Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

"Mortalidade por Raça/Cor em Vitória/ES: Uma Análise do Sistema de Informação sobre Mortalidade"

By N. M. FIORIO

Abstract

A utilização de dados de mortalidade para análise das condições de saúde da população contribui para o planejamento e avaliação de ações políticas públicas bem como, auxilia na identificação e compreensão das desigualdades em saúde. Para tanto, é essencial que os dados sejam de qualidade garantindo a fidedignidade das informações. As desigualdades em saúde vêm sendo discutidas nas últimas décadas e destacam-se como um problema para a saúde pública, portanto, a identificação de indicadores e variáveis capazes de expor esse problema assume papel fundamental na pesquisa. Com objetivo de analisar as diferenças na mortalidade por causas entre os grupos de raça/cor nos anos de 2003 a 2006 em Vitória/ES foram coletados e analisados dados secundários a partir do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). O estudo abrange todos os óbitos de pessoas com idade igual ou maior de 15 anos residentes em Vitória/ES entre os anos de 2003 e 2006 (n=7.312). Foi realizada uma análise da completitude da variável raça/cor de 1995, ano de sua implantação no sistema, até 2006. Em seguida, o período de 2003 a 2006 foi selecionado por apresentar linearidade em relação à completitude da variável dependente. As demais variáveis analisadas foram: sexo, faixa etária e causa básica do óbito. As análises bivariadas foram realizadas entre a variável dependente (raça/cor) e variáveis independentes (sexo, faixa etária e causa básica). Para a análise das desigualdades entre as categorias de raça/cor, foram compostos coeficientes de mortalidade proporcional por idade e por causa básica, tendo como denominador o valor estimado a partir do Censo de 2000, realizado pelo IBGE. Além disso, foram analisadas as idades médias e medianas de óbito por causa básica e raça/cor. Por fim, calculou-se o risco relativo por sexo, idade e causa básica. Para a análise das diferenças entre médias foi utilizado o teste ANOVA a uma via, seguido do teste de Tukey. Foi calculado ainda o risco relativo e em ambos o nível de significância adotado foi de p<0,05 e IC95%. Os resultados encontrados apontam aumento da completitude da variável raça/cor no SIM desde sua implantação, passando de 99% (1996) a 16% em 2005. Quanto às causas básicas de óbitos, essas se apresentaram distintas tanto em relação à raça/cor, como entre os sexos e faixas etárias. Entre os negros, quando comparados aos brancos evidenciou-se maior risco relativo de morte para Transtornos mentais e comportamentais, RR- 9,29 (2,14 40,38); Causas mal definidas, RR 8,71 (1,99 38,07); e Causas externas, RR 5,71 (3,83 8,51). Para as mulheres negras, encontraram-se RR- 2,38 (1,15 4,94) para Causas externas e 0,52 (0,35 0,78) para as Neoplasias, sendo este um fator de proteção. Na análise da mortalidade por idade e raça/cor, encontramos uma variação de até 33 anos (Doenças do sistema nervoso). Conclui-se que houve aumento da completitude da variável raça/cor no SIM do município de Vitória, entretanto esforços crescentes precisam ser realizados objetivando o aperfeiçoamento das informações de mortalidade, principalmente no que diz respeito às variáveis sócio-demográficas. Foram detectadas desigualdades raciais/étnicas na mortalidade geral e por causas, destacando-se a mortalidade por Transtornos Mentais e Causas externas, além da mortalidade precoce que ocorre na população negra, mesmo quando a causa de óbito é a mesma

Publisher: Mestrado em Saúde Coletiva
Year: 2009
OAI identifier: oai:dspace2.ufes.br:10/5426

Suggested articles


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.