Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

História natural da morte materna à luz do comitê estadual de prevenção e controle da morte materna e perinatal do Rio de Janeiro

By Maria Rosa Rodrigues Batista

Abstract

Foram analisados dados referentes a 100 casos de mortes maternas no ciclo grávido-puerperal, ocorridas no RJ, cujos prontuários médicos foram cadastrados e avaliados pelo Comitê Estadual de Prevenção e Controle de Morte Materna e Perinatal do Rio de Janeiro. As variáveis foram agrupadas em : maternas, as referentes ao pré-natal, ao parto, ao concepto, ao óbito. A idade materna variou de 16 a 46 anos, havendo predomínio nas categorias compreendidas entre 30 a 44 anos. As mulheres da categoria "não branca" estavam presentes em 64,8 por cento dos casos. Quanto à situação conjugal 58 por cento eram solteiras, sendo que a escolaridade era inferior a 8 anos de estudo e possuíam ocupação fora do lar.O pré-natal, teve início no 2º trimestre de gravidez, sendo que 85 por cento das gestantes receberam menos de 6 consultas. A idade gestacional no término da gravidez foi em média 35 mais ou menos , 34 semanas, sendo a cesariana. 60 por cento delas, residiam na Baixada Fluminense. No tocante à razão social das instituições verificou-se que 57 por cento dos partos ocorreram em hospital privado. O tempo decorrido entre o desfecho gestacional e o óbito materno foi, nas primeiras 24h do dia dos casos. As mortes maternas ocorreram no intervalo de "0 às 6 h" e com menor freqüência das 7 às 12 horas. O maior índice de óbitos foram sábado e terça-feira. As causas diretas de morte materna estiveram presentes em 63 por cento. As causas obstétricas indiretas representaram 11 por cento, de acidente vascular cerebral, de complicações respiratórias e de cardiopatias. A categoria causas obstétricas indeterminadas respondeu por 26 por cento da amostra. Conclui-se que as mulheres que foram a óbito no RJ residiam na baixada fluminense; eram pobres, com idades diversas, não possuíam famílias constituídas e presentavam pouca instrução. As mortes ocorreram com maior freqüência durante a madrugada, em instituições privadas, com pouca possibilidade de transferência hospitalar, tendo como principais causas à tríade hipertensão,hemorragia e infecção. As analises do comitê de mortalidade materna apontam para a frágil qualidade da assistência médica prestada, cristalizada na alta taxa das mortes evitáveis e na dissociação preocupante entre o diagnóstico arbitrado pelo douto Comitê e o exarado no atestado de óbito. Espera-se que a identificação de importantes fatores determinantes da morte materna possa contribuir para a melhoria da saúde materna no RJ

Topics: Mortalidade Materna, Saúde da Mulher, Mortalidade Materna, Indicadores Básicos de Saúde
Publisher: Instituto Fernandes Figueira
Year: 2004
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_FIOCRUZ:oai:localhost:icict/3644
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.