Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Interaction of Cry toxins from Bacillus thuringiensis svar. israelensis with the mesenteron of the larvae of the vector Aedes aegypti (Diptera: Culicidae)

By Henrique de Barros Moreira Beltr??o

Abstract

O Bacillus thuringiensis svar. israelensis (Bti) ?? um importante entomopat??geno utilizado na produ????o de larvicidas para o controle do Aedes aegypti, vetor da dengue. A toxicidade do Bti est?? baseada no cristal, produzido durante a esporula????o, que cont??m quatro protoxinas Cry11Aa (70 kDa), Cry4Aa (125 kDa), Cry4Ba (130 kDa) e Cyt1A (28 kDa). Sua a????o ocorre atrav??s da ingest??o dos cristais que s??o solubilizados no mes??ntero, onde as protoxinas s??o liberadas e clivadas por serina-proteases em toxinas ativas que agem em sinergia no epit??lio intestinal e provocam a morte das larvas. Apesar da alta seletividade do Bti, ainda n??o foi completamente elucidado como as toxinas Cry interagem com os receptores espec??ficos presentes no epit??lio das larvas. O objetivo principal do trabalho foi caracterizar, atrav??s de ensaios in vitro de natureza quantitativa, a capacidade de liga????o de cada toxina Cry (4Aa, 4Ba e 11Aa) ??s prepara????es de microvilli intestinal (BBMF) de larvas de Ae. aegypti. Para tal, cada componente Cry foi produzido a partir de cepas recombinantes, Bt cepa 4Q2-81, para produ????o de biomassas. A atividade inseticida das biomassas para larvas do 3o/4o est??dios foi determinada atrav??s de bioensaios e, outra parte da biomassa foi utilizada para a obten????o dos cristais. Os cristais contendo cada protoxina foram processados in vitro e uma amostra de cada uma delas foi marcada com iodo (I125). Para realizar os estudos de liga????o foram feitas prepara????es BBMF, a partir de larvas do 3o/4o est??dios. Os estudos da capacidade de liga????o da toxina foram realizados atrav??s de ensaios de competi????o, de satura????o e de cin??tica, atrav??s de incuba????es entre a toxina- I125 e prepara????es de BBMF, na aus??ncia ou na presen??a de um competidor. (...) Os resultados obtidos mostraram que as toxinas Cry competem pelos mesmos s??tios e partilham receptores presentes na BBMF. Em todos os casos estudados, a afinidade do complexo toxinareceptor n??o foi elevada, e n??o foi detectada sinergia entre as toxinas Cry para a liga????o ?? BBMF. A liga????o entre as toxinas-I125 e a BBMF ?? irrevers??vel, e observou-se uma forte tend??ncia ?? oligomeriza????o nos tr??s casos. Os resultados obtidos nesse trabalho sugerem que a toxicidade das toxinas Cry para larvas de Aedes est?? relacionada ?? etapa irrevers??vel de liga????o com os receptores, e n??o ?? caracterizada por um padr??o elevado de afinidade do complexo toxina-receptor ..

Topics: BACILLUS THURINGIENSIS, BACILLUS THURINGIENSIS, AEDES
Year: 2006
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_FIOCRUZ:oai:localhost:icict/3931
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.