Article thumbnail
Location of Repository

Crédito bancário e políticas públicas

By Thiago Luis dos Santos Pinto

Abstract

Tese (doutorado)—Universidade de Brasília, Departamento de Economia, Brasília, 2019.Esta tese consiste em 3 artigos. No primeiro artigo verifico se os bancos públicos brasileiros seguiram critérios políticos na concessão de crédito no período estudado (2003 a 2013). Verifico também quais os efeitos que alterações na oferta de crédito dos bancos provocaram nos seus respectivos lucros. Os resultados revelam a existência de motivação política na oferta de crédito: quanto maior a votação do partido do governo nas eleições presidenciais em um município, maior foi o incremento na oferta de crédito dos bancos públicos nesta localidade. O inverso aconteceu com os bancos privados. Encontramos ainda uma relação significativa e positiva entre o lucro e o aumento da oferta de crédito. Emprestar mais gerou lucros maiores para bancos públicos e privados. No entanto, os retornos obtidos pelos privados foram superiores aos dos públicos ao ofertar mais crédito. No segundo artigo investigo os efeitos do crédito público no desenvolvimento e crescimento das cidades brasileiras após a crise de 2008. Os resultados mostram que as cidades em que o volume de crédito público é maior do que o de crédito privado apresentam maior evolução nos índices de desenvolvimento do que as demais. No entanto, o aumento da participação do crédito público é prejudicial a esse desenvolvimento: a evolução do IFDM e do IDH é pior em cidades onde a participação do crédito público no total de empréstimos aumentou após a crise de 2008. Esses resultados são os mesmos para as mesorregiões e microrregiões brasileiras. Por outro lado, não há uma relação significativa entre crédito público e PIB per capita. Somente nas macro e micro regiões observamos um efeito positivo de aumentos do crédito público no PIB per capita das regiões. No terceiro artigo verifico se o Bolsa Família foi usado com fins eleitorais. Os resultados mostram que as cidades que elegeram um candidato do partido do governo nas eleições para prefeito de 2012 receberam mais benefícios do que aquelas onde os candidatos do partido do governo não foram eleitos. Da mesma forma, cidades com alto percentual de votos para o partido do governo nas eleições presidenciais de 2006 receberam um aumento maior nos benefícios do que cidades com menor percentual. Os mesmos resultados são obtidos nas eleições presidenciais de 2010 nas regiões Centro-Oeste e Nordeste. Nossos resultados também mostram que os Índices de Desenvolvimento da Firjan parecem ser mais relevantes para explicar a distribuição dos benefícios do Bolsa Família do que o PIB per capita. Entretanto, muitas vezes estas variáveis não são nem ao menos estatisticamente significantes, o que fortalece nossas conclusões sobre manipulação na distribuição de benefícios.This thesis consists of 3 articles. In the first article I investigate the credit behavior of Brazilian banks in the period of 2003 to 2013. I examine if politics play a relevant role in public credit allocation and if this allocation affects government-owned banks profits. The results reveal that politics influence public credit allocation. The higher the percentage of votes the government party receives in a city, the higher the increment in credit supply of government-owned banks in this city. The opposite occurs when I analyze the credit supply of private banks. I also find a significant and positive relationship between ROA and the raise of credit supply. However, increases in credit supply causes lower increases in the ROA of state-owned banks than in the ROA of private banks. In the second article I investigate the effects of public credit on the development and growth of Brazilian cities after 2008 crisis. The results show that public credit influence the development of Brazilian cities. Cities in which public loans volume is higher than private loans volume show a greater evolution in both FDI and HDI in the post-crisis period. However, the increase in the market share of state-owned banks in the credit market is harmful to this development. The evolution of both FDI and HDI is worse in cities that become more dependent of public credit after 2008 crisis. These results also apply to Brazilian macro and micro regions. On the other hand,I can not find a significant relationship between public credit and per capita GDP in Brazilian cities. Only in Brazilian macro and micro regions we observe a positive effect of increases in the market share of public credit on per capita GDP. In the third article I investigate the use of Bolsa Família, a Brazilian social program designed to reduce poverty and social inequalities, for electoral purposes. The results show that cities that elect a candidate from government party in 2012 mayoral elections where previous mayor is not affiliated to this party receive more benefits than cities that do not elect government party candidates. Similarly, cities with higher percentage of votes in favor of government party in 2006 presidential elections receive more benefits than cities with lower percentage. I also observe this result in 2010 presidential elections in Midwest and Northeast regions. The results also show that Firjan Development Indexes (FDI and FDI-I) seem to be more relevant to explain Bolsa Família benefits distribution than per capita GDP. However, these variables are not even statistically significant in many cases. It strengthens our findings of manipulation in benefits distribution

Topics: Bancos públicos, Crédito público, Concessão de crédito, Políticas públicas
Year: 2019
OAI identifier: oai:repositorio.unb.br:10482/35636

Suggested articles


To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.