propose that to discuss medieval romance implies examining the hero, a figure who embodies the values of his people, thereby providing a useful index of its ideals (Bolgar 120) and beliefs. It is through the analysis of heroism and how it is represented and conceptualised, namely in the ME romance Havelok the Dane, that we seek to understand how the English community began to imagine its identity in post-Conquest England. We will also argue that as fictionalisations of the past, romances can open a literary discursive space wherein England as a nation could be imagined and articulated.O Romance √© uma categoria incerta, avisa Barbara Fuchs na introdu√ß√£o ao trabalho Romance (1). De facto, o romance tem sido discutido por cr√≠ticos e estudiosos e embora hoje o romance medieval seja encarado como o principal g√©nero liter√°rio de entertenimento secular (Pearsall, ‚ÄúAudience‚ÄĚ 37), o mais popular ao atrair um p√ļblico vasto e heter√≥geneo (McDonald 2) e a forma liter√°ria predominante no campo da produ√ß√£o n√£o-devocional (Chism 57) do per√≠odo, os romances medievais em ingl√™s m√©dio (IM) em particular foram considerados por Stephen Knight como os ‚Äúpatinhos feios‚ÄĚ dos estudos medievais ingleses (99). Atendendo a estas ideias e partindo de uma primeira abordagem que procura estabelecer um contexto te√≥rico que, por sua vez, permita definir e compreender as origens, desenvolvimento e conceptualiza√ß√£o do romance na Idade M√©dia, esta tese ir√° focar-se no romance escrito em IM, nomeadamente no conjunto de textos designados por ‚Äúpopulares‚ÄĚ que, durante d√©cadas, foram considerados menores. As raz√Ķes que levaram cr√≠ticos e acad√©micos a encarar este conjunto de textos com alguma inc√ļria s√£o variadas e ser√£o exploradas ao longo deste estudo. Contudo, parece-nos claro que um dos principais motivos para a desconsidera√ß√£o e, por vezes, at√© desd√©m (com autores como Thomas Percy a chamar a este conjunto de narrativas ‚Äúprodu√ß√Ķes pouco art√≠sticas‚ÄĚ e ‚Äúpoemas obsoletos‚ÄĚ (5)) com que o romance popular em IM tem sido encarado est√° relacionado com o facto de encontrarmos em territ√≥rio insular uma tradi√ß√£o diferente que n√£o partilha necessariamente os temas, motivos e formas do romance continental. Com efeito, o romance popular em IM apresenta v√°rios desafios √† academia contempor√Ęnea incluindo: que textos podem ser abrangidos por esta designa√ß√£o; o que nos revelam estas narrativas sobre o per√≠odo; quem as produziu e para quem; como podem ser interpretadas, entre outros. Assim, e apesar de podermos abordar este conjunto de textos a partir de uma pluralidade de perspectivas, um dos elementos que mais nos interessou explorar foi a representa√ß√£o de hero√≠smo e a sua rela√ß√£o com dois conceitos-chave: soberania e identidade no romance popular medieval, em particular no poema an√īnimo Havelok the Dane. Escrito em Northern Midlands e datado de cerca de 1280-90, o romance em IM Havelok the Dane est√° preservado quase integralmente num √ļnico manuscrito, o Bodleian Library, Oxford, MS Laud Miscellaneous 108 (MS Laud Misc. 108). Pouco se sabe sobre a produ√ß√£o, escrita e finalidade desta obra antes de 1633, mas a maioria dos cr√≠ticos concorda que ter√° come√ßado a ser compilada nos finais do s√©culo XIII (Bell e Couch 1) o que faz de Havelok the Dane um dos primeiros romances escritos em IM de que h√° registo. Preservado num manuscrito profundamente hagiogr√°fico, onde o √ļnico outro romance, tamb√©m an√īnimo, √© King Horn (finais do s√©culo XIII), Havelok the Dane relata as (des)venturas de dois protagonistas: Havelok, filho do rei Birkabeyn da Dinamarca e √ļnico sucessor leg√≠timo ao trono dinamarqu√™s, e Goldeboru, filha do soberano de Inglaterra, Athelwold, e herdeira da coroa inglesa. Acompanhando a inf√Ęncia, juventude, casamento e eventual ascens√£o ao poder das personagens principais, mas dando maior relevo ao her√≥i masculino, o narrador-poeta segue a estrutura frequentemente encontrada noutros romances populares em IM: o(s) protagonista(s), depois de ser(em) injustamente exilado(s), tem(t√™m) de reaver a(s) sua(s) terra(s), posi√ß√£o social e restabelecer a ordem na(s) sua(s) comunidade(s). Do mesmo modo, Havelok the Dane recorre a temas (como, por