13 research outputs found

    VIV√äNCIAS DE CONFLITOS √ČTICOS NA PR√ĀTICA DO ENFERMEIRO EM UNIDADE DE EMERG√äNCIA

    Get PDF
    A √©tica √© conjunto de valores morais e princ√≠pios ideais para viver em sociedade (VALLS, 2017). Nos √ļltimos anos, se percebe aumento da complexidade na pr√°tica de sa√ļde, afetando diretamente os enfermeiros que est√£o no ambiente hospitalar, 24 horas por dia, marcado por in√ļmeras mudan√ßas, tanto tecnol√≥gicas como organizacionais elevando assim as quest√Ķes √©ticas (SCHAEFER; VIEIRA, 2015)

    ESTRAT√ČGIAS DE ENFRENTAMENTO DOS CONFLITOS E DILEMAS √ČTICOS VIVENCIADOS PELOS ENFERMEIROS EM SITUA√á√ÉO DE VIOL√äNCIA OBST√ČTRICA

    Get PDF
    No √Ęmbito do Centro Obst√©trico (CO), emergem situa√ß√Ķes conflituosas e dilem√°ticas decorrentes de condutas desumanizadas e desrespeitosas, do abuso da medicaliza√ß√£o, da patologiza√ß√£o de processos fisiol√≥gicos, e interven√ß√Ķes desnecess√°rias, al√©m da neglig√™ncia com a parturiente e o rec√©m-nascido, podendo provocar sofrimento f√≠sico e/ou ps√≠quico durante o pr√©-parto, parto e p√≥s-parto. Caracterizada pela Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde (OMS) como viol√™ncia obst√©trica (MOURA et al., 2018)

    DILEMAS BIO√ČTICOS VIVENCIADOS PELA EQUIPE DE ENFERMAGEM NO CUIDADO AO IDOSO HOSPITALIZADO NA CL√ćNICA M√ČDICA

    Get PDF
    A estrutura etária da população brasileira vem se remodelando ao longo dos anos. Observa-se que com a redução da fecundidade e o aumento significativo da expectativa de vida a população está envelhecendo rapidamente

    DILEMAS √ČTICOS NO FAZER/AGIR DO ENFERMEIRO DIANTE DA PARADA CARDIORRESPIRAT√ďRIA EM TERAPIA INTENSIVA

    Get PDF
    Objetivo: conhecer os dilemas √©ticos vivenciados no fazer/agir do enfermeiro diante da parada cardiorrespirat√≥ria na Unidade de Terapia Intensiva. M√©todo: pesquisa qualitativa. A coleta de dados foi realizada em agosto/setembro de 2016, por meio de entrevista semiestruturada. Participaram 10 enfermeiros que atuavam em Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital Geral P√ļblico de uma cidade de grande porte do interior da Bahia. Utilizou-se a An√°lise de Conte√ļdo de Bardin para chegar √†s categorias emp√≠ricas. Resultados: foram identificadas duas categorias emp√≠ricas que revelaram os dilemas √©ticos vivenciados pelos enfermeiros: O fazer/agir do enfermeiro frente ao reanimar/n√£o reanimar a pessoa em parada cardiorrespirat√≥ria na unidade de terapia intensiva; Distan√°sia: dilema √©tico no fazer/agir do enfermeiro durante a parada cardiorrespirat√≥ria. Conclus√£o: os dilemas √©ticos vivenciados no fazer/agir do enfermeiro diante da parada cardiorrespirat√≥ria na unidade de terapia intensiva est√£o relacionados com a indica√ß√£o de reanimar ou n√£o um paciente frente ao seu progn√≥stico; com o momento em que se deve persistir ou interromper a ado√ß√£o dos procedimentos de reanima√ß√£o; e com a viv√™ncia da distan√°sia, que s√≥ prolonga o processo de morrer.Descritores: √Čtica. Enfermeiro. Unidades de Terapia Intensiva

