Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Os quadros (frames) culturais da ciência em tempo de controvérsia pública: análise do enquadramento (framing) da cobertura realizada pelasrevistas semanais sobre célula-tronco no Brasi

By Antonio Marcos Pereira Brotas

Abstract

315 f.A presente pesquisa identifica e analisa os quadros acionados na cobertura realizada pelas revistas Veja, Isto É, Carta Capital e Época acerca da controvérsia sobre as células-tronco embrionárias, que teve maior exposição pública em função do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN 3150) pelo Supremo Tribunal Federal. Parte-se da premissa de que, em situação de controvérsia, a publicização de quadros sobre a ciência e a tecnologia é ampliada, permitindo a sinalização de elementos ordinários da produção científica. Esses, geralmente, ficam submersos, quando vigora o modelo de cobertura jornalística centrado nos resultados de experimentos. Defendeu-se que a produção do conhecimento científico não é desconectada do social e, por isso, a rede heterogênea que os cientistas precisam formar para estabilizar seus fatos fica mais exposta, em época de controvérsia. A translação de interesse entre cientistas e os diversos agentes desta rede é fator indispensável para que ocorra esta estabilização. Rejeitou-se a compreensão do jornalismo, enquanto simples categoria de divulgação científica, por considerar esta classificação redutora das possibilidades do jornalismo em expor os diversos quadros da ciência e da tecnologia. Realizou-se então a análise qualitativa de quadros, tomados como pacotes interpretativos que expõe percepções marcadamente culturais sobre a ciência. A análise confirmou a hegemonia do quadro progresso, reiterando sua força cultural na definição da ciência. Os quadros político, ético e incerteza técnica também foram acionados. Identificou-se que a combinação entre o quadro progresso e os demais foi a forma mais recorrente de abordagem jornalística da controvérsia. Pesquisadores, jornalistas e pacientes apresentaram-se como os principais agentes atuantes no debate público, reforçando o quadro progresso, mesmo na presença dos quadros incerteza técnica e ético. O reforço do progresso deu-se também porque os opositores do uso de embrião humano nas pesquisas foram silenciados pelas revistas. Relevante ainda é o fato de a maior visibilidade de quadros da ciência ofertar pistas para a identificação de elementos da produção científica na cobertura. Demonstrou-se, todavia, que a exposição das ações dos cientistas nesta rede heterogênea de produção, não representou verdadeira oposição ao quadro progresso. Defendeu-se que exposição dos quadros pelo jornalismo mostrou-se efetiva justamente por ser o jornalismo um componente importante desta rede. A estabilização dos fatos científicos, em tempo de controvérsia, passa pelo jornalismo, visto como espaço relevante de construção e/ou difusão de quadros que reforçam, alimentam e/ou renovam a cultura científica contemporânea

Topics: Comunicação na ciência, Células-tronco embrionária, Jornalismo, Ciência, Sociologia
Year: 2013
OAI identifier: oai:agregador.ibict.br.RI_UFBA:oai:192.168.11:11:ri/8675
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://www.rcaap.pt/detail.jsp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.