Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Uso de uma alfa-amilase exógena em rações de frangos de corte

By Henrique Braga Oliveira

Abstract

O presente trabalho teve como objetivo, estudar níveis de suplementação de uma alfa-amilase exógena em rações para frangos de corte e, ao mesmo tempo, foram comparar dois indicadores na determinação da energia de dietas. O experimento foi dividido em duas avaliações paralelas, sendo uma de desempenho e uma de metabolismo. No ensaio de desempenho foram utilizados 1700 pintos Cobb-500 machos distribuídos em 50 parcelas experimentais, sendo avaliados cinco tratamentos com dez repetições em DIC (delineamento inteiramente casualizado). Os tratamentos foram: um controle positivo (CP), um controle negativo (CN) e três níveis de suplementação da alfa-amilase 200, 400 e 600g/t, sendo que o CN foi formulado com 50 e 90 kcal de redução de energia em relação ao CP para as fases de 1 a 21 dias e 22 a 42 dias, respectivamente. No ensaio de metabolismo foram utilizadas 90 aves para a fase de 35 a 42 dias de idade e os tratamentos os mesmos do ensaio de desempenho, com seis repetições por tratamento em DIC. Todas as rações do metabolismo continham os indicadores, Lipe® a 0,05% e 1,0% de Óxido Crômico (Cr2O3). No período de 1 a 21 dias, não foram observadas diferenças significativas (P>0,05) no GP (ganho de peso) , porém, foi verificado maior CR (consumo de ração) (P<0,05) com o uso de 200ppm da enzima e melhor CA (conversão alimentar) (P<0,05) com o CP. De 22 a 42 dias não foram observados efeitos significativos (P>0,05) sobre o GP, porém, menor CR e melhor CA (P<0,05) para o tratamento CP. Na fase de 1 a 42 dias não foram observadas diferenças significativas (P>0,05) sobre GP, porém, menor CR e melhor CA (P<0,05) para o tratamento CP. A EMAn (energia metabolizável corrigida para balanço de nitrogênio) determinada com o uso da coleta total reafirmou os valores calculados para o CP e CN com dados intermediários com o uso da enzima (200, 400 e 600ppm). Comparando coleta total com o uso do Lipe® e Cr2O3, observou-se uma correlação apenas para os resultados do CP que foram sempre maiores e os resultados do CN sempre menores para as três metodologias. Para a EDI (energia digestível ileal) determinada pelo Cr2O3, foi observada diferença significativa (P<0,05), tendo apresentado valores superiores no tratamento CP e valores inferiores no CN. Na determinação pelo Lipe® foi observado efeito significativo (P<0,05) apresentando valor superior no tratamento CP. Conclui-se que nas avaliações de metabolismo a alfa-amilase testada foi efetiva em incrementar EM, no entanto, não o suficiente para equivaler a EM do CP, resultado que foi melhor expresso nas metodologias de coleta total, EMAn pelo Lipe® e na EDI pelo Lipe®, os resultados de desempenho refletiram a superioridade do CP apontando a limitação da enzima em suprir o déficit energético praticado neste trabalho.Dissertação apresentada à Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, área de concentração em Nutrição de Monogástricos, para a obtenção do título de Mestre

Topics: Lipe®, Óxido crômico, Energia metabolizável, Energia digestível, Chromic oxide, Metabolizable energy, Digestible energy
Year: 2013
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFLA:oai:localhost:1/993
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.