Skip to main content
Article thumbnail
Location of Repository

Modos de trabalhar e de ser na reestruturação bancária Ways of working and being in bank restructuring

By Carmem Ligia Iochins Grisci and Vânia Gisele Bessi

Abstract

O artigo discute como a reestruturação produtiva do trabalho bancário afetou os modos de trabalhar e de ser dos trabalhadores de uma centenária instituição bancária pública que implementou Programas de Apoio à Demissão Voluntária como uma das novas ferramentas de gestão. Trata-se de um estudo de caso que investigou 104 trabalhadores dos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina que aderiram à terceira edição de um desses Programas, ocorrido na empresa em 2001, além de cinco gestores e três funcionários da área de Recursos Humanos da empresa diretamente envolvidos com os Programas ou com os desligados. A coleta de dados deu-se através de questionário, entrevistas individuais semi-estruturadas e fontes documentais. Os dados coletados foram submetidos à análise de conteúdo. Os resultados da pesquisa indicam que a reestruturação produtiva do trabalho bancário demarca a passagem de uma cultura de estabilidade e segurança para uma cultura de instabilidade e insegurança que afeta os modos de trabalhar e de ser dos bancários. O investimento que a empresa deseja, por parte dos sujeitos do trabalho diz, portanto, de uma mobilização subjetiva total e incondicional ao seu projeto e aos objetivos de lucratividade.<br>The article discusses how productive restructuring in bank work has affected ways of working and being of workers of a century-old bank organization that established programs to encourage voluntary resignation as one of its new management tools. It is a case study that investigated 104 workers in the southern Brazilian states of Rio Grande do Sul and Santa Catarina who joined the third round of one such program in 2001, as well as five managers and three human resource workers directly involved with the Programs or with the people who quit. Data collection happened through questionnaire, semi-structured individual interviews and document sources. Data collected were subjected to content analysis. Research results point out that the productive restructuring of bank work marks the move from a culture of stability and safety to one of instability and insecurity that affects employees' ways of being and working. Therefore, the investment desired by the company from work subjects is a sign of total and unconditional subjective mobilization to its project and its profitability aims

Topics: reestruturação produtiva do trabalho, organização do trabalho, trabalho bancário, subjetividade, work productive restructuring, labor organization, bank work, subjectivity, LCC:Sociology (General), LCC:HM401-1281, LCC:Social Sciences, LCC:H, DOAJ:Sociology, DOAJ:Social Sciences
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Sociologia - UFRGS
Year: 2004
DOI identifier: 10.1590/S1517-45222004000200007
OAI identifier: oai:doaj.org/article:56cfff0f1c4445dc8d2c4e496321a450
Journal:
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://doaj.org/search?source=... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.