Article thumbnail

Physical and organisational risk factors associated to work-related musculoskeletal disorders in textile industry

By Adriana Cristina de Souza Melzer

Abstract

Work-related musculoskeletal disorders (WRMD) affect workers in several occupations and are one of the major health problems in many countries. This study was developed in two sectors of a textile industry, one of them being technologically more advanced. The objectives were to identify physical and organizational risk factors associated to WRMD in the two sectors and estimate prevalence of pain among these workers. The workplace and working activity of 12 individuals were observed on ergonomic grounds, and 50 workers answered a questionnaire. The following physical risk factors were identified: awkward shoulder postures, standing work position, repetitive movements, and unfavourable environmental features. Main organizational risk factors identified were: intense work pace, uneven and repetitive tasks, absence of pauses and impossibility of communication with peers. Pain symptoms prevalence of 60% and 76% was found in the two sectors. Conclusion shows that investments in technology that do not follow changes in work condition and organization may result in maintenance or aggravation of risk situations associated to WRMD.Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (DORT) atingem trabalhadores de diversas ocupações e constituem um dos maiores problemas de saúde em muitos países. Este estudo foi realizado em dois setores de fiação de uma mesma indústria têxtil, sendo um deles tecnologicamente mais moderno. Os objetivos foram identificar os fatores de risco físicos e organizacionais associados aos DORT nos dois setores e determinar a prevalência de sintomas de dor entre esses trabalhadores. Tendo como referencial a análise ergonômica, foram observadas as atividades de trabalho de 12 indivíduos; e 50 trabalhadores responderam a um questionário. Os fatores de risco físico identificados foram os seguintes: posturas inadequadas de ombro, trabalho na posição em pé, repetitividade de movimentos e aspectos ambientais desfavoráveis. Os fatores organizacionais identificados foram: ritmo intenso de trabalho, fragmentação e invariabilidade das tarefas, inexistência de pausas e impossibilidade de comunicação com os colegas. Foi encontrada prevalência de 60% e 76% de dor nos dois setores estudados, respectivamente. As conclusões mostram que investimentos em tecnologia que não acompanham mudanças na organização e nas condições de trabalho resultam na manutenção ou no agravamento das situações de risco reconhecidamente associadas aos DORT

Topics: Engenharia humana, Indústria têxtil, Fatores de risco, Transtornos traumáticos cumulativos, Cumulative trauma disorders, Human engineering, Risk factors, Textile industry
Publisher: Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina
Year: 2008
OAI identifier: oai:revistas.usp.br:article/12071

To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.

Suggested articles