Location of Repository

Classification of verbal behavior and the acquisition of conditional discriminations by babies

By Graziele Thomasinho de Aguiar

Abstract

Estímulos arbitrários podem ser relacionados através de discriminações condicionais, via procedimento Matching-to-sample. O procedimento também pode estabelecer relações equivalentes quando emergem relações que não foram diretamente ensinadas. Tais relações devem compartilhar três propriedades: reflexividade, simetria e transitividade. Autores propõem que o sucesso no estabelecimento de classes de estímulos advém da possibilidade de nomeação pelo participante. Dentre as possibilidades de definir Nomear, duas se sobressaem neste trabalho: como Tato, ou seja, emitir oralmente uma palavra diante de um referente; como uma relação comportamental de ordem superior e bidirecional que combina as funções convencionais de fala e audição. Levando em consideração os estudos apresentados por ambas as propostas, parece não existir evidências que comprovem que a nomeação é necessária para o estabelecimento de classes de equivalência. Portanto, é importante estudar participantes que possuam repertório verbal incipiente para testar as relações do comportamento verbal no estabelecimento de discriminações condicionais e classes de estímulos arbitrários. O presente trabalho tem como objetivo verificar a relação entre o repertório verbal e a aquisição de discriminações condicionais em bebês de até 30 meses de idade. Para tal, foram feitas avaliações de desenvolvimento de linguagem dos participantes por meio do Denver II e Inventário Portage Operacionalizado. Cinco delineamentos de ensino de discriminações condicionais e testes de nomeação e equivalência foram realizados com treze participantes de 13 a 28 meses; o repertório verbal desses participantes foi classificado de acordo com a taxonomia de Skinner, e também foram contabilizados comportamentos de ouvinte e de seguir regras durante as sessões de ensino e em momentos de brincadeira livre. Como resultados, observou-se que todos os bebês emitiam ecoicos, tatos e mandos em sessão; oito participantes aprenderam as discriminações condicionais propostas; todos que aprenderam as discriminações vocalizaram os nomes experimentais dos estímulos em algum momento; cinco participantes passaram em testes de simetria e transitividade com estímulos familiares; de dois participantes testados, nenhum passou em testes de equivalência. Com isso, conclui-se que a aprendizagem de discriminações condicionais depende de aspectos metodológicos empregados; que o comportamento verbal, inclusive a nomeação de nomes usados no ensino de discriminações auditivo-visuais, pode facilitar essas aprendizagens. Porém, ainda não há dados conclusivos sobre a necessidade da habilidade de nomeação para o estabelecimento de classes de equivalência de estímulos.Arbitrary stimuli can be related through conditional discrimination, via procedure Matching-tosample. The procedure can also establish equivalent relations emerge when relations were not directly taught. Such relationships must share three properties: reflexivity, symmetry and transitivity. Authors propose that success in establishing stimulus classes stems from the possibility of appointment by the participant. Among the possibilities to define "name", two stand out in this work: as Tact, towards an object in the environment the person issues an oral word; or as a higher order behavioral relation and bidirectional combining conventional functions of speech and listener. Taking into account the studies presented by both proposals, there appears to be evidence to prove that the appointment is necessary for the establishment of equivalence classes. Therefore, it is important to study participants who have incipient verbal repertoire to test the relationships of verbal behavior in the establishment of conditional discriminations and arbitrary stimulus classes. This study aims to determine the relationship between the verbal repertoire and the acquisition of conditional discriminations in babies up to 30 months old. This was done / assessments will be carried language development of participants through the Denver II and Operational Portage Inventory. Five teaching conditional discrimination procedures and tests of naming and equivalence were conducted with thirteen participants from 13 to 28 months. The verbal repertoire of these participants were classified according to the Skinners taxonomy, and were also recorded behaviors listener and follow rules during teaching sessions and moments of free play. As a result, it was observed that all babies emitted echoic, tact and mands during session, eight participants learned the conditional discrimination proposals, all they learned discrimination vocalized the names of the experimental stimuli at some point, five participants underwent tests of symmetry and transitivity with familiar stimuli, two participants tested, none passed tests of equivalence. This indicates that the conditional discrimination learning depends on methodological aspects employees; verbal behavior, including the appointment of the names used in teaching auditoryvisual discrimination, can facilitate this learning. However, there is still no conclusive data on the need of the ability of appointment to the establishment of equivalence classes of stimuli

Topics: Behaviorismo (Psicologia), Discriminação condicional, Comportamento verbal, Bebês, PSICOLOGIA, Conditional discrimination, Verbal behavior, Babies, PSICOLOGIA
Publisher: Universidade Federal de São Carlos
Year: 2013
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.BDTD_UFSCAR:oai:ufscar.br:5705
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.