    PROCESSO DE FORMA√á√ÉO DA ENFERMEIRA PARA UM AGIR √ČTICO

    Get PDF
    A forma√ß√£o voltada para uma pr√°tica cidad√£ requer um ensino que ofere√ßa, aos profissionais enfermeiras (os), condi√ß√Ķes para desenvolver compet√™ncias relativas n√£o somente a aspectos t√©cnicos, mas, tamb√©m, para posicionar-se, de forma cr√≠tica e reflexiva, diante dos dilemas √©ticos e morais quando no exerc√≠cio do seu trabalho. As press√Ķes do cotidiano geram a necessidade de se identificar os valores morais que possam interferir na tomada de decis√Ķes. O ensino da √©tica nos cursos de gradua√ß√£o em enfermagem deve fornecer ferramentas √ļteis para um agir profissional √©tico. Esse artigo teve como quest√£o norteadora: Como o processo de forma√ß√£o da (o) enfermeira (o) pode possibilitar um agir profissional √©tico, em sua pr√°tica? A pesquisa bibliogr√°fica que realizamos teve como objetivos refletir sobre o processo de forma√ß√£o das (os) enfermeiras (os) para um agir √©tico e identificar como os valores morais/√©ticos refletem no processo de tomada de decis√£o profissional. Conclu√≠mos pela necessidade de um agir √©tico √† vista do qual alguns desafios s√£o colocados. Sob esse aspecto, √© bastante pertinente a vis√£o da integralidade que rompe com a concep√ß√£o fragmentada do homem, do mundo, da sociedade e da educa√ß√£o. Na pr√°tica profissional, deve ser evitado o ju√≠zo de valores, principalmente, que esse venha influenciar nas decis√Ķes. PALAVRAS-CHAVE: Ensino. √Čtica de enfermagem. Tomada de decis√£o. The training process for a human practice requires a kind of teaching that offers to professional nurses the conditions to develop skills related not only to the technical aspects, but also to position critically and reflexive on ethical and moral dilemmas in the course of their work. The daily pressures bring the necessity to identify the moral values that may interfere with the decisions-making process. The teaching of ethics in nursing graduation courses should provide useful tools for an ethical professional act. The question that guides this article is: How does the training process of the nurse may enable an ethical professional act, in her practice? The bibliographic research we did aims to bring the reflection on the process of training of the nurses for ethical acts and identify how ethical/moral values reflects in the process of the professional decisions-making. It's concluded by the necessity of ethical acts that are sighted in the challenges that are placed. In this aspect, it is a lot relevant the sight of the integrality that breaks the fragmented conception about the men, the world, the society and the education. In the professional practice, the value judgment must be avoided, mainly when it might influence the decisions. KEY-WORDS: Teaching, Nursing Ethics, Decisions-Making. La formaci√≥n orientada para una pr√°ctica ciudadana, requiere una ense√Īanza que ofrezca, a los (las) profesionales enfermeros (as), condiciones para desarrolar competencias relativas, no solo a aspectos t√©cnicos, sino, tambi√©n, para posicionarse de forma cr√≠tica e reflexiva delante de los dilemas √©ticos y morales inerentes al exerc√≠cio de su trabajo. Las presiones del cotidiano generan la necesidad de identificar los valores morales que puedan interferir en la toma de decisiones. La ense√Īanaza de la √©tica en los cursos de graduaci√≥n en enfermer√≠a debe ofrecer herramientas √ļtiles para un actuar profesional √©tico. Este art√≠culo tuvo como cuesti√≥n norteadora: ¬ŅC√≥mo puede, el proceso de formaci√≥n del (la) enfermero (a), posibilitar un actuar profesional √©tico en su pr√°ctica? La investigaci√≥n bibliogr√°fica tuvo como objetivos reflexionar sobre el proceso de formaci√≥n de los (las) enfermeros (as) para um actuar √©tico e identificar como los valores morales/√©ticos se reflejan en el proceso de toma de decisi√≥n profesional. Conclu√≠mos por la necesidad de un actuar √©tico delante del cual son colocados algunos desafios. Sobre este aspecto, es bastante pertinente la visi√≥n de la integralidad que rompe con la concepci√≥n fragmentada del hombre, del mundo, de la sociedad y de la educaci√≥n. En la pr√°ctica profesional debe ser evitado el juicio de valores, principalmente, cuando el mismo venga a influenciar en las decisiones. ¬† Palabras clave: Ense√Īanaza. √Čtica en enfermer√≠a. Toma de decisi√≥n