exemplo, a import√Ęncia da lei ou a jornada do her√≥i) e motivos (separa√ß√£o e reuni√£o, viagens por mar, a vingan√ßa, entre outros) bem como a formas tipicamente associadas ao romance popular em IM. Contudo, como recorda Daniel M. Murtaugh, Havelok the Dane: is not primarily an adventure nor a series of adventures; it is first and foremost an idealized biography cast in the form of a tale of action. The biography concentrates, not on the most exciting moments of Havelok‚Äôs life, but rather on those episodes which delineate most clearly the poet‚Äôs conception of the ideal king. (613) Conforme o excerto acima atesta, ao contr√°rio do que por norma encontramos no romance de cavalaria medieval, Havelok the Dane n√£o se foca nas aventuras de um protagonista em busca de gl√≥ria, fama ou em defesa de um ideal, mas sim no percurso de um her√≥i que se tornar√° no rei ideal de dois espa√ßos: Inglaterra e Dinamarca. Descrito por Herzman, et al., como uma met√°fora para a realeza (75), Havelok vai gradualmente personificar a figura do monarca ideal, o rex pacificus, cujo reinado inaugura um per√≠odo de paz, fecundidade e riqueza, em particular em Inglaterra. Por conseguinte, Havelok n√£o incorpora apenas todas as qualidades associadas ao her√≥i cavaleiresco, ele √© tamb√©m o bom soberano porque, por um lado, tem um direito leg√≠timo e quase-divino, como iremos provar, ao(s) trono(s) e, por outro, porque a sua bondade e santidade s√£o apenas ultrapassadas pelo amor que sente pelos dois reinos que governa e pelos povos que eles integram. Este ponto, iremos discutir, √© de especial interesse para a nossa leitura do texto uma vez que o narrador-poeta nos parece empenhado em delinear e delimitar pol√≠tica, econ√≥mica, legal e culturalmente Inglaterra e Dinamarca, sempre com √™nfase na primeira. Talvez por isso Havelok the Dane seja considerado um dos romances em IM que expressa uma comunidade pol√≠tica imaginada, participando no que Diana Speed proclamou ser o discurso da na√ß√£o (145), nos finais do s√©culo XIII e in√≠cios do s√©culo XIV. Esta tese procura mostrar como este romance em IM participa neste discurso atrav√©s da utiliza√ß√£o de estrat√©gias liter√°rias inclusivas e exclusivas que servem, em √ļltima inst√Ęncia, para estabelecer e consolidar a identidade her√≥ica de Havelok e, por analogia, a identidade da na√ß√£o inglesa descrita no poema. Identidade √©, por esse motivo, um conceito importante no presente trabalho j√° que nos parece que a identidade inglesa, em particular a das comunidades que se estabeleceram nas zonas de √ānglia oriental e Linconshire, √© de grande interesse para o narrador-poeta. De facto, embora concordemos que Havelok se posiona entre duas identidades, a inglesa e a dinamarquesa, e √© precisamente esse enquadramento sociocultural (Faletra 371) que lhe permite, por um lado, integrar as duas comunidades e, por outro, facilitar a sua uni√£o, cremos que o desenvolvimento de uma identidade de grupo (nacional) ‚Äď ligada ao passado Anglo-Sax√£o e, ao mesmo tempo, √†s povoa√ß√Ķes oriundas do norte da Europa que se estabeleceram em territ√≥rio ingl√™s ‚Äď √© um elemento-chave neste texto. Esta identidade, iremos defender, √© expressa e constru√≠da por interm√©dio de uma personagem principal muito peculiar, Havelok, cujas caracter√≠sticas f√≠sicas, psicol√≥gicas, emocionais e at√© √©tnicas contribuem para que se distinga das restantes personagens. O hero√≠smo por este demonstrado e o modo como Havelok √© representado e conceptualizado permite-nos compreender melhor como a na√ß√£o inglesa come√ßa a imaginar a sua identidade num per√≠odo p√≥s-Conquista Normanda e de crescente separa√ß√£o da Europa continental, nomeadamente de Fran√ßa. Al√©m disso, o pr√≥prio manuscrito, cujo tom nacionalista j√° foi apontado por outros estudiosos (Turville-Petre, England the Nation; Bell and Couch; entre outros), parece confirmar que Havelok the Dane partilha as mesmas preocupa√ß√Ķes que os restantes textos nele inclu√≠dos. Possivelmente por isso, Kimberly K. Bell e Julie Nelson Couch consideram o MS Laud Misc. 108 uma antologia particularmente √ļtil para melhor compreeder a cultura inglesa no per√≠odo da Baixa Idade M√©dia (18). Tendo em mente estes pontos e metas, a presente