Article thumbnail
Location of Repository

O desenvolvimento de pronomes de terceira pessoa e a importância dos prefixos relacionais na estrutura argumental dos núcleos dependentes em Kayabí

By Jéssica Gomes de Gusmão da Silva

Abstract

Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Instituto de Letras, Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas, Programa de Pós-Graduação em Linguística, 2019.Apresenta-se nesta dissertação uma análise do Kayabí, por meio da qual objetiva-se descrever a existência de gênero gramatical e de prefixos relacionais a partir da observação da distribuição e função de um conjunto de pronomes de terceira pessoa em diferentes estruturas. Isso porque nessa língua indígena, pertencente ao sub-ramo VI da família Tupí-Guaraní (RODRIGUES, 1984), desenvolveram-se formas pronominais de terceira pessoa segundo o sexo dos referentes dos nomes objetos, com alomorfes que distinguem o sexo do falante. Essas formas pronominais de terceira pessoa, quando ocorrem seguindo o núcleo de predicados de orações no modo Indicativo I, serão ora analisadas como possíveis expressões de concordância com o sexo do sujeito e do objeto de terceira pessoa. Diante da complexidade das definições de gênero nas línguas naturais, adotou-se como princípio definidor da existência ou não desse traço o já consagrado critério de concordância em palavras associadas (HOCKETT, 1958; CORBETT, 2014). Insere-se igualmente no escopo do trabalho a investigação da coocorrência desses pronomes com os prefixos relacionais (RODRIGUES, 1981), sobre os quais argumenta-se aqui que tenham sido equivocadamente classificados na literatura como formas pronominais de terceira pessoa. Outra etapa da pesquisa foi a apresentação dos dados originais da língua (DOBSON, 1973; 1997; 2005; WEISS, 1998), sua comparação com análises posteriormente publicadas (SOUZA, 2004; GOMES, 2007; BRAGA, 2016), e sistematização conforme mecanismos de contraste. Os resultados obtidos evidenciam um preenchimento do paradigma de terceira pessoa pelas formas pronominais e a existência de um sistema incipiente de gênero e concordância na língua, notadamente expresso pelas especificidades das falas masculina e feminina. Demonstra-se, ainda, que os prefixos relacionais mantêm sua função original na língua, mesmo com o surgimento de formas pronominais de terceira pessoa.Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).This dissertation presents an analysis of the Kayabi language, and seeks to describe the existence of grammatical gender and relational prefixes by observing the distribution and function of a series of third person pronouns in different structures. This indigenous language belongs to sub-branch VI of the Tupi-Guarani family (RODRIGUES, 1984), and developed its third person pronoun forms according to the sex of those referring to the object nouns, with allomorphs that distinguish the sex of the speaker. These pronominal forms of the third person, when they occur following the nucleus of predicates in Indicative Mood I, will be analyzed as possible expressions of agreement with the sex of the subject and of the third person object. In light of the complexity of gender definitions in natural languages, the consecrated criteria of agreement in associated words has been adopted as the main deciding factor in the existence or not of this characteristic (HOCKETT, 1958; CORBETT, 2014). Furthermore, the investigation into the co-occurrence of these pronouns with relational prefixes (RODRIGUES, 1981) has been equally valued in the scope of the work. The dissertation argues that these pronouns have been mistakenly classified in literature as third person pronoun forms. Another phase of the research was the presentation of the original data about the language (DOBSON, 1973; 1997; 2005; WEISS, 1998), its comparison with later analyses (SOUZA, 2004; GOMES, 2007; BRAGA, 2016), and the systemization according to contrastive mechanisms. The results provide evidence of the fulfilling of third person paradigm via pronoun forms and the existence of an incipient system of gender and agreement in the language, notably expressed by the specificity of the masculine and feminine speech. Also, it is demonstrated that the relational prefixes keep their original function in Kayabi, even with the emergence of third person pronominal forms

Topics: Gramática, Índios - línguas, Língua tupi-guarani, Índios Guarani, Índios - língua tupi-guarani, Pronome - terceira pessoa
Year: 2019
OAI identifier: oai:repositorio.unb.br:10482/35550

Suggested articles


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.