Article thumbnail

Avaliação da prática do esporte off-road sobre a comunidade herbácea, em um fragmento florestal, no Município de Meleiro, Santa Catarina

By Maiá Loch

Abstract

Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Ciências Biológicas, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC.Plantas herbáceas apresentam adaptações de sobrevivência diferenciadas a cada um dos ambientes por elas ocupado, apresentando dinâmica bastante peculiar e distribuição irregular, principalmente devido a fatores microclimáticos. Este estudo teve como objetivo avaliar as alterações na comunidade herbácea de um fragmento florestal, sob influência da prática do esporte off-road, na localidade de Limeira, município de Meleiro, Santa Catarina. O levantamento foi realizado entre abril e maio de 2017, considerando como herbáceas terrícolas todas as plantas encontradas no interior da floresta e no decorrer da trilha, que não apresentavam caule lenhoso. O reconhecimento das espécies terrícolas baseou-se na observação em campo, e a identificação foi feita junto com o professor no laboratório. Para caracterização e levantamento da estrutura da vegetação herbácea terrícola utilizou-se o método de parcelas. Foram estabelecidas 60 parcelas de 1m x 1m (1m2), o tamanho das parcelas foi definido pelas características do local, sendo 30 parcelas para área controle e 30 parcelas para trilha, totalizando área amostral total de 60m². Em cada uma das parcelas foi registrado a espécie e a cobertura, adotando-se a escala proposta por Causton (1988). Foram amostradas 28 espécies distribuídas em 26 gêneros e 16 famílias botânicas. Destas oito espécies são samambaias e licófitas distribuídas em sete famílias e 21 espécies são angiospermas, distribuídas em nove famílias. Dentre as 28 espécies registradas, 22 foram registradas para a área controle, 15 para a área da trilha. Conclui-se que á área controle é mais diversificada em espécies do que a trilha, devido a prática do esporte off-road que ocasiona impactos na trilha como compactação do solo e abertura de sulcos. Para minimizar os impactos decorrentes da prática do esporte off-road, sugere-se utilizar sempre o mesmo percurso como trilha, evitando mais danos no fragmento florestal

Topics: Herbáceas, Fragmentos florestais, Indicadores biológicos, Impacto ambiental, Corridas off-road – Influência
Year: 2018
OAI identifier: oai:repositorio.unesc.net:1/6841
Provided by: UNESC

To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.

Suggested articles