Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Imagens negociadas: o experimental no cinema

By Andréa França

Abstract

http://dx.doi.org/10.5007/2175-8026.2006n51p147Discute-se os desafios da tecnologia no campo das artes da imagem, tendo como foco dois documentários brasileiros que utilizam o vídeo digital menos para pensar o mundo ao qual se referem do que explorar as imagens que o constituem e os dispositivos (linhas de encaminhamento que implicam o espectador/personagem em determinadas relações físicas, subjetivas, cognitivas) que as acompanham. A pessoa é para o que nasce e Passaporte Húngaro são elaborados a partir daquilo que se quer filmar e não de pressuposições do diretor ou de realidades que os filmes pretensamente representariam. A crescente mediatização do cotidiano, através sobretudo da mídia televisiva, traz questões agudas para o campo do documentário que se depara cada vez mais com um mundo que já se dá como imagem, que detém um saber sobre o que significa “ser filmado”. Roberto Berliner e Sandra Kogut dialogam com essa situação à medida que fazem da câmera um catalisador de comportamento, um dispositivo que produz outra imagem e outro real

Topics: English Language; English Literature; Cultural Studies, filmes-documentário; vídeo digital; novas linguagens.
Publisher: UFSC
Year: 2006
DOI identifier: 10.5007/2175-8026.2006n51p147Discute-se
OAI identifier: oai:periodicos.ibict.br.Ilha_Desterro:oai:periodicos.ufsc.br:article/9779
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://dx.doi.org/10.5007/2175... (external link)
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.