Location of Repository

Best-Sellers in Portugal: the case of Bridget Jones

By Karen Bennett

Abstract

Portugal continua a consumir em grande quantidade ficção traduzida. Em 2001, um dos maiores êxitos foi O Diário de Bridget Jones, de Helen Fielding, obra que fez rir milhares de pessoas mesmo antes do filme, que saiu no mesmo ano. Contudo, o humor desta obra é culturalmente muito específico, baseado numa rede semiótica que só pode ser apreciada por quem vive dentro da cultura de origem. Qual foi a política da tradutora relativa a estes elementos tão dificilmente traduzíveis? Conseguiu transmitir as complexidades da sociedade contemporânea britânica? Ou será que houve outro motivo menos definido por detrás desta apropriação e que teria a ver com o modo de representar o Outro neste vasto mundo globalizado

Topics: Portuguese translations, bestsellers, Bridget Jones' Diary
Publisher: Universidade Católica Editora
Year: 2002
OAI identifier: oai:repositorio.ul.pt:10451/5845

Suggested articles

Preview

Citations

  1. (1997). Modernity and Self-Identity: Self and Society in the Late Modern Age, doi

To submit an update or takedown request for this paper, please submit an Update/Correction/Removal Request.