tese encontra-se dividida em cinco cap√≠tulos com objectivos diferentes, mas interligados. Num primeiro momento, cap√≠tulo 1, ‚ÄúOn Romance: From Romanz to Romance‚ÄĚ, procura-se perceber a import√Ęncia do romance medieval atendendo ao contexto liter√°rio, cultural e hist√≥rico em que foi produzido. Al√©m disso, embora n√£o tenha como prop√≥sito apresentar uma investiga√ß√£o sobre o romance nos s√©culos que antecedem e sucedem o per√≠odo actualmente denominado por Idade M√©dia, tentar-se-√° chegar a uma defini√ß√£o que nos permita compreender n√£o s√≥ que narrativas podem ser consideradas romances em IM, mas tamb√©m perceber como e porque √© o romance em Inglaterra d√≠spar do romance em Fran√ßa, It√°lia, Espanha (Furrow 71) ou Portugal. Num segundo momento, cap√≠tulo 2, ‚Äú‚ÄėWhat‚Äôs the Matter?‚Äô: Middle English Romance and the Matters of Britain and England‚ÄĚ, iremos analisar quest√Ķes de classifica√ß√£o, autoria, performance, p√ļblico, l√≠ngua, verso e forma assim como os temas e motivos associados a um conjunto de textos cujas preocupa√ß√Ķes parecem mais focadas nos aspectos fundamentais da exist√™ncia humana (Field, ‚ÄúPopular Romance‚ÄĚ 29). O objectivo √© elancar e analisar as caracter√≠sticas que contribuem para distinguir estas narrativas ‚Äď os romances populares em IM ‚Äď daquelas pertencentes a outras tradi√ß√Ķes liter√°rias, nomeadamente √† Mat√©ria da Bretanha, desde o s√©culo XII em particular, mas n√£o exclusivamente. Os primeiros dois cap√≠tulos servem, por isso, para estabelecer uma base te√≥rica que, esperamos, ir√° permitir compreender como o romance ajudou, por um lado, a conceber e promover um novo sistema de valores e comportamentos ideais e, por outro, contribuiu de forma consider√°vel para a constru√ß√£o de uma figura her√≥ica que marcou o per√≠odo medieval: o cavaleiro. A personagem do her√≥i dos romances de cavalaria medievais tem seduzido acad√©micos (Aertsen; Ashe ‚ÄúThe Hero‚ÄĚ; Bloomfield; Bolgar; Cartlidge, ‚ÄúIntroduction‚ÄĚ Heroes; Connell; Couch; Eckert, ‚ÄúThe Redemptive Hero‚ÄĚ; Hupp√©; Keyes; Lowrey; Rouse ‚ÄúCrusaders‚ÄĚ; Varandas ‚ÄúO Rosto do Her√≥i‚ÄĚ; entre outros) e o p√ļblico em geral. De facto, e de acordo com Northorp Frye em The Anatomy of Criticism (1957), na literatura o enredo gira em torno de algu√©m que faz alguma coisa (‚Äúthe plot consists of somebody doing something‚ÄĚ) e esse algu√©m, se for um indiv√≠duo, √© o her√≥i (Frye, Anatomy 33). Assim, neste estudo propomos que o debate em torno do romance, neste caso do romance medieval em geral, implica sempre uma an√°lise do her√≥i que se distingue ‚Äúpela coragem, temeridade e intrepidez, pela obedi√™ncia a um c√≥digo de valores que exalta um car√°cter justo e leal, bem como um comportamento altru√≠sta na defesa de um senhor, comunidade ou territ√≥rio e na manuten√ß√£o e demanda de ideais de paz e de justi√ßa‚ÄĚ (Varandas, ‚ÄúRosto‚ÄĚ 29). O her√≥i do romance cavaleiresco desempenha ainda um papel fundamental na defesa dos ideais da sociedade a que pertence n√£o s√≥ porque se comporta de acordo com estes que, por sua vez, s√£o reiterados e definidos ao longo da narrativa atrav√©s das v√°rias (des)venturas e testes que o her√≥i deve ultrapassar (Richmond 17), mas tamb√©m porque o her√≥i acaba por frequentemente personificar estes ideais. Por este motivo, o her√≥i √© interpretado como um elemento crucial num trabalho de fic√ß√£o ‚Äď da√≠ que a hist√≥ria comece com o her√≥i (Keyes 50) ‚Äď e uma personagem indispens√°vel para a compreens√£o de uma cultura e da sua hist√≥ria pois serve para nos mostrar que caracter√≠sticas e comportamentos s√£o encarados como ideais pelo p√ļblico, providenciado um cat√°logo particularmente √ļtil dos valores e princ√≠pios de cada per√≠odo (Bolgar 120). Embora tradicionalmente o her√≥i possa ser um guerreiro, nobre e/ou cavaleiro, sugerimos, tal como advogado por Helen Cooper na obra de refer√™ncia The English Romance in Time. Transforming motifs from Geoffrey of Monmouth to the Death of Shakespeare, que ao longo dos primeiros quatro s√©culos desde o seu aparecimento, sensivelmente a meio do s√©culo XII, nas cortes reais francesa e inglesa, o romance √© insepar√°vel dos ideais de cavalaria e do seu representante m√°ximo, o cavaleiro. Assim, se o protagonista ainda n√£o foi adubado cavaleiro aquando do in√≠cio da narrativa, esta ir√° focar-se na sua educa√ß√£o e nas aventuras que lhe permitem ser digno do t√≠tulo de cavaleiro (Cooper, English Romance 41). Consequentemente, o terceiro cap√≠tulo da presente tese, ‚Äú‚ÄėIsn‚Äôt There a White Knight upon a Fiery Steed?