    DILEMAS √ČTICOS VIVENCIADOS PELA EQUIPE DE SA√öDE NO CUIDADO √Ä PESSOA EM TRATAMENTO ONCOL√ďGICO

    Get PDF
    Objetivo: Conhecer os dilemas √©ticos vivenciados na pr√°tica da equipe de sa√ļde no cuidado √† pessoa em tratamento oncol√≥gico. M√©todos: Trata-se de estudo qualitativo realizado em unidades de assist√™ncia de alta complexidade em oncologia no munic√≠pio de Feira de Santana-Bahia. Foi realizada uma entrevista semiestruturada, que contou com a participa√ß√£o de onze profissionais da √°rea da sa√ļde. A an√°lise dos dados ocorreu atrav√©s An√°lise de Conte√ļdo proposta por Bardin. Resultados: O estudo apontou que os profissionais de sa√ļde que lidam com pessoas em tratamento oncol√≥gico vivenciam dilemas √©ticos na pr√°tica, frente a: cuidados paliativos; n√£o revelar o diagn√≥stico a pessoa com c√Ęncer; d√ļvida quanto as manobras para reanimar ou n√£o; nega√ß√£o/depress√£o da pessoa com diagn√≥stico de c√Ęncer e seus familiares. Conclus√£o: Os profissionais de sa√ļde vivenciam dilemas √©ticos cotidianamente, entretanto muitas vezes n√£o os reconhecem, bem como ficam na d√ļvida para tomar decis√Ķes

    Sofrimento moral vivenciado pelo enfermeiro em unidade de terapia intensiva neonatal / Moral suffering experienced by nurses in neonatal intensive care unit

    Get PDF
    O sofrimento moral emerge quando h√° o conhecimento da maneira correta de agir, embora assim n√£o o fa√ßa, por impedimentos externos ou internos √† a√ß√£o. Pesquisa qualitativa, explorat√≥ria e descritiva, que tem como objetivo compreender o sofrimento moral vivenciado pelo enfermeiro em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. O estudo foi desenvolvido em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de hospital geral p√ļblico, em Feira de Santana-Bahia-Brasil. A Pesquisa foi aprovada pelo Comit√™ de √Čtica e Pesquisa da Universidade Estadual de Feira de Santana, sob parecer n√ļmero 1.976.768. Os participantes foram seis enfermeiros que atuam em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal. Foi utilizada a entrevista semiestruturada como t√©cnica de coleta de dados, realizada em julho de 2017.¬† A an√°lise dos dados foi realizada pelo m√©todo de an√°lise proposto por Martins e Bicudo. A partir da leitura horizontal e vertical dos depoimentos emergiram duas categorias ‚Äúcompreens√£o dos enfermeiros sobre o sofrimento moral‚ÄĚ e ‚Äúenfermeiros na viv√™ncia do sofrimento moral‚ÄĚ. Os resultados apontaram que os enfermeiros compreendem o sofrimento moral. Eles emergem pela inobserv√Ęncia dos valores e princ√≠pios √©ticos; a falta de autonomia do enfermeiro e tem rela√ß√£o com a ansiedade/impot√™ncia do enfermeiro. O estudo revelou tamb√©m que enfermeiros vivenciam o sofrimento moral em seu ambiente laboral, enquanto outros n√£o vivenciam, mas reconhecem que ocorre na pr√°tica. Conclu√≠mos que existe a necessidade de que as institui√ß√Ķes de sa√ļde promovam condi√ß√Ķes adequadas de trabalho para o enfermeiro de Unidade de Terapia Intensiva Neonatal, a fim de prevenir o sofrimento moral e possibilitar a promo√ß√£o de uma assist√™ncia de sa√ļde com qualidade, carga hor√°ria de trabalho ideal, preven√ß√£o de doen√ßas relativas ao sofrimento moral, como a s√≠ndrome de Burnout, estresse ocupacional ou esgotamento f√≠sico e mental. O enfermeiro deve realizar o cuidado ao Rec√©m-Nascido com qualidade, humaniza√ß√£o e √©tica em ambiente cooperativo para o restabelecimento da sa√ļde do rec√©m-nascido.

