89 research outputs found

    Entre a igualdade e a diferença: mulheres camponesas em lutas de gênero

    Get PDF
    Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ci√™ncias Humanas, Programa de P√≥s-Gradua√ß√£o Interdisciplinar em Ci√™ncias Humanas, Florian√≥polis, 2010Este estudo busca analisar como se constituem sujeitos e subjetividades em lutas de g√™nero enquanto pr√°ticas do Movimento de Mulheres Camponesas em Santa Catarina (MMC/SC), denomina√ß√£o assumida em novembro de 2004 pelo Movimento de Mulheres Agricultoras de Santa Catarina (MMA/SC), na consolida√ß√£o, com outros movimentos rurais aut√īnomos de mulheres do Brasil, de um movimento nacional. Esse processo envolveu a constru√ß√£o de identidades pol√≠ticas, por meio das quais se produzem e se representam sujeitos. A pesquisa utilizou o modelo etnogr√°fico, com a realiza√ß√£o de entrevistas em profundidade, o acompanhamento e observa√ß√£o das atividades de mulheres que comp√Ķem o movimento. Este procedimento foi complementado pela an√°lise de documentos produzidos pelo movimento em toda a trajet√≥ria de lutas que o caracterizou, desde sua cria√ß√£o como Movimento de Mulheres Agricultoras. Considerando que o MMC/SC est√° organizado em regionais (formadas por grupos de munic√≠pios), o estudo foi realizado em tr√™s munic√≠pios da Regional Sul do movimento: Urussanga, Orleans e Treviso. Foram entrevistadas 18 mulheres. A pesquisadora participou de atividades junto √†s mulheres do movimento, analisou publica√ß√Ķes e documentos produzidos no per√≠odo de 1994-2008. O argumento central do estudo √© que diferentes investimentos s√£o feitos na constitui√ß√£o de sujeitos e de subjetividades, os quais d√£o a ver a reprodu√ß√£o de normas de g√™nero, a aceita√ß√£o ou a resist√™ncia a certas formas de individualidade, como parte das estrat√©gias pol√≠ticas de luta, incluindo a unifica√ß√£o de movimentos aut√īnomos de mulheres e a constru√ß√£o das identidades pol√≠ticas "mulheres agricultoras" e "mulheres camponesas". Desde a sua cria√ß√£o, na primeira metade da d√©cada de 1980, no distrito de Itaberaba, munic√≠pio de Chapec√≥/SC, o MMA/SC come√ßou a questionar a "condi√ß√£o da mulher" e da "mulher trabalhadora rural". Como lutas centrais, estavam o direito √† sindicaliza√ß√£o da mulher, disputa pela dire√ß√£o do sindicato rural, o reconhecimento da profiss√£o de agricultora, aposentadoria, entre outros. Lutas de g√™nero e de classe, operadas na/pela posi√ß√£o de trabalhadora rural, que se mantiveram com a constru√ß√£o do MMC. Nos munic√≠pios estudados, o movimento foi criado nos anos de 1994, 1995 e 2000, na vig√™ncia da denomina√ß√£o MMA/SC. A trajet√≥ria do movimento compreendeu lutas por reconhecimento e por redistribui√ß√£o, nas quais as mulheres se produziram na posi√ß√£o de trabalhadoras rurais. Essa produ√ß√£o demandou investimentos na documenta√ß√£o pessoal e profissional das mulheres. Na perspectiva das mulheres entrevistadas, o movimento se constitui como lugar de organiza√ß√£o para aprendizagens, transforma√ß√Ķes sociais e individuais. No percurso da constru√ß√£o de identidades pol√≠ticas, na Regional Sul, a mudan√ßa do nome "mulheres agricultoras" para "mulheres camponesas" foi recusada por algumas das mulheres e aceita por outras, demonstrando jogos de for√ßa, produ√ß√£o de sujeitos e de subjetividades. Ambas as identifica√ß√Ķes identit√°rias acionaram discursos que se aproximam de concep√ß√Ķes feministas essencialistas, atribuindo √†s mulheres diferen√ßas que as capacitam para o cultivo e o cuidado com a terra, relacionadas √† sua fun√ß√£o como m√£es na gera√ß√£o e cuidado com a vida. Uma das quest√Ķes a ser considerada √© que o uso de um "princ√≠pio feminino" n√£o parece indicar apenas um retorno ao essencialismo, mas tamb√©m uma estrat√©gia pol√≠tica na produ√ß√£o de lutas

    Ainda precisamos avançar: os sentidos produzidos por trabalhadoras/es rurais sobre a divisão sexual do trabalho em um assentamento coletivo do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) em SC

    Get PDF
    Disserta√ß√£o (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ci√™ncias Humanas. Programa de P√≥s-Gradua√ß√£o em Psicologia.As rela√ß√Ķes de g√™nero e trabalho, produtoras de significados e sentidos, em seu duplo referencial constituinte e constituidor, produzem sujeitos e modos de vida. A articula√ß√£o destas rela√ß√Ķes produz desdobramentos que remetem √† divis√£o sexual do trabalho, foco deste estudo. Fundamentado em concep√ß√Ķes da psicologia hist√≥rico-cultural, fundada em Vygostski

    PANDEMIA DE COVID-19 E A PRECARIZA√á√ÉO DO TRABALHO EM √ĀREAS DA SA√öDE: REVIS√ÉO DE LITERATURA

    Get PDF
    Palavras-chave: COVID-19; gênero; pandemia; precarização do trabalho; trabalho de cuidado.Keywords: COVID-19; gender; pandemic; work precariousness; care work

    TRABALHO FEMININO DE CUIDADOS EM SETORES DE SERVI√áO: UMA AN√ĀLISE DOS EFEITOS SOCIOECON√ĒMICOS E PSICOSSOCIAIS DA PANDEMIA COVID-19

    Get PDF
    O presente resumo trata da inten√ß√£o de pesquisa proposta para realiza√ß√£o junto ao Programa de P√≥s-Gradua√ß√£o em Desenvolvimento Socioecon√īmico da Universidade do Extremo Sul Catarinense. Objetiva-se analisar efeitos socioecon√īmicos e psicossociais da pandemia de Covid-19 em processos de trabalho femininos de cuidado, a partir da an√°lise de ocupa√ß√Ķes em setores de servi√ßos na interface com as rela√ß√Ķes de g√™nero, no munic√≠pio de Crici√ļma/SC. Para tanto, prop√Ķem-se articular pesquisas documental e de campo, respectivamente, por meio de levantamento em bases estat√≠sticas da Rela√ß√£o Anual de Informa√ß√Ķes Sociais (RAIS), no per√≠odo de 2020 e 2021, e de entrevistas com trabalhadoras de setores de servi√ßos, no campo dos trabalhos do cuidado e limpeza. A produ√ß√£o de estudos no campo da divis√£o sexual do trabalho evidencia a extensa participa√ß√£o de mulheres no setor de servi√ßos, configurando-se como maioria da for√ßa de trabalho nas se√ß√Ķes de ocupa√ß√Ķes associadas ao cuidado e limpeza, tais como nas √°reas da sa√ļde, assist√™ncia social e servi√ßos dom√©sticos. Caracterizado pela sua heterogeneidade de atividades e ocupa√ß√Ķes, de acordo com a Classifica√ß√£o Nacional de Atividades Econ√īmicas (CNAE), o Setor de Servi√ßos comporta as subclasses de Sa√ļde Humana e Servi√ßos Sociais e de Servi√ßos Dom√©sticos, propostas como objeto de an√°lise traduzido pela categoria de trabalhos de cuidado, a partir da defini√ß√£o proposta por Kergoat (2016, p. 17): ‚Äúcomo uma rela√ß√£o de servi√ßo, apoio e assist√™ncia, remunerada ou n√£o, que implica um sentido de responsabilidade em rela√ß√£o √† vida e ao bem-estar de outrem‚ÄĚ. No campo do cuidado e da limpeza, sustenta-se uma estrutura de trabalho informal,¬†marcadas pelo racismo e sexismo, que cria e atualiza um grande contingente de ‚Äútrabalhadoras desempregadas‚ÄĚ, conforme palavras de Davis (2016, p. 240). Negar o cuidado como parte da vida seria nocivo ao ideal democr√°tico que transcende a igualdade formal, uma vez que assim √© negado tamb√©m o reconhecimento das necessidades humanas de quem solicita cuidado e as condi√ß√Ķes de trabalho de quem atende a tais demandas. Biroli (2015) articula o cuidado no campo da democracia, propondo pensar quais sujeitos acessam e como ocorre tal acesso ao cuidado e, al√©m, questionar a dualidade p√ļblico/privado. Para al√©m do cuidado m√©dico, a gest√£o da pandemia se sustentou sobre a economia de esgotamento dos corpos pela feminiza√ß√£o da ind√ļstria da limpeza/cuidado (VERG√ąS, 2020). Para a autora, ‚Äúa an√°lise feminista decolonial antirracista e anticapitalista da gest√£o dessa pandemia n√£o difere tanto daquela do cuidado e da limpeza, pois ambos s√£o indispens√°veis para o funcionamento do mundo.‚ÄĚ (VERG√ąS, 2020, p. 22). Desta forma, sustenta-se a import√Ęncia de considerar os atravessamentos de g√™nero, ra√ßa e classe no setor de servi√ßos causados pela pandemia de Covid-19, em articula√ß√£o com a an√°lise de processos socioecon√īmicos e psicossociais

    TRABALHO, RELA√á√ēES DE G√äNERO E POL√ćTICAS P√öB

    Get PDF
    O presente trabalho disp√Ķe um recorte tem√°tico de uma pesquisa em andamento que objetiva mapear a produ√ß√£o cient√≠fica brasileira sobre trabalho, mulheres e rela√ß√Ķes de g√™nero, no per√≠odo de 2000-2015, dispon√≠vel na base Scientific Electronic Library Online - SciELO Brasil. Trata-se de uma discuss√£o acerca das rela√ß√Ķes de trabalho/g√™nero na interface com pol√≠ticas p√ļblicas e demandas sociais que colocam em perspectiva a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Foram localizados e analisados, qualitativa e quantitativamente, onze artigos referentes ao tema. As abordagens anal√≠ticas dos estudos reuniram procedimentos qualitativos, quantitativos, qualitativos e quantitativos, e como procedimentos metodol√≥gicos, revis√Ķes bibliogr√°ficas, estudos de caso, entrevistas, question√°rios, bases estat√≠sticas de dados, an√°lises de regress√£o e microssimula√ß√Ķes. Os artigos apresentam reflex√Ķes sobre pol√≠ticas p√ļblicas no campo das rela√ß√Ķes de trabalho, nos contextos urbano e rural, envolvendo demandas por reconhecimento social das mulheres e redistribui√ß√£o econ√īmica. S√£o problematizados nuances da desprote√ß√£o previdenci√°ria das trabalhadoras que exercem atividades informais e a rela√ß√£o com o processo de feminiza√ß√£o da pobreza. Tamb√©m, evidencia-se a necessidade de repensar pol√≠ticas p√ļblicas que garantam √†s mulheres o acesso e a estabilidade no mercado de trabalho, pelo aumento da escolariza√ß√£o e qualifica√ß√£o profissional, necessidade de se reestruturar o setor de prote√ß√£o previdenci√°ria, bem como da formaliza√ß√£o do trabalho, estendendo-se tamb√©m √† fiscaliza√ß√£o do cumprimento das pol√≠ticas, pensadas com o objetivo de promover a equidade entre os sexos no mundo do trabalho. Ressalta-se a import√Ęncia da socializa√ß√£o do cuidado como maneira de viabilizar a independ√™ncia e autonomia feminina no mercado de trabalho, e a sua garantia a partir de pol√≠ticas p√ļblicas criadas pela leitura das variantes do mercado de trabalho pela perspectiva de g√™nero.Palavras-Chave: Trabalho; Rela√ß√Ķes de g√™nero; Pol√≠ticas p√ļblicas

    TRABALHO, RELA√á√ēES DE G√äNERO E POL√ćTICAS P√öB

    Get PDF
    O presente trabalho disp√Ķe um recorte tem√°tico de uma pesquisa em andamento que objetiva mapear a produ√ß√£o cient√≠fica brasileira sobre trabalho, mulheres e rela√ß√Ķes de g√™nero, no per√≠odo de 2000-2015, dispon√≠vel na base Scientific Electronic Library Online - SciELO Brasil. Trata-se de uma discuss√£o acerca das rela√ß√Ķes de trabalho/g√™nero na interface com pol√≠ticas p√ļblicas e demandas sociais que colocam em perspectiva a desigualdade entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Foram localizados e analisados, qualitativa e quantitativamente, onze artigos referentes ao tema. As abordagens anal√≠ticas dos estudos reuniram procedimentos qualitativos, quantitativos, qualitativos e quantitativos, e como procedimentos metodol√≥gicos, revis√Ķes bibliogr√°ficas, estudos de caso, entrevistas, question√°rios, bases estat√≠sticas de dados, an√°lises de regress√£o e microssimula√ß√Ķes. Os artigos apresentam reflex√Ķes sobre pol√≠ticas p√ļblicas no campo das rela√ß√Ķes de trabalho, nos contextos urbano e rural, envolvendo demandas por reconhecimento social das mulheres e redistribui√ß√£o econ√īmica. S√£o problematizados nuances da desprote√ß√£o previdenci√°ria das trabalhadoras que exercem atividades informais e a rela√ß√£o com o processo de feminiza√ß√£o da pobreza. Tamb√©m, evidencia-se a necessidade de repensar pol√≠ticas p√ļblicas que garantam √†s mulheres o acesso e a estabilidade no mercado de trabalho, pelo aumento da escolariza√ß√£o e qualifica√ß√£o profissional, necessidade de se reestruturar o setor de prote√ß√£o previdenci√°ria, bem como da formaliza√ß√£o do trabalho, estendendo-se tamb√©m √† fiscaliza√ß√£o do cumprimento das pol√≠ticas, pensadas com o objetivo de promover a equidade entre os sexos no mundo do trabalho. Ressalta-se a import√Ęncia da socializa√ß√£o do cuidado como maneira de viabilizar a independ√™ncia e autonomia feminina no mercado de trabalho, e a sua garantia a partir de pol√≠ticas p√ļblicas criadas pela leitura das variantes do mercado de trabalho pela perspectiva de g√™nero.Palavras-Chave: Trabalho; Rela√ß√Ķes de g√™nero; Pol√≠ticas p√ļblicas

    Produção de sentidos e sexualidade na juventude: um relato de experiência / Production of meanings and sexuality in youth: an account of experience

    Get PDF
    O presente artigo traz um relato de experi√™ncia de est√°gio em Psicologia Social, realizado com aproximadamente 80 jovens, como idades entre 14 e 19 anos. As atividades foram realizadas por meio de m√≥dulos tem√°ticos e a presente produ√ß√£o versar√° sobre o encontro tem√°tico que abordou quest√Ķes relacionadas a sexualidade na juventude. Como metodologia para a realiza√ß√£o do encontro, abordamos os assuntos com o aux√≠lio de recursos audiovisuais e din√Ęmicas psicoeducativas, assim, direcionando o encontro de acordo com as d√ļvidas e inquieta√ß√Ķes dos/as pr√≥prios/as jovens. A maioria dos/as participantes afirmou que a sexualidade √© tratada de maneira diferente para os homens e mulheres. Foi poss√≠vel perceber a culpabiliza√ß√£o da mulher por uma gravidez n√£o planejada. Al√©m disso, muitos jovens percebem a gravidez na adolesc√™ncia n√£o como algo somente negativo, mas como possibilitador da reestrutura√ß√£o de viv√™ncias. A sexualidade na juventude mostrou-se como elemento produtor de identidade marcado por quest√Ķes de g√™nero. Entende-se aqui, a import√Ęncia de ampliar discuss√Ķes sobre as tem√°ticas considerando os marcadores anal√≠ticos de g√™nero e gera√ß√£o, abrindo m√£o assim de moralidades conservadoras que levam a perpetua√ß√£o das desigualdades entre homens e mulheres

    TRABALHO FEMININO DE CUIDADOS EM SETORES DE SERVI√áO: UMA AN√ĀLISE DOS EFEITOS SOCIOECON√ĒMICOS E PSICOSSOCIAIS DA PANDEMIA COVID-19

    Get PDF
    O presente resumo trata da inten√ß√£o de pesquisa proposta para realiza√ß√£o junto ao Programa de P√≥s-Gradua√ß√£o em Desenvolvimento Socioecon√īmico da Universidade do Extremo Sul Catarinense. Objetiva-se analisar efeitos socioecon√īmicos e psicossociais da pandemia de Covid-19 em processos de trabalho femininos de cuidado, a partir da an√°lise de ocupa√ß√Ķes em setores de servi√ßos na interface com as rela√ß√Ķes de g√™nero, no munic√≠pio de Crici√ļma/SC. Para tanto, prop√Ķem-se articular pesquisas documental e de campo, respectivamente, por meio de levantamento em bases estat√≠sticas da Rela√ß√£o Anual de Informa√ß√Ķes Sociais (RAIS), no per√≠odo de 2020 e 2021, e de entrevistas com trabalhadoras de setores de servi√ßos, no campo dos trabalhos do cuidado e limpeza. A produ√ß√£o de estudos no campo da divis√£o sexual do trabalho evidencia a extensa participa√ß√£o de mulheres no setor de servi√ßos, configurando-se como maioria da for√ßa de trabalho nas se√ß√Ķes de ocupa√ß√Ķes associadas ao cuidado e limpeza, tais como nas √°reas da sa√ļde, assist√™ncia social e servi√ßos dom√©sticos. Caracterizado pela sua heterogeneidade de atividades e ocupa√ß√Ķes, de acordo com a Classifica√ß√£o Nacional de Atividades Econ√īmicas (CNAE), o Setor de Servi√ßos comporta as subclasses de Sa√ļde Humana e Servi√ßos Sociais e de Servi√ßos Dom√©sticos, propostas como objeto de an√°lise traduzido pela categoria de trabalhos de cuidado, a partir da defini√ß√£o proposta por Kergoat (2016, p. 17): ‚Äúcomo uma rela√ß√£o de servi√ßo, apoio e assist√™ncia, remunerada ou n√£o, que implica um sentido de responsabilidade em rela√ß√£o √† vida e ao bem-estar de outrem‚ÄĚ. No campo do cuidado e da limpeza, sustenta-se uma estrutura de trabalho informal,¬†marcadas pelo racismo e sexismo, que cria e atualiza um grande contingente de ‚Äútrabalhadoras desempregadas‚ÄĚ, conforme palavras de Davis (2016, p. 240). Negar o cuidado como parte da vida seria nocivo ao ideal democr√°tico que transcende a igualdade formal, uma vez que assim √© negado tamb√©m o reconhecimento das necessidades humanas de quem solicita cuidado e as condi√ß√Ķes de trabalho de quem atende a tais demandas. Biroli (2015) articula o cuidado no campo da democracia, propondo pensar quais sujeitos acessam e como ocorre tal acesso ao cuidado e, al√©m, questionar a dualidade p√ļblico/privado. Para al√©m do cuidado m√©dico, a gest√£o da pandemia se sustentou sobre a economia de esgotamento dos corpos pela feminiza√ß√£o da ind√ļstria da limpeza/cuidado (VERG√ąS, 2020). Para a autora, ‚Äúa an√°lise feminista decolonial antirracista e anticapitalista da gest√£o dessa pandemia n√£o difere tanto daquela do cuidado e da limpeza, pois ambos s√£o indispens√°veis para o funcionamento do mundo.‚ÄĚ (VERG√ąS, 2020, p. 22). Desta forma, sustenta-se a import√Ęncia de considerar os atravessamentos de g√™nero, ra√ßa e classe no setor de servi√ßos causados pela pandemia de Covid-19, em articula√ß√£o com a an√°lise de processos socioecon√īmicos e psicossociais

    RELA√á√ēES DE G√äNERO E DA DIVIS√ÉO SEXUAL DO TRABALHO EM PRODU√á√ēES AV√ćCOLAS NO MUNICIPIO DE FORQUILHINHA/SC

    Get PDF
    Esse trabalho tem como categoria de an√°lise, g√™nero, divis√£o sexual do trabalho, e agricultura familiar, sendo o foco da pesquisa as produ√ß√Ķes av√≠colas vinculadas ao sistema de integra√ß√£o do munic√≠pio de Forquilhinha/SC. A proposi√ß√£o se trata de uma pesquisa de tese de doutorado em andamento (2019-2022). Ao utilizar g√™nero como uma das categorias de an√°lise, levamos para discuss√£o a desigualdade entre homens e mulheres presente em todos os espa√ßos da nossa sociedade. De acordo com Scott (1995) g√™nero s√£o as constru√ß√Ķes hist√≥ricas das rela√ß√Ķes sociais entre os sexos, excluindo qualquer explica√ß√£o biol√≥gica que coloca a mulher em posi√ß√£o subalterna com rela√ß√£o ao homem (SCOTT, 1995). A partir das rela√ß√Ķes de g√™nero se constitui a divis√£o sexual do trabalho, enquanto rela√ß√Ķes sociais produzidas no cotidiano laboral, onde trabalho reprodutivo √© atribu√≠do as mulheres e produtivo aos homens (FARIA, 2009). Mas especificamente sobre a agricultura familiar, esta √© representada por fam√≠lias que, ao mesmo tempo que s√£o donas dos seus meios de produ√ß√£o, assumem o trabalho do seu estabelecimento (WANDERLEY, 2009). A avicultura √© uma atividade comum nos estabelecimentos agr√≠colas familiares, principalmente nas regi√Ķes onde est√£o instaladas as ind√ļstrias de abate e produ√ß√£o de frangos. O sistema de integra√ß√£o, √© o meio de conex√£o entre ind√ļstria e o produtor rural, chamada de ‚Äúparceria‚ÄĚ. Essa ‚Äúparceria‚ÄĚ √© demarcada por diversos fatores que acabam por incitar algumas condi√ß√Ķes de subordina√ß√£o aos agricultores. Sobre esses aspectos, como objetivo geral, pretende-se analisar como se constituem rela√ß√Ķes de g√™nero e a divis√£o sexual do trabalho em produ√ß√Ķes av√≠colas vinculadas a sistemas de integra√ß√£o. Onde a pesquisa se justifica diante dos seguintes argumentos: N√ļmero significativo de fam√≠lias que s√£o produtoras av√≠colas no munic√≠pio- 379 estabelecimentos que galin√°ceos, dentro deste n√ļmero se contabiliza a produ√ß√£o de ovos (IBGE, 2017); A forte atua√ß√£o do capital por interm√©dio das ind√ļstrias que demandaram a produ√ß√£o av√≠cola pelas fam√≠lias rurais; A explora√ß√£o das integradoras para com os agricultores; A divis√£o sexual do trabalho e a desigualdade de g√™nero constru√≠das em espa√ßos rurais laborais e; A inexist√™ncia de estudos que realizam esse debate. Quanto aos procedimentos metodol√≥gicos, esta pesquisa ser√° interdisciplinar e qualitativa, por meio de pesquisas documental e de campo. Na pesquisa de campo, ser√£o realizadas entrevistas semiestruturadas. A amostra ser√° formada por acessibilidade e o n√ļmero de fam√≠lias entrevistadas ser√° definido pelo crit√©rio de satura√ß√£o das informa√ß√Ķes. Como procedimento de an√°lise das informa√ß√Ķes, ser√° utilizada a an√°lise de conte√ļdo, por Laurance Bardin (1995)

    RELA√á√ēES DE G√äNERO E DA DIVIS√ÉO SEXUAL DO TRABALHO EM PRODU√á√ēES AV√ćCOLAS NO MUNICIPIO DE FORQUILHINHA/SC

    Get PDF
    Esse trabalho tem como categoria de an√°lise, g√™nero, divis√£o sexual do trabalho, e agricultura familiar, sendo o foco da pesquisa as produ√ß√Ķes av√≠colas vinculadas ao sistema de integra√ß√£o do munic√≠pio de Forquilhinha/SC. A proposi√ß√£o se trata de uma pesquisa de tese de doutorado em andamento (2019-2022). Ao utilizar g√™nero como uma das categorias de an√°lise, levamos para discuss√£o a desigualdade entre homens e mulheres presente em todos os espa√ßos da nossa sociedade. De acordo com Scott (1995) g√™nero s√£o as constru√ß√Ķes hist√≥ricas das rela√ß√Ķes sociais entre os sexos, excluindo qualquer explica√ß√£o biol√≥gica que coloca a mulher em posi√ß√£o subalterna com rela√ß√£o ao homem (SCOTT, 1995). A partir das rela√ß√Ķes de g√™nero se constitui a divis√£o sexual do trabalho, enquanto rela√ß√Ķes sociais produzidas no cotidiano laboral, onde trabalho reprodutivo √© atribu√≠do as mulheres e produtivo aos homens (FARIA, 2009). Mas especificamente sobre a agricultura familiar, esta √© representada por fam√≠lias que, ao mesmo tempo que s√£o donas dos seus meios de produ√ß√£o, assumem o trabalho do seu estabelecimento (WANDERLEY, 2009). A avicultura √© uma atividade comum nos estabelecimentos agr√≠colas familiares, principalmente nas regi√Ķes onde est√£o instaladas as ind√ļstrias de abate e produ√ß√£o de frangos. O sistema de integra√ß√£o, √© o meio de conex√£o entre ind√ļstria e o produtor rural, chamada de ‚Äúparceria‚ÄĚ. Essa ‚Äúparceria‚ÄĚ √© demarcada por diversos fatores que acabam por incitar algumas condi√ß√Ķes de subordina√ß√£o aos agricultores. Sobre esses aspectos, como objetivo geral, pretende-se analisar como se constituem rela√ß√Ķes de g√™nero e a divis√£o sexual do trabalho em produ√ß√Ķes av√≠colas vinculadas a sistemas de integra√ß√£o. Onde a pesquisa se justifica diante dos seguintes argumentos: N√ļmero significativo de fam√≠lias que s√£o produtoras av√≠colas no munic√≠pio- 379 estabelecimentos que galin√°ceos, dentro deste n√ļmero se contabiliza a produ√ß√£o de ovos (IBGE, 2017); A forte atua√ß√£o do capital por interm√©dio das ind√ļstrias que demandaram a produ√ß√£o av√≠cola pelas fam√≠lias rurais; A explora√ß√£o das integradoras para com os agricultores; A divis√£o sexual do trabalho e a desigualdade de g√™nero constru√≠das em espa√ßos rurais laborais e; A inexist√™ncia de estudos que realizam esse debate. Quanto aos procedimentos metodol√≥gicos, esta pesquisa ser√° interdisciplinar e qualitativa, por meio de pesquisas documental e de campo. Na pesquisa de campo, ser√£o realizadas entrevistas semiestruturadas. A amostra ser√° formada por acessibilidade e o n√ļmero de fam√≠lias entrevistadas ser√° definido pelo crit√©rio de satura√ß√£o das informa√ß√Ķes. Como procedimento de an√°lise das informa√ß√Ķes, ser√° utilizada a an√°lise de conte√ļdo, por Laurance Bardin (1995)
    • ‚Ķ
    corecore