‚Äô: The Knight in the European Middle Ages‚ÄĚ, √© dedicado √† evolu√ß√£o do guerreiro a cavalo. O cavaleiro ‚Äď figura que marcou a Idade M√©dia europeia e formou uma das tr√™s ordens distinguidas no s√©culo XI por Adalber√£o, Bispo de Laon, no PoeŐÄme au Roi Robert (le Pieux) (c. 1030), os bellatores ‚Äď vai fazer convergir sobre si pr√≥prio elementos inesperados e at√© mesmo aparentemente contradit√≥rios como a cortesia, a coragem, a honra e a nobreza, bem como a for√ßa bruta, a agress√£o e a autoridade militar. Apesar dos prop√≥sitos destes guerreiros montados n√£o serem sempre claros ao longo dos 1000 anos que perfazem a Idade M√©dia, tendo, por isso, sido apelidados por autores como Richard Barber de camale√≥nicos (The Knight and Chivalry 21), o cavaleiro foi consistentemente associado pelos autores medievais a ideais de hero√≠smo. Por conseguinte, o terceiro cap√≠tulo tenta tra√ßar a evolu√ß√£o do guerreiro a cavalo para compreender porque foi este grupo associado a conceitos de heroicidade praticamente desde a sua forma√ß√£o. Pretendemos ainda demonstrar como o romance ajudou a dar forma e a promover um novo sistema de valores e comportamentos, chamado cortesia, que prevaleceu no seio de uma esfera social associadada, por norma, √†s cortes. Relacionados com a franqueza, companheirismo, amizade, pureza e compaix√£o, os ideais corteses s√£o tamb√©m de grande import√Ęncia ao promoverem a harmonia e seguran√ßa da sociedade em tempos de paz. Por seu lado, o romance, por ser um espa√ßo ficcional priveligiado e isento de constrangimentos, teve uma posi√ß√£o priveligiada na constru√ß√£o, representa√ß√£o e divulga√ß√£o deste mesmo sistema durante a Idade M√©dia. Al√©m disso, acreditamos que o romance contribuiu de modo significativo para a forma como a figura do her√≥i foi imaginada e enaltecida ao assimilar ideais hero√≠cos, religiosos e corteses e canaliz√°-los, adequadamente seleccionados, refor√ßados e/ou amplificados, para a esfera da cavalaria (Kaeuper, Holy Warriors 94). Todavia, porque esta tese se foca em romances populares em IM, √© crucial percebermos que embora os protagonistas destes textos partilhem caracter√≠sticas com os her√≥is do romance cavaleiresco, nomeadamente o Arturiano, os primeiros t√™m um conjunto de qualidades que os distinguem. O quarto cap√≠tulo, ‚Äú‚ÄėHe Stood Above All‚Äô: Champions, Heroes and Kings in Medieval English Romance‚ÄĚ, ser√° devotado √† an√°lise de representa√ß√Ķes de hero√≠smo no romance medieval, servindo para comparar e contrap√īr aquelas que nos parecem ser duas tradi√ß√Ķes distintas mas concomitantes: a da Mat√©ria da Bretanha, desenvolvida maioritariamente na Europa continental mas tamb√©m presente em territ√≥rio insular, e a do romance popular em IM, tendo especial aten√ß√£o ao romance Havelok the Dane e ao her√≥i que nos √© a√≠ apresentado. Por fim, o quinto e √ļltimo cap√≠tulo, ‚Äú(Re)Shaping Heroism, Kingship and Identity in Havelok the Dane‚ÄĚ, come√ßa por fazer uma an√°lise do manuscrito onde o texto se encontra, o MS Laud Misc. 108, para depois se focar nas duas fontes escritas que antecedem o romance em IM, um epis√≥dio na cr√≥nica L‚ÄôEstoire des Engleis (c. 1130-35) de Geoffrey Gaimar e Lai d‚ÄôHaveloc de autor an√≥nimo (c. finais do s√©culo XII a in√≠cios do s√©culo XIII), e, por fim, analisar o poema em IM. Neste √ļltimo momento, pretendemos mostrar que o romance Havelok the Dane oferece aos seus leitores e/ou p√ļblico uma narrativa absolutamente inglesa (‚Äúwholly English‚ÄĚ, Skeat iv) onde o her√≥i e a comunidade por si representada, isto √©, os que n√£o t√™m ascend√™ncia anglo-sax√≥nica, mas escandinava e que tamb√©m fazem parte do tecido da na√ß√£o (Tracy 149), s√£o integrados numa vis√£o unit√°ria de uma comunidade pol√≠tica imaginada

    Lançamento da marca - Quem disse, Berenice? - em Portugal

    Get PDF
