10.5007/1808-1711.2018v22n3p507

Uma objeção à concepção disposicional dos fenômenos mentais inconscientes

Abstract

O artigo propõe uma objeção à teoria que entende os fenômenos mentais inconscientes como disposições. Após uma discussão sobre diferentes aspectos da consciência como propriedade de estados mentais (seção 2), é discutida a descrição de um fenômeno em termos parcialmente disposicionais (seção 3). O exame de alguns casos concretos de nosso funcionamento psicológico mostra que existem pelo menos alguns estados inconscientes que possuem existência mental ocorrente – não disposicional (seção 4). Portanto, a teoria disposicional não consegue salvar a visão cartesiana (seção 5)

Similar works

Full text

thumbnail-image

Directory of Open Access Journals

Provided a free PDF
oai:doaj.org/article:b69fc79048fb4c9c916def5705943b21Last time updated on 6/3/2019View original full text link

This paper was published in Directory of Open Access Journals.

Having an issue?

Is data on this page outdated, violates copyrights or anything else? Report the problem now and we will take corresponding actions after reviewing your request.