Location of Repository

Poliquetas espionídeos em ostras Crassostrea gigas e no plâncton da Praia da Ponta do Sambaqui, Florianópolis/SC - Brasil

By Dominique Pires Ibbotson

Abstract

Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias. Programa de Pós-Graduação em Aqüicultura.A infestação por poliquetas do gênero Polydora em ostras C. gigas de cultivo experimental do Laboratório de Cultivo de Moluscos Marinhos (LCMM/UFSC) foi acompanhada de fevereiro a agosto de 2001, com coletas mensais de 20-30 indivíduos cada, na Praia da Ponta do Sambaqui, Florianópolis - SC. Foi determinada a área total ocupada pelas bolhas e tubos na superfície interna das valvas, observando os possíveis danos às principais características fisiológicas da ostra de interesse para a aqüicultura, como o índice de condição (IC), teor hídrico (TH), peso fresco da carne e altura da concha. A densidade larval de poliquetas espionídeos na mesma região foi avaliada de março a setembro de 2001, através de coletas semanais de zooplâncton (rede cilíndrico-cônica de 54mm, 5 minutos e velocidade de dois nós). Houve prevalência do anelídeo perfurador Polydora sp. (Polychaeta: Spionidae) em todos os meses amostrados, chegando a 100% no período de águas mais frias. A infestação foi distinta entre as valvas (p<0.05), sendo maior para a valva direita (superior). O grau de infestação não influenciou o IC das ostras, o crescimento em altura da concha ou o incremento de peso fresco. As larvas dos poliquetas espionídeos estiveram presentes no plâncton durante todos os meses estudados, com picos de densidade em junho e julho em águas mais frias. Os estágios iniciais do desenvolvimento larval (54-600mm) foram mais abundantes do que o de larvas mais avançadas, evidenciando que o recrutamento deve ocorrer ao longo de todo o período. A menor concentração de larvas planctônicas foi obtida no final do verão, com valores médios de densidade de 17,65 larvas/m3. Já o principal pico, encontrado em meados de junho, apresentou valores médios de 4557,57 larvas/m3

Topics: Aquicultura, Crassostrea gigas, Ostra, Criação, Poliqueta, Larva, Anelideo
Publisher: Florianópolis, SC
Year: 2002
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFSC:oai:repositorio.ufsc.br:123456789/83607
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.