Article thumbnail

A discriminação contida na teoria social

By António Dores

Abstract

Este artigo sublinha o facto de estas características da sociologia actual favorecerem a naturalização das discriminações correntes. A começar pelo exemplo da discriminação axiológica entre peritos especializados (observadores) e públicos por eles estratificados (objectos de estudo). Favorecem a naturalização da normalidade (objectos de estudo com comportamentos semelhantes aos dos observadores) e do moralismo (a estranheza implícita embebida nas teorias sociais e nas classificações dos objectos de estudo). Favorecem a procura das causas das misérias e das violências no livre arbítrio individual, escamoteando as corresponsabilidades configuracionais das condições sociais na construção de mecanismos e ambientes onde as pessoas vivem e a que reagem. Escamotear intenções e sentimentos políticos e sociais legitimadores da violência institucional é uma das características da condição moderna. Vale a pena recordar como a produção da separação entre acção e as suas representações, a nomeação de contra quem a violência pode e deve ser exercida, é ancestral. Qual deverá ser o papel das ciências sociais: simples monitorização da violência estigmatizada (na sua vertente negativa) ou participação na construção da violência como instrumento de orientação social (por vezes positiva e outras vezes negativa)

Topics: Teoria social, Violência, Natureza humana, Processos de orientação, Resiliência
Publisher: O Comuneiro
Year: 2016
OAI identifier: oai:repositorio.iscte-iul.pt:10071/11547

Suggested articles


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.