    Sentido da vida: vivências dos cuidados de enfermeiros à pessoa no processo de morte e morrer

    No full text
    Os enfermeiros vivenciam no cotidiano do cuidado, o processo de morte e morrer e o sofrimento das pessoas sob seus cuidados. Este estudo objetivou compreender como os enfermeiros vivenciam o sentido da vida ao cuidarem de pessoas no processo de morte e morrer. Utilizou-se o referencial do cuidado no processo de morte e morrer e a An√°lise Existencial de Viktor Emil Frankl. O projeto n. 31/2010 foi aprovado pelo Comit√™ de √Čtica em Pesquisa da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Os colaboradores foram: um enfermeiro e treze enfermeiras que atuavam na cl√≠nica m√©dica e unidade de pacientes de longa perman√™ncia de um hospital geral, p√ļblico, em Feira de Santana-Bahia. A coleta foi realizada de dezembro de 2010 a mar√ßo de 2011, utilizando a entrevista fenomenol√≥gica com uma quest√£o de aproxima√ß√£o: Voc√™ j√° vivenciou alguma situa√ß√£o de morte durante a presta√ß√£o de cuidados? E duas norteadoras: Fale-me sobre essa experi√™ncia. Como voc√™ apreende o sentido da vida nessa viv√™ncia dos cuidados √† pessoa no processo de morte e morrer? Desenvolvido em duas etapas: a do m√©todo fenomenol√≥gico fundamentado em Martins e Bicudo com descri√ß√£o, redu√ß√£o e compreens√£o do fen√īmeno atrav√©s da an√°lise ideogr√°fica e nomot√©tica. Estas possibilitaram construir tr√™s categorias emp√≠ricas: Vivenciando o sofrimento com o outro ao prestar cuidados √† pessoa no processo de morte e morrer; Vivenciando a finitude, o vazio existencial e a culpa diante da morte dos pacientes; Vivenciando os valores franklianos durante a forma√ß√£o do ser enfermeiro e do sentido ao cuidar da pessoa em finitude da vida. Compreendi que a dor e o sofrimento est√£o presentes nos pacientes, familiares, e enfermeiros que criam v√≠nculo com estes; que h√° necessidade de mudan√ßas na atitude dos enfermeiros e na pol√≠tica institucional; h√° dificuldade de lidar com a morte como um processo natural do viver. Eles vivenciam a culpa diante da escassez de recursos humanos e materiais para o cuidado a vida do paciente. Os enfermeiros recomendam discuss√Ķes sobre o tema na gradua√ß√£o. Essa viv√™ncia e reflex√Ķes sobre os cuidados revelam o vazio existencial, a impot√™ncia diante da morte e a transforma√ß√£o do sentido de suas vidas. Na segunda etapa foi aplicado o m√©todo da pr√°tica baseada em evid√™ncias proposta por Larrabee em seis casos revelados pelos enfermeiros. Estes desvelaram a tr√≠ade tr√°gica e a constru√ß√£o do otimismo tr√°gico e do sentido da vida. Compreendi que os enfermeiros evidenciaram a tr√≠ade tr√°gica na dor e sofrimento com o outro na vivencia do cuidado; em situa√ß√Ķes que demandam atitude, compromisso e responsabilidade com a vida do outro emerge o sentimento do dever cumprido; o medo da morte durante na presta√ß√£o dos cuidados em finitude da vida aproxima o enfermeiro dos pacientes em processo de morte e morrer. Em s√≠ntese, os enfermeiros vivenciam a tr√≠ade tr√°gica: sofrimento, culpa e morte no cotidiano do cuidado √† pessoa no processo de morte e morrer; √© atrav√©s do otimismo tr√°gico: f√©, amor e esperan√ßa que ele constr√≥i o sentido para uma pr√°tica respons√°vel
    corecore