Qualidade de vida no trabalho no setor público : relações entre ações de QVT e bem-estar do trabalhador

Abstract

Monografia (graduação)—Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Administração, 2012.Esta pesquisa foi realizada em um órgão público federal localizado em Brasília – DF, com o objetivo de verificar se existem relações empíricas entre ações de Qualidade de Vida no trabalho (QVT) e níveis de Bem-estar no Trabalho (BET). O estudo se justifica do ponto de vista acadêmico, por permitir ganhos para o conhecimento na área. Institucionalmente, contribui para a melhoria da gestão de QVT, assim como permite proveitos para a organização. Socialmente, justifica-se por contribuir para o trabalho dos responsáveis pela gestão do programa, de forma a melhorar a sua eficiência e eficácia. Isso permitirá ganhos na produtividade, beneficiando toda a sociedade que desfruta do trabalho do órgão. O conceito de QVT adotado engloba tanto a perspectiva da organização, quanto a dos trabalhadores. Já o de BET baseia-se nas abordagens hedônica e eudaimônica. Tratou-se de um estudo de campo, exploratório e correlacional, com recorte transversal. Quanto ao tratamento de dados, a pesquisa classifica-se como quali-quanti. Os dados foram coletados em duas etapas. Na primeira, foram levantadas informações, por meio de documentos e entrevista com gestor sobre as ações de QVT desenvolvidas pela organização. Na segunda etapa, foram aplicados questionários para que pudessem ser investigadas as possíveis relações entre participação nas ações de QVT e o bem-estar no trabalho. O questionário foi composto por itens sobre cada ação de QVT levantada na primeira etapa da pesquisa. O respondente deveria indicar a frequência com que participa de cada ação. Para mensuração dos níveis de bem-estar dos trabalhadores, foi utilizada a validada Escala de BET, a qual utiliza um conceito de bem-estar que engloba os fatores de afeto positivo, afeto negativo e realização. A amostra caracterizou-se como não-probabilística e por conveniência, composta por 160 participantes que estão sujeitos ao programa de QVT objeto de estudo. Foi verificado que a organização possui um Programa de Qualidade de Vida (PQVT) formalizado, que engloba inúmeras ações. Estas, no entanto, estão mais voltadas para o viés assistencialista. A participação média dos respondentes nas ações foi entre raramente ou algumas vezes, sugerindo que o alcance das mesmas é limitado. Quanto às relações entre participação em ações de QVT e bem-estar no trabalho, foi constatado que poucas ações apresentam associações significativas com uma ou outra dimensão de bem-estar no trabalho. Apesar de significativas, tais associações foram fracas. Contribuições, limitações e perspectivas para estudos futuros são mencionadas

Similar works

This paper was published in Biblioteca Digital de Monografias.

Having an issue?

Is data on this page outdated, violates copyrights or anything else? Report the problem now and we will take corresponding actions after reviewing your request.