    Num mercado cada vez mais competitivo e global, torna-se um desafio di√°rio as empresas conseguirem crescer e sobreviver. O pr√≥prio consumidor tem acesso a um n√≠vel de informa√ß√£o mais privilegiado, conseguindo-a atrav√©s de um simples telem√≥vel ou pesquisa na internet. O facto de o mercado ser t√£o din√Ęmico e das marcas terem que diversificar o seu neg√≥cio, faz com que a concorr√™ncia j√° n√£o seja unicamente no dentro do mesmo sector, existindo entrada de novos players vindos de mercados completamente opostos e imprevis√≠veis. Assim sendo, o consumidor disp√Ķe de uma variad√≠ssima escolha, sendo mais cr√≠tico na sele√ß√£o e podendo assim fazer cada vez mais exig√™ncias √†s marcas. Desta forma, √© hoje um desafio as marcas tornarem-se competitivas e diferenciadas, tendo muitas vezes que ampliar o seu portf√≥lio, a oferta da natureza dos seus produtos ou arriscando-se em novos mercados de maneira a conseguirem agregar mais clientes. Sendo assim, muitas marcas optam pela internacionaliza√ß√£o dos seus neg√≥cios, pois conseguem aumentar as suas receitas, ampliar a sua notoriedade e atingir mais consumidores com os seus produtos/servi√ßos. Contudo, essa internacionaliza√ß√£o implica uma adapta√ß√£o do modelo do neg√≥cio ao pa√≠s de destino. √Č por isso necess√°rio fazer altera√ß√Ķes operacionais no marketing-mix das marcas, maioritariamente em termos de comunica√ß√£o, ponto de venda e recursos humanos, sempre tendo em conta a concorr√™ncia existente e poss√≠veis limita√ß√Ķes monet√°rias. S√≥ assim, ser√° poss√≠vel entrar num mercado novo com vantagens competitivas e diferencial relativamente ao que j√° √© existente.In an increasingly competitive and global market, it becomes a daily challenge for companies to grow and survive. The consumer himself has access to a more privileged level of information, obtaining it through a simple phone or Internet search. The fact that the market is so dinamic and the brands have to diversify their business, means that competition is no longer only within the same sector, existing the entry of new players coming from completely opposite and unpredictable markets. Thus, the consumer has a wide choice, being more critical in the decision and can thus make more and more demands on the brands. In this way, it is now a challenge for brands to become competitive and differentiated, often having to expand their portfolio, the offer of diferente type of products or risk new markets in order to aggregate more customers. Therefore, many brands opt for the internationalization of their businesses, as they are able to increase their revenues, increase their awareness and reach more consumers with their products / services. However, this internationalization implies an adaptation of the business model to the country of destination. It is therefore necessary to make operational changes in the marketing-mix of brands, mainly in terms of communication, point of sale and human resources, always considering the existing competition and possible monetary constraints. Only in this way will it be possible to enter on a new market with competitive advantages and differential with what already exists

    GreenFix¬ģ: avalia√ß√£o da morfologia em tecido mam√°rio

    Get PDF
    Na √ļltima d√©cada t√™m desenvolvido fixadores para substitui√ß√£o do formol que √© t√≥xico para o homem. O principal objectivo foi avaliar microscopicamente a histomorfologia e as caracter√≠sticas tintoriais de tecido mam√°rio fixado em GreenFix¬ģ, durante 24 e 72 horas, comparativamente ao fixado em formol, atrav√©s da colora√ß√£o de Hematoxilina-Eosina. Uma an√°lise global da histomorfologia revelou existir uma diferen√ßa estatisticamente significativa entre a fixa√ß√£o pelo GreenFix¬ģ e pelo formol (p=0,050), tendo-se registado uma melhoria da colora√ß√£o e detalhe nuclear nos tecidos fixados com GreenFix¬ģ durante 24 (p=0,007) ou 72 horas(p=0,024). O GreenFix¬ģ √© um potencial substituto do formol na rotina histol√≥gica.In the last decade fixatives to substitute the formaldehyde - that is toxic for man ‚Äď have been developed. The main goal was to evaluate the morphology and histological dyeing features of breast tissue fixed by GreenFix¬ģ during 24 and 72 hours comparing to those fixed by formaldehyde, through hematoxylin-Eosin staining. A global analysis of histomorphology showed statistically significant difference between GreenFix¬ģ and formaldehyde fixation (p=0,050). An improvement on nuclear detail and staining was achieved by GreenFix¬ģ fixation during 24 (p=0,007) or 72 hours (p=0,024). The GreenFix¬ģ is a potential substitute of formaldehyde for histological routine

