Article thumbnail

Efeitos neurotóxicos nos trabalhadores expostos ao estireno

By Maria Augusta Pereira da Mata

Abstract

Dissertação de Mestrado em Saúde Pública apresentada ao Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do PortoO estireno é um solvente orgânico amplamente usado na indústria, particularmente no fabrico de polímeros e plásticos reforçados. As exposições ocupacionais a este produto ocorrem principalmente por inalação. É posteriormente metabolizado pelo fígado nos ácidos mandélico e fenilglioxílico, que são excretados pela urina. Tal como outros solventes orgânicos, o estireno é tóxico para o sistema nervoso central e, provavelmente para o sistema nervoso periférico. Com o objectivo de determinar a prevalência de sintomatologia neurotóxica num grupo de trabalhadores "potencialmente expostos" ao estireno, foi desenhado um estudo transversal. Constituíram ainda objectivos do presente estudo, avaliar a associação entre a sintomatologia neurotóxica e a exposição ao estireno e, determinar o risco de desenvolvimento de sintomatologia neurotóxica no grupo de trabalhadores "potencialmente expostos" ao estireno. Para tal, foram estudados 48 trabalhadores, 25 dos quais pertenciam ao grupo dos "potencialmente expostos" a este solvente orgânico. Apesar deste estudo não confirmar a hipótese de que a exposição ao estireno seja causa de sintomatologia neurotóxica, foi possível observar que, nos trabalhadores estudados, existe mais sintomatologia depressiva (n=21) no grupo dos indivíduos "potencialmente expostos". Foi ainda possível observar que em média, existem mais alterações da atenção em indivíduos "potencialmente expostos". Embora os valores dos Odds Ratio e respectivos intervalos de confiança a 95% não demonstrem significado estatístico, os trabalhadores com mais anos de serviço parecem apresentar maior risco de padecer de ansiedade (OR=1,853;I.C. 95%=0,449-7,647) e de sofrer de alterações da memória (OR =3,556; I.C. 95% =0,765-16,528). Conclui-se ainda que os sintomas neurotóxicos se associam maioritariamente em torno das alterações da memória, das alterações da atenção e da depressão e que, as associações verificadas poderão estar influenciadas por exposições recentes

Publisher: Universidade do Porto. Reitoria
Year: 1999
OAI identifier: oai:repositorio-aberto.up.pt:10216/10054
Download PDF:
Sorry, we are unable to provide the full text but you may find it at the following location(s):
  • http://hdl.handle.net/10216/10... (external link)
  • Suggested articles


    To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.