Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Desenvolvimento de metodologia para teste de toxicidade crônica com Mysidopsis juniae (Silva, 1979) para aplicações em análises de ambientes marinhos

By Cleiton Vaz

Abstract

Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental, Florianópolis, 2012A poluição nos ambientes marinhos está na maioria dos casos em pequenas concentrações, em função do grande volume de água presente nesses locais, dessa forma, a mensuração dos efeitos sobre a biota nesse tipo de ambiente normalmente não é detectada por meio de ensaios de toxicidade aguda, tendo em vista que as alterações nos organismos ocorrem na maioria dos casos a longo prazo. Assim, este trabalho teve como objetivo desenvolver uma metodologia para a execução de testes de toxicidade crônica com crustáceo marinho Mysidopsis juniae, para identificar efeitos decorrentes da exposição prolongada a toxicantes. Para cultivar os organismos, identificar as variáveis mais significativas para a detecção da toxicidade crônica, prever e prevenir falhas no modelo, analisar o sistema de medição e desenvolver um software para o gerenciamento e tabulação de dados, foram utilizadas as metodologias ABNT NBR 15308, o Desdobramento da Função Qualidade, Análise dos Modos e Efeitos de Falhas, Six Sigma e a linguagem de programação Visual Basic for Applications. Para a validação do método foram desenvolvidos estudos de caso em condições diferenciadas, com amostras ambientais da baía da Babitonga e com nanopartículas de óxido de cobre. Como resultado, foi concebida uma metodologia que possibilita prever efeitos tóxicos crônicos geracionais e transgeracionais nos organismos teste por meio da medição de variáveis ligadas a natalidade, mortalidade e crescimento dos organismos. Os testes com as amostras do interior da baía apresentaram diferenças significativas entre o controle e a amostra em todos os pontos avaliados, em pelo menos uma das variáveis. O ponto de mar aberto, não apresentou diferenças significativas em relação ao controle. Para os ensaios com a nanopartícula de óxido de cobre, foi identificado que concentrações acima de 100 g.L-1 geram efeitos crônicos aos misidáceos. Os resultados obtidos com a aplicação do método demonstram que o modelo é eficiente e eficaz para detecção de efeitos de longo prazo no organismo teste. Espera-se que com a metodologia, seja possível desenvolver estudos de toxicidade de longo prazo em ambientes sob pressão antropogênica, bem como estudos dos efeitos crônicos de substâncias puras, como contribuição para a definição de diretrizes de monitoramento ambiental, prevenindo riscos toxicológicos futuros.<br>Abstract : The pollution in marine environments in the most of cases is detected in small concentrations, due to the large volume of water present in these locations, however, the measurement of the effects on biota at these environments is not commonly detected through acute toxicity tests, in order that changes in the organisms occur in most of cases in long term. Therefore, this study aimed to develop a methodology for implementation of chronic toxicity tests with marine crustacean Mysidopsis juniae to identify effects of prolonged exposure to toxicants. To cultivate organisms, identify the most significant variables for the detection of chronic toxicity, predict and prevent failures in the model, analyze the measurement system and develop a software for managing and entering data, the methodologies ABNT NBR 15308, Quality Function Deployment, Failure Modes and Effects Analysis, Six Sigma and Visual Basic for Applications programming language were used. To validate the method were developed two case studies in different conditions, with environmental samples from Babitonga bay and copper oxide nanoparticles. As a result, was designed a methodology that enables to predict chronic toxic effects in generational and transgenerational context to the test organisms by measuring variables related to birth, mortality and growth. Tests conducted with samples of the Babitonga bay showed significant differences between the control and the samples tested at all points within the bay in almost one measured variable. At the offshore point, the water samples showed no significant differences when compared to the control. For tests performed with copper oxide nanoparticle, the concentrations above 100 g.L-1 induced chronic effects on mysids. The results from the application of this method show that the model is efficient and effective for detecting long-term effects on the organism tested. It is hoped that with the defined methodology, should be possible to develop toxicity studies of environmental samples, as well as studies of the chronic effects of pure substances, as a contribution to the definition of guidelines for environmental monitoring, preventing future toxicological risks

Topics: Engenharia ambiental, Toxicidade -, Testes, Poluicao marinha, Babitonga, Baía de (SC), Crustaceo, Babitonga, Baía de (SC), Nanopartículas, Oxidos metalicos, Cobre -, Toxicologia (Indireta), Babitonga, Baía de (SC)
Year: 2012
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFSC:oai:repositorio.ufsc.br:123456789/100424
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.