    A import√Ęncia das solu√ß√Ķes irrigadoras na endodontia: compara√ß√£o entre Hipoclorito de S√≥dio e a Clorohexidina

    Get PDF
    O objectivo do tratamento endod√īntico consiste na elimina√ß√£o das bact√©rias e dos seus metabolitos presentes nos canais radiculares de dentes com patologia pulpar e periapical assim como do tecido necr√≥tico. Para que o sucesso do tratamento seja alcan√ßado √© fundamental que os microorganismos sejam completamente eliminados, caso contr√°rio, ao persistirem no interior dos canais, uma reinfec√ß√£o ir√° surgir e desta forma comprometer o tratamento efectuado anteriormente. O tratamento endod√īntico consiste em tr√™s etapas: a instrumenta√ß√£o, a irriga√ß√£o e a obtura√ß√£o. A irriga√ß√£o desempenha um papel de extrema import√Ęncia na elimina√ß√£o dos microorganismos devido √° sua ac√ß√£o antimicrobiana al√©m de possuir propriedades que aumentam a efic√°cia da instrumenta√ß√£o. O NaOCl √© o irrigante mais utilizado na pr√°tica cl√≠nica, apesar das suas limita√ß√Ķes, pois preenche requisitos que mais nenhum outro irrigante √© capaz de preencher. Tem elevada ac√ß√£o antimicrobiana e √© capaz de dissolver o tecido. A CHX √© outra solu√ß√£o irrigadora utilizada na endodontia devido √° sua potente ac√ß√£o antimicrobiana. O seu espectro de ac√ß√£o √© enorme, sendo eficaz contra uma vasta gama de microorganismos al√©m de possuir substantividade que torna a sua ac√ß√£o antimicrobiana ainda mais eficaz. No entanto a CHX tamb√©m apresenta desvantagens. Ambos os irrigantes podem ser utilizados em endodontia, √© necess√°rio conhecer as suas propriedades e em que situa√ß√£o √© poss√≠vel utilizar cada um dele

    Sintomatologia depressiva, regulação emocional e labilidade negativa em crianças em idade escolar

    Get PDF
    Disserta√ß√£o de mestrado em Psicologia Cl√≠nicaExame p√ļblico realizado em 18 de julho de 2023, √†s 10HA depress√£o na inf√Ęncia √© um fen√≥meno com elevada incid√™ncia a n√≠vel nacional e mundial, que comporta preju√≠zos severos para o funcionamento da crian√ßa, a par de importantes implica√ß√Ķes cl√≠nicas, sociais e pol√≠ticas. Este estudo teve como objetivo aferir se existe uma associa√ß√£o da regula√ß√£o emocional e da labilidade negativa com a sintomatologia depressiva, em crian√ßas em idade escolar. Pretendeu, tamb√©m, verificar se existiam diferen√ßas na regula√ß√£o emocional, na labilidade negativa e na sintomatologia depressiva em fun√ß√£o do sexo. Participaram, nesta investiga√ß√£o, 80 crian√ßas (46 do sexo feminino; 34 do sexo masculino), com idades compreendidas entre os 8 e os 10 anos (M = 9.01; DP = .70). Para avaliar a sintomatologia depressiva, foi solicitado √†s crian√ßas o preenchimento da Children‚Äôs Depression Inventory (CDI). Para aferir a regula√ß√£o emocional e a labilidade negativa, foi pedido aos pais/substitutos que respondessem ao Emotion Regulation Checklist (ERC). N√£o foram observadas associa√ß√Ķes estatisticamente significativas da regula√ß√£o emocional e da labilidade negativa com a sintomatologia depressiva. Verificou-se que as raparigas apresentam mais sintomatologia depressiva do que os rapazes e que crian√ßas mais velhas apresentam menores n√≠veis de labilidade negativa. N√£o se observaram diferen√ßas estatisticamente significativas, em fun√ß√£o do sexo, na regula√ß√£o emocional e na labilidade negativa. S√£o discutidas as implica√ß√Ķes destes resultados para a interven√ß√£o cl√≠nica com crian√ßas em idade escolar.Depression in childhood is a phenomenon with high national and worldwide incidence, with severe negative effects on the child's functioning, and important clinical, social, and political implications. This study aimed to assess the potential association between emotional regulation and negative lability with depressive symptomatology in school-age children. It also intended to explore sex differences in emotional regulation, negative lability, and