Location of Repository

Análise das Internações por causas externas no Estado do Espírito Santo.

By A. C. A. ALOCHIO

Abstract

Trata-se de um estudo descritivo sobre a morbidade por causas externas, com o objetivo de descrever o perfil das internações por causas externas e os custos por ela decorrentes, no Estado do Espírito Santo, no período de 1998 a 2007. Foi utilizado o Banco de Dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde, codificados segundo a 10ª revisão da Classificação Internacional de Doenças. As internações por causas externas (6,3%) ocuparam a 7ª colocação entre as internações por todas as causas com tendência de crescimento de 36% ao longo da série histórica. Houve predomínio do sexo masculino (71,2%) e da faixa etária entre 20 a 29 anos (20,7%). As causas mais freqüentes foram as outras causas externas de lesões acidentais (71,4%) - principalmente as quedas, seguida dos acidentes de transporte (17,2%) e das agressões (6,6%). Em relação à faixa etária destacam-se as quedas entre 20 e 59 anos, os acidentes de transporte entre 15 a 49 anos, e as agressões entre 20 e 39 anos. A principal lesão encontrada foi o traumatismo. Desses, as fraturas de outros ossos dos membros e de fêmur e os traumatismos intracranianos se destacam. As causas externas possuem menor tempo de internação que as causas naturais, porém maior gasto médio e custo dia, com tendência de crescimento de 115,1% e 117,8% respectivamente. O tempo médio de internação foi de 6 dias, sendo maior nas causas externas não classificadas (9,5 dias), seqüelas de causas externas (8,6 dias), agressões (7,3 dias), acidentes de transporte (7 dias). A taxa de mortalidade hospitalar foi de 2,73% sendo maiores na intervenção legal e operações de guerra (8,33%), agressões (5,84%), acidentes de transporte (4,89%). O gasto médio das internações por causas externas (R$597,88) superou o de causas naturais (R$542,71) em 10,1%. As causas externas não classificadas foram a que tiveram maior gasto (R$2.873,27). O custo-dia das internações por causas externas (R$98,83) também foi superior às causas naturais (R$76,03) em 29,9%. As causas externas não classificadas também apresentaram o maior custo-dia (302,45)

Topics: Causas Externas, Morbidade, Hospitalização, Custos, Sistemas
Publisher: Mestrado em Saúde Coletiva
Year: 2011
OAI identifier: oai:dspace2.ufes.br:10/5459

Suggested articles

Preview


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.