Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Processo discursivo e subjetividade : vozes preponderantes na avaliação da oralidade em lingua estrangeira no ensino universitario

By Maralice de Souza Neves

Abstract

Nesta tese estudamos as representações da avaliação da oralidade na aprendizagem de inglês como língua estrangeira (LE) no ensino universitário público brasileiro, formador de professores de LE. Trata-se de uma abordagem transdisciplinar, que abrange questões e conceitos da Lingüística Aplicada, da Análise do Discurso e da Psicanálise. Nesta perspectiva, a subjetividade é constitutiva do discurso e os discursos são construidos sócio historicamente por sujeitos desejantes, descentrados, constituídos pela linguagem e envolvidos em relações de poder e interesses formativo/institucionais. Nesta heterogeneidade de sentidos, os sujeitos-professores tomam posições contraditórias nas avaliações da aprendizagem de seus alunos que são configuradas em gestos de interpretação porque atendem a demandas advindas de várias vozes do discurso, nesse caso, da ciência, da técnica, do jurídico e do político-transferencial. Após um breve panorama sobre o desenvolvimento do conceito de avaliação nas diferentes épocas e particularmente no ensino/aprendizagem de LE, apresentamos o nosso corpus a partir do discurso e da prática de professores e de alunos em fase final de um curso de Letras, quando se supõe que esse aluno é capaz de tomar a palavra em LE. Em nossa análise, utilizamos, dentre outras, a noção de "ressonância discursiva", isto é, recorrências expressivas que nos permitem depreender formações discursivas (FD), entendidas como regularidades enunciativas no domínio de saber estudado. Tendo em mente a compreensão de conceitos e processos envolvidos nas práticas avaliativas, partimos da tematização de elementos da avaliação oral tradicional, tais como a fluência e a pronúncia; do ideário de competência comunicativa/proficiência; da consideração da diferença entre saber e conhecer a língua; das reações ao erro; das correções entre colegas; e do aluno visto como fraco. Como resultado, depreendemos gestos que concorrem para configurar FD's que denominamos Inclusiva e Excludente, nas modulações que nomeamos Inclusão Incondicional, Inclusão condicional demandante e Perfeição excludente. A FD Excludente caracteriza-se por um imaginário de perfeição que exclui tanto a falta quanto a excelência do aluno. Em uma modulação que estabelecemos, o desempenho do aluno tem que ser perfeito, embora nunca máximo e o aluno dito fraco nem é percebido como presença. A FD Inclusiva se caracteriza pela aceitação da falta e pela inclusão do progresso do aluno, tomando relativo o seu desempenho. Nesta FD, foi possível observar duas modulações. Na primeira, nomeada Inclusão Incondicional, um progresso e a aprovação acima de uma exigência mínima abstrata são sempre conferidos a todos os alunos sem exceção. Na segunda, nomeada Inclusão condicional demandante, alguma demanda subjetiva dos alunos é atendida, embora condicionada aos objetivos científico/técnicos. Nela, o aluno pode alcançar a excelência, embora aqueles ditos fracos ainda sejam apontados através do rigor da nota que marca a desaprovação.In this thesis I study the representations of the evaluation of orality in the learning of English as a Foreign Language (EFL) in a Brazilian undergraduate institution for FL teachers. I work within a transdisciplinary approach that includes questions and concepts from applied linguistics, discourse analysis and psychoanalysis. In this perspective, subjectivity is constituent of discourse, and speeches are built socio-historically by split and desiring subjects, constituted by language and involved in relationships of power and institutional/normative interests. In this heterogeneity of senses, subject-teachers take contradictory positions in the assessment of their students' learning process, which is configured as interpretation gestures because they answer demands, in this case, from scientific, technical, juridical and political-transferencial voices. After a brief panorama of the development of the evaluation concept in time, and particularly in FL teaching/learning, I gather the corpus with the discourse and the practice of teachers and students at the end of a course of study, when it is supposed that such student is able to take a stand in the FL. In my analysis I use the notion, among others, of "discursive resonance", that is, expressive recurrences, which aIlow us to infer discursive fonnations (DF), understood as enunciative regularities within a field of knowledge. Bearing in mind the concepts and processes involved in evaluative practices, I take as themes the elements of traditional oral evaluation, such as fluency and pronunciation; representations of communicative competence/proficiency; the consideration of the difference between knowing the language and knowing about the language; reactions to errors/mistakes; correction by peers. Another element is the student represented as weak. As a result, we can infer that interpretation gestures concur to configure DF' s which I denominate Including and Excluding, in the modulations that I name, Unconditional inclusion, Demanding conditional inclusion, and Excluding perfection. The Excluding DF is characterized by the representation of perfection which excludes both the students' fault and excelence. In it I considered a modulation in which the student' s performance must be perfect, although it never achieves a maximum; whereas the student represented as weak is not even regarded. The Inclusive DF accepts the student's faults and progress, turning relative his perfonnance. In this DF, I devise two modulations. In the first, named Inconditional inclusion, a progress and a passing grade above an abstract minimum are always considered to every student unconditionally. In the second, named Demanding conditional inclusion, some of the students' claims are heard, though conditioned to scientific/technical objetives. In it the student can achieve excellence, although that student considered weak is marked by the rigor of a non-passing grade

Topics: Linguistica aplicada, Analise do discurso, Psicanalise, Avaliação, Aquisição da segunda linguagem
Publisher: Universidade Estadual de Campinas . Instituto de Estudos da Linguagem
Year: 2002
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.BDTD_UNICAMP:oai:unicamp.br:vtls000241384
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.