depressive symptomatology. Eighty children (46 females; 34 males) between 8 and 10 years old participated in this study (M = 9.01; SD = .70). To assess depressive symptoms, children were asked to complete the Children's Depression Inventory (CDI). To evaluate emotion regulation and negative lability, parents/substitutes were asked to fill out the Emotion Regulation Checklist (ERC). No statistically significant associations of emotion regulation and negative lability with depressive symptoms were observed. Girls were found to present more depressive symptoms than boys, and older children to exhibit lower levels of negative lability. No statistically significant gender differences were observed in emotional regulation and negative lability. The implications of these results for clinical intervention in school-aged children are discussed

    A representatividade LGBTQIA+ nas redes sociais: O caso da websérie Carmilla

    Get PDF
    Esta disserta√ß√£o centra-se na representa√ß√£o LGBTQIA+ nas redes sociais. Por ser uma comunidade muitas vezes marginalizada e com falta de representa√ß√£o na televis√£o, no cinema, na m√ļsica e at√© no quotidiano, muitos dependem da internet para se sentirem mais representados, seja atrav√©s do conv√≠vio com pessoas da comunidade nas redes sociais e da cria√ß√£o de grupos de discuss√£o de s√©ries ou filmes, da cria√ß√£o de blogs, ou at√© da escrita e/ou leitura de fanfiction sobre personagens ficcionais j√° existentes. Tudo isto pode contribuir para fomentar o sentimento de perten√ßa e de valida√ß√£o das pessoas. As redes sociais podem contribuir para essa representa√ß√£o n√£o s√≥ atrav√©s dessas caracter√≠sticas, mas tamb√©m atrav√©s da cria√ß√£o de webs√©ries e curtas-metragens, √† semelhan√ßa de qualquer outro media como a televis√£o ou o cinema. Como exemplo disso, ser√° analisada a webs√©rie Carmilla, muito popular entre a comunidade LGBTQIA+.This dissertation focuses on LGBTQIA+ representation on social media. Because this community is still often marginalized and suffers from a lack of representation on television, cinema, music and even in daily life, many of its members depend on the internet so as to feel more represented, whether through conviviality with other people from the community on social media, the creation of discussion groups on TV shows or movies, the creation of blogs, or even the writing and/or reading of fanfiction about fictional characters created in already existing media. All of this can contribute to promoting the feeling of belonging and validation. Social media can indeed foster this representation, not only through all of the above, but also through the creation of web series and short films, similarly to television or film. As an example of this, we will analyse the web series Carmilla, due to its high popularity among the LGBTQIA+ community

    Tra√ßado da interven√ß√£o do Enfermeiro de Reabilita√ß√£o ‚Äď organiza√ß√£o de cuidados para um envelhecimento saud√°vel e ativo

    Get PDF
    Introduction: Active aging is a European concern that requires health and social professionals to rethink their practices. Methodology: We seek to understand the care model for the elderly in a Group of Health Centers (ACES) in the North of Portugal to deduce the role of rehabilitation nurses in the community. We carried out a qualitative, phenomenological study. The intentional non-probabilistic sample consisted of eight Doctors, eight Nurses and eight Social Workers who develop their activity for people over 65 years old in an ACES. Data collection was carried out through a semi-structured interview, constituting the results of the body of analysis that sustains this research. Results: 83% of participants had no training in gerontology. There were care evaluation focuses, in which all professionals estimated the same data, but there were data necessary for monitoring the elderly that were not evaluated by any professional. The sharing of information for assistance, when it occurred, fell into situations of illness or changes in the social context. Discussion: It was possible to verify that in all themes there is information that converges in the three groups of professionals, mainly in the data collected in the initial evaluation. As advocated by some authors, sharing information and dividing teamwork is important for a more specialized intervention aimed mainly at this age group. Conclusion: In this way, it was possible to perceive that the work of the three groups of professionals interviewed often intersects and that there is a need for data sharing between the multidisciplinary team, with the specialized work of the Rehabilitation Nurse being valued and important.Introducci√≥n: El envejecimiento activo es una preocupaci√≥n europea que requiere que los profesionales sociales y de la salud reconsideren sus pr√°cticas. Metodolog√≠a: Buscamos comprender el modelo de atenci√≥n a los ancianos en un Grupo de Centros de Salud (ACES)¬† en el Norte de Portugal para deducir el papel de las enfermeras de rehabilitaci√≥n en la comunidad. Realizamos un estudio cualitativo, fenomenol√≥gico. La muestra no probabil√≠stica intencional estuvo constituida por ocho M√©dicos, ocho Enfermeros y ocho Trabajadores Sociales que desarrollan su actividad para personas mayores de 65 a√Īos en un ACES. La recolecci√≥n de datos se realiz√≥ a trav√©s de una entrevista semiestructurada, constituyendo los resultados del cuerpo de an√°lisis que sustenta esta investigaci√≥n. Resultados: El 83% de los participantes no ten√≠an formaci√≥n en gerontolog√≠a. Exist√≠an focos de evaluaci√≥n del cuidado, en los que todos los profesionales estimaban los mismos datos, pero hab√≠a datos necesarios para el seguimiento de los ancianos que no eran evaluados por ning√ļn profesional. El intercambio de informaci√≥n para la asistencia, cuando ocurri√≥, cay√≥ en situaciones de enfermedad o cambios en el contexto social. Discusi√≥n: Fue posible verificar que en todos los temas hay informaciones que convergen en los tres grupos de profesionales, principalmente en los datos recogidos en la evaluaci√≥n inicial. Como defienden algunos autores, compartir informaci√≥n y dividir el trabajo en equipo es importante para una intervenci√≥n m√°s especializada dirigida principalmente a este grupo de edad. Conclusi√≥n: De esa forma, fue posible percibir que el trabajo de los tres grupos de profesionales entrevistados muchas veces se entrecruza y que existe la necesidad de compartir datos entre el equipo multidisciplinario, siendo valorado e importante el trabajo especializado de la Enfermera de Rehabilitaci√≥n.Introdu√ß√£o: O envelhecimento ativo √© uma preocupa√ß√£o europeia que exige aos profissionais de sa√ļde e sociais repensar as suas pr√°ticas. Metodologia: Procuramos compreender o modelo de assist√™ncia dos idosos num Agrupamento de Centros de Sa√ļde (ACES) do Norte de Portugal para deduzir o papel dos enfermeiros de reabilita√ß√£o na comunidade. Realizamos um estudo qualitativo, do tipo fenomenol√≥gico. A amostra n√£o probabil√≠stica intencional foi constitu√≠da por oito M√©dicos, oito Enfermeiros e oito Assistentes Sociais que desenvolvem a sua atividade para pessoas com mais de 65 anos num ACES. A recolha de dados foi elaborada atrav√©s de uma entrevista semi-estruturada, constituindo os resultados do corpo da an√°lise que sustenta esta pesquisa. Resultados: 83% dos participantes n√£o possu√≠am forma√ß√£o em gerontologia. Havia focos de avalia√ß√£o da assist√™ncia, em que todos os profissionais estimavam os mesmos dados, mas havia dados necess√°rios ao acompanhamento dos idosos que n√£o eram avaliados por nenhum profissional. A partilha da informa√ß√£o para a assist√™ncia, quando ocorria, reca√≠a nas situa√ß√Ķes de doen√ßa ou de altera√ß√Ķes do contexto social. Discuss√£o: Foi poss√≠vel verificar que em todas as tem√°ticas h√° informa√ß√£o que converge nos tr√™s grupos de profissionais, principalmente nos dados colhidos na avalia√ß√£o inicial. Tal como defendem alguns autores a partilha de informa√ß√£o e divis√£o do trabalho de equipa √© importante para uma interven√ß√£o mais especializada e dirigida principalmente nesta faixa et√°ria. Conclus√£o: Desta forma foi poss√≠vel perceber que o trabalho dos tr√™s grupos de profissionais entrevistados muitas vezes se cruza e que h√° necessidade de partilha de dados entre a equipa multidisciplinar, sendo valorizado e importante o trabalho especializado do Enfermeiro de Reabilita√ß√£o
    • ‚Ķ
    corecore