Article thumbnail

Estudo do tempo de transito colonico com marcadores radiopacos em pacientes constipados com doença de Chagas sem megaesofago ou megacolon e em pacientes com constipação intestinal idiopatica

By Sheila Lopes dos Santos

Abstract

Orientador: Maria Aparecida MesquitaDissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências MédicasResumo: A constipação intestinal está entre as queixas mais freqüentes na prática clínica. A maior parte dos casos é de etiologia indefinida, sendo classificados como constipação idiopática. Em nosso país, deve-se considerar a possibilidade de colopatia chagásica para todo paciente procedente de zona endêmica com constipação intestinal. A manifestação característica da colopatia chagásica é o megacólon. Entretanto, estudos prévios demonstraram a presença de alterações neuro-motoras nos cólons não dilatados de pacientes chagásicos crônicos. Para investigar a presença de anormalidades da função colônica em chagásicos crônicos sem megaesôfago ou megacólon quando comparados a pacientes com constipação idiopática foi realizado o estudo do tempo de trânsito colônico total e segmentar com marcadores radiopacos em 27 voluntários assintomáticos, 15 pacientes chagásicos sem megaesôfago ou megacólon com constipação intestinal crônica (ChC) e 17 pacientes com constipação idiopática (CI). Os valores encontrados no grupo controle foram semelhantes aos da literatura (Tempo de trânsito colônico total = 34,1 :t 15,6 h; cólon direito = 10,3 :t 7,4 h; cólon esquerdo = 10,8 :t 10° h e retosigmóide = 13 :t 9,9 h). Os pacientes CI e ChC foram divididos de acordo com o tempo de trânsito colônico em dois sub-grupos: aqueles com trânsito colônico normal e aqueles com trânsito colônico lento. Trânsito colônico prolongado foi observado em 65 % dos pacientes CI e 27 % dos pacientes ChC. Entre os pacientes CI, o padrão de inércia colônica foi o mais encontrado (41,2%), seguindo-se a disfunção do cólon esquerdo (11,8%) e a obstrução terminal (5,9%). Entre os pacientes ChC, 13,3% apresentaram padrão de inércia colônica, 6,7% -retardo isolado de cólon esquerdo e 6,7% de retosigmóide. Não houve diferença estatística entre os pacientes CI e ChC com trânsito .lento quanto aos tempos de trânsito segmentares. Em conclusão, um sub-grupo de pacientes chagásicos sem megaesôfago e megacólon apresentou alterações do trânsito colônico. Não foram observadas características clínicas ou padrões de anormalidades do trânsito colônico que permitissem diferenciar estes pacientes quando comparados aos pacientes com constipação intestinal idiopática com trânsito lentoAbstract: Chronic constipation is one of the most frequent complaints in c1inical practice. In most cases, there is no defined etiology, being c1assified as idiopathic constipation. In our country, the possibility of chagasic colopathy for constipated patients coming from endemic regions should be considered. The characteristic presentation of chagasic colopathy is the megacolon. However, previous colonic motility studies have shown the presence of neural and motor abnormalities in non-dilated colons of chronic chagasic patients. In order to investigate the presence of abnormalities of colonic function in chronic chagasic patients without megaesophagus or megacolon as compared to patients with idiopathic constipation, total and segmental colonic transit time with radiopaque markers was assessed in 27 healthy volunteers, 15 chagasic constipated patients without megaesophagus or megacolon (ChC) and 17 patients with idiopathic constipation (CF). Values found in the control group were similar to those reported in the literature (Total colonic time = 34,1 :t 15,6 hr; right colon = 10,3 :t 7,4 h; left colon = 10,8 :t 10 h and rectosigmoid = 13 :t 9,9 h} Both CI and ChC patients were divided accordiIig to total colonic transit time in two subgroups: those with normal colonic transit and those with slow colonic transit. Prolonged total colonic transit time was found in 65 % of CI patients and 27 % of the ChC patients. Among CI patients with slow transit, colonic inertia was found in 41,2% cases, followed by left colon dysfunqion (11,8%) and outlet obstruction (5,9%). Among ChC patients with slow transit, 13,3 % had a pattem of colonic inertia, 6,7 % left colon dysfunction and 6,7 % outlet obstruction. There was no statistical differencé between slow transit CI and' ChC patients regarding segmental transit times. In conc1usion, colonic transit dysfunction was presen't in a subgroup of chagasic patients without megaesophagus or megacolon. No c1inical feature or pattem of colonic transit abnormalities distinguished these patients from those with idiopathic constipationMestradoClinica MedicaMestre em Ciências Médica

Topics: Colo, Chagas, Doença de
Publisher: [s.n.]
Year: 2018
OAI identifier: oai:repositorio.unicamp.br:REPOSIP/310799
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://repositorio.unicamp.br/... (external link)
  • http://www.repositorio.unicamp... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.