Repository landing page

We are not able to resolve this OAI Identifier to the repository landing page. If you are the repository manager for this record, please head to the Dashboard and adjust the settings.

Priorização de Áreas para a Conservação da Biodiversidade no Cerrado Brasileiro: uma Ordenação Baseada na Distribuição de Táxons Ameaçados

Abstract

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Ciências da Vida e Natureza da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Ciências Biológicas – Ecologia e Biodiversidade.A utilização dos recursos naturais de forma desmedida acarretou o que hoje podemos chamar de crise da biodiversidade. A Biologia da Conservação é uma ciência que busca desenvolver, de maneira categórica, soluções que auxiliem na preservação da natureza. A alocação de esforços deve seguir uma lógica mediada pela maximização de conservação sob recursos limitados, direcionando-os de forma estratégica a partir de um Planejamento Sistemático para a Conservação. O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, resguardando em sua distribuição áreas com alto nível de endemismo de organismos, associados a complexa heterogeneidade ambiental. Somado a isso, a exorbitante exploração deste bioma, principalmente através da conversão de áreas naturais para terras agricultáveis, fez com que tal fosse classificado como um hotspot mundial da biodiversidade. As principais ameaças à biodiversidade são fruto da necessidade de expansão humana em busca de artifícios para a sobrevivência, como expansão de centros urbanos e agropecuária. A degradação das áreas de ocorrência das espécies contribui para a uma piora no seu status de ameaça, medido pela IUCN. Cerca de 91 espécies que estão distribuídas pelo Cerrado são classificadas nas 4 principais categorias de ameaça. A rede de unidades de conservação é o principal meio para promover a perpetuação das espécies ao longo do bioma, a partir da proteção de regiões cuja importância de conservação é mais acentuada. Considerando a distribuição dos 91 táxons classificados nas principais categorias de ameaça de extinção, este trabalho buscou indicar áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade terrestre do Cerrado. Para isso foi utilizado o programa computacional Zonation seguindo a regra de perda marginal atribuída pela Additive Benefit Function (ABF), pesando a prioridade de cada espécie através dos critérios de ameaça da IUCN (Criticamente ameaçada, Em Perigo, Vulnerável e Quase Ameaçada) e a sobreposição dos polígonos das 91 espécies no Cerrado brasileiro. Como critério de corte, apenas as células (com tamanho padrão de 0,25ºx0,25º) que apresentavam valor ⩾ 0,80 foram consideradas prioritárias. As áreas resultantes também foram contrastadas com as áreas protegidas existentes, sendo excluídas aquelas que já estavam sob proteção. Testes relacionados com a acurácia na escolha das áreas foram realizados, para comparação com escolha de áreas aleatórias e flexibilidade. Como resultado final, um mapa com 442 áreas prioritárias foi formado, distribuído pelas 13 unidades federativas que compõem o Cerrado. A maior porção ocorreu nos estados pertencentes à região Centro-Oeste (50,6%) e a menor na região Sul (0%). O estado que obteve maior quantitativo de sobreposição das áreas prioritárias em detrimento das células priorizadas foi o Tocantins (50%). A curva de desempenho e o histograma, lidos concomitantemente com o mapa, revelaram que a conservação destas áreas contemplaria toda a distribuição das espécies mais ameaçadas e pelo menos 10% das menos ameaçadas. As análises adicionais de flexibilidade e aleatorização concluíram que a escolha das áreas a partir dos critérios são as melhores possíveis para os recursos utilizados. Considerando os resultados dessa análise, uma proposta de estudos relacionado, por exemplo, a mitigação de impactos com foco em cada área prioritária, acentuando os principais impactos negativos da região, é recomendável

Similar works

This paper was published in Repositório Institucional da UNILA.

Having an issue?

Is data on this page outdated, violates copyrights or anything else? Report the problem now and we will take corresponding actions